martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

domingo, 18 de abril de 2021

375 mil salões de beleza no país fecharam as portas na pandemia

Domingo, 18 de Abril de 2021

Foto: SARA SANTOS/R7 – 08.04.2021

“A conta não fecha, o custo na pandemia aumentou muito e a gente está sofrendo com a queda financeira. O que entra ajuda, mas é muito pouco”, afirmou o empresário, que era dono de três salões, mas dois deles foram fechados definitivamente por causa da crise e a consequência imediata foi a demissão de dezenas de funcionários.

Há 22 anos no setor, João já chegou a receber em seus três salões – um especializado em noivas, outro em maquiagens e o terceiro em cabelos –artistas como Mc Mirella e a atriz Livia Inhudes, que atuou na novela Chiquititas.

“Eu tenho esperança de que o ramo da beleza volte a crescer a partir do segundo semestre deste ano”, disse o empresário.

Ele não está sozinho, conforme indicam os dados ABSB (Associação Brasileira de Salões de Beleza). Cerca de 47% desses profissionais declararam ter muita dificuldade para manter o empreendimento de pé e 5% já baixaram as portas de vez. Ainda segundo as estimativas da entidade, mais de 375 mil salões de beleza no país já foram à falência desde o começo da pandemia.

Sofrem os grandes, sofrem os pequenos

Cabeleireira informal há mais de 12 anos na comunidade Santa Cruz, em Guarulhos, Elenice Souza também foi afetada em cheio com as consequências econômicas decorrentes da pandemia. Tendo como carro-chefe os alisamentos sem formol, ela também recorreu ao atendimento domiciliar e lançou mão da criatividade para sobreviver.

“Tive um respiro por causa do auxílio emergencial. Mas eu fui além, me reinventei e adotei planos mensais de tratamento capilar para atrair mais clientes”, contou a autônoma. “Sabendo das dificuldades financeiras das minhas clientes, tive essa brilhante ideia”, completou, orgulhosa.

Retomada

O presidente da ABSB (Associação Brasileira do Salões de Beleza), José Augusto Nascimento Santos, afirma que a área de beleza não está sendo tratada na profundidade necessária para uma cadeia econômica complexa.

“As atividades do setor, ainda que consideradas essenciais à saúde, estão sendo tratadas de forma superficial e prejudicando a coletividades de consumidores que dependem de tratamentos como de podologia, massagem pós cirúrgicas, terapias capilares etc.”

O dirigente faz menção ao decreto nº 10.344, baixado pelo presidente Jair Bolsonaro em 11 de maio de 2020, que colocou os salões de beleza e barbearias no rol de atividades consideradas essenciais à economia. Porém, o STF (Supremo Tribunal Federal) já tinha considerado, e reafirmou neste ano, que estados e municípios podem definir suas próprias regras, incluindo classificação de serviços essenciais.

Formalização e criatividade

De acordo com o Sebrae, a formalização de pequenos empreendedores, como é o caso da cabeleireira Elenice, é o melhor caminho para geração de renda e proteção durante a crise. Entre as vantagens estão direito à previdência social, modelo simplificado de tributação, inscrição no CNPJ sem custo e sem burocracia, entre outros.

Apesar da pandemia, em 2020 o país criou 3,4 milhões de novas empresas, alta de 6% em comparação a 2019. Ao final de 2020, o saldo positivo no país foi de 2,3 milhões de empresas abertas, com destaque para MEIs.

Aliada à formalização, a criatividade e a atualização são fundamentais para sobrevivência em tempos de crise. Conforme a SBSB, cerca de 75% dos donos de salões de beleza e cabeleireiros passaram a usar as redes sociais para vender seus produtos e compensar a queda na arrecadação. E, mesmo com a escassez de recursos e falta de capital de giro para investir, 44% dos proprietários começaram a oferecer novos itens durante pandemia.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES

  1. Nenhum fechou por determinação do Governo Federal. Todos fecharam por ordens de prefeitos e governadores. Inclusive dona Fátima Bezerra transformou-se na maior lacradora de empresas e autônomos e, portanto, a DESTRUIDORA MÓR da economia do RN.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055