martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

sábado, 14 de março de 2020

Florianópolis lança pré-consulta virtual no SUS para evitar contágio por coronavírus

Sábado, 14 de Março de 2020 


por Folhapress
Foto: Reprodução / G1


A Prefeitura de Florianópolis (SC) lança na próxima segunda-feira (16) um programa inédito no SUS para atendimento pré-clínico por telefone ou aplicativo com a intenção de evitar o contágio por coronavírus nas unidades de saúde.

A iniciativa é inspirada em experiência do Reino Unido e vem a se somar a outros protagonismos que a capital catarinense já coleciona em atenção primária à saúde. A cidade tem, por exemplo, uma das maiores coberturas do programa Estratégia Saúde da Família (ESF) e conta com enfermeiros realizando atendimento clínico em parceria com médicos.

A partir de segunda, ao ligar para um 0800 ou acessar um aplicativo, o morador poderá tirar dúvidas sobre prevenção do coronavírus e até mesmo marcar consultas caso apresente sintomas sem precisar se deslocar até uma unidade de saúde.

Se tiver alguma queixa, enfermeiros (as) vai atendê-lo usando protocolos internacionais adaptados para Florianópolis. Por exemplo: se a pessoa se queixar de dor de garganta, febre e tosse, a enfermeira vai fazer uma série de perguntas para avaliar a gravidade do atendimento.

Perguntas como se o paciente viajou para algum país com epidemia do coronavírus, se ele teve contato com alguém que viajou, entre outras dúvidas seguidas no protocolo, poderão ajudar o profissional a identificar um caso suspeito sem que a pessoa precise ir até uma unidade de saúde sem necessidade.

"É o melhor dos cenários. Evita-se que o vírus se espalhe em uma unidade que já possui pessoas com fragilidade na sua imunidade aguardando por atendimento", diz o médico Carlos Alberto Justo da Silva, secretário de Saúde de Florianópolis.

Esse protocolo para casos de coronavírus é adotado pelo sistema de saúde do Reino Unido e foi importado para Florianópolis. Ele prevê que pacientes com gripe não se desloquem para unidades de saúde, mas sim liguem para o sistema de atendimento pré-clínico que já existe no sistema inglês.

Se identificado um caso suspeito da infecção, o profissional do programa comunicará a vigilância epidemiológica para a adoção do procedimento padrão.

A prefeitura também equipou todas as 151 equipes da saúde da família, compostas por médicos, enfermeiros, e outros profissionais da saúde, com celulares e números de Whatsapp. Assim, todos os pacientes terão o contato da sua equipe de saúde para marcar diretamente a consulta e tirar dúvidas via aplicativo.

"Há casos em que os pacientes já em acompanhamento querem apenas tirar dúvidas sobre os resultados de um exame. Ele pode fazer isso via Whatsapp para o seu médico e agendar uma consulta apenas se for necessário, sem precisar se deslocar até a unidade, caso não queira", explica a médica Fernanda Melchior, uma das coordenadoras do programa.

O programa "Alô, Saúde" começou a ser desenhado em 2017, com a melhoria da estrutura física das unidades de saúde de Florianópolis. Depois, foram as mudanças de fluxos nos centros de saúde.

Em 2019, começou a implantação do novo prontuário eletrônico, que permite uma conexão do histórico do paciente em tempo real para qualquer local de atendimento. A partir de segunda, 57% dos centros de saúde vão permitir agendamento por telefone ou por aplicativo.

Deputado "liberal", do Novo, defende liberação das drogas e é "expulso" de programa de rádio (veja o vídeo)

Sábado, 14 de Março de 2020


Fotomontagem: O radialista Milton Cardoso e o deputado Fábio Ostermann

O deputado Fábio Ostermann conseguiu decepcionar inúmeras pessoas que acreditavam em seus bons princípios, durante sua participação em um programa na rádio Band RS, de Porto Alegre.

Pelo menos, essa foi a posição do apresentador, o radialista Milton Cardoso e dos demais participantes do debate.


Ostermann defendeu a liberação da maconha.

O fato causou profunda indignação no apresentador, que não se conteve e passou a proferir palavras fortes contra o deputado, inclusive alguns impropérios.

Revoltado, Cardoso mandou cortar o microfone de Ostermann e a partir de então começou a tratá-lo como “imbecil”.

Sem saída, o deputado visivelmente desajeitado e constrangido, teve que deixar os estúdios.

Veja o vídeo:
da Redação / Jornal da Cidade Online

A promessa de Carlos Vereza: “Vou fazer um documentário sobre a professora Heley”

Sábado, 14 de Março de 2020


Fotomontagem/JCO

O ator Carlos Vereza é realmente uma estrela que brilha. Além do notável talento, a sensibilidade de um grande homem.

Enquanto a Globo se preocupa em massacrar a família brasileira, enaltecendo o vitimismo e idolatrando bandidos, o ator quer homenagear verdadeiros heróis.

Nesse sentido, ele promete homenagear a professora Heley de Abreu:
“Assim que tiver condições vou fazer um documentário sobre a professora Heley de Abreu, a verdadeira heroína que sacrificou a própria vida para salvar pelo menos 25 crianças.”
Temos um problema de narrativa: não era negra, favelada, e mais grave - era heterossexual.”

No dia 5 de outubro de 2017, na creche Gente Inocente em Janaúba, Minas Gerais, o vigilante Damião Soares dos Santos ateou fogo em si mesmo, e em várias crianças numa sala de aula. A professora Heley protegeu as crianças, conseguiu salvar inúmeras vidas inocentes, ajudando a retirar as crianças feridas. Heley, no entanto, teve 90% de seu corpo queimado e acabou morrendo no hospital.

O ator promete homenagear esta heroína.

Parabéns Carlos Vereza.

Confira:

Publicação de Carlos Vereza
Publicação de Carlos Vereza

da Redação / Jornal da Cidade Online

Advogada de Bolsonaro testa positivo para coronavírus

Sábado, 14 de Março de 2020

Foto: Reprodução / Veja

Advogada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Karina Kufa testou positivo para coronavírus nesta sexta-feira (13), de acordo com a revista Crusoé.

Segundo a reportagem, ela viajou com a comitiva presidencial de Bolsonaro para os Estados Unidos no último final de semana. Ela, no entanto, não esteve no avião presidencial.

Segundo a própria advogada, ela teve contato com o chefe da Secom, Fabio Wajngarten, diagnosticado com o COVID-19, durante a viagem. Por conta disto, fez o teste para a doença na última quinta-feira (12), quando desembarcou em São Paulo.

Ela é a terceira pessoa do entorno do presidente da República a testar positivo para a doença. Antes dela, além de Wajngarten, o prefeito de Miami, Francis Suarez, que esteve com Bolsonaro na semana passada, também testou positivo para o coronavírus. O chefe de Estado, no entanto, testou negativo nesta sexta. Após confirmar a informação nas redes sociais, ele pediu, em seu Twitter, que a população “não acredite na mídia fake news”. “São eles que precisam de você” disparou.

Pit Bull de abrigo arruma sua cama todos os dias antes do horário das visitas

Sábado, 14 de Março de 2020

Que cachorrinho fofo, minha gente! Rush é um pit bull que vivia em um abrigo para animais em Ohio (EUA).


Depois de meses sem ser adotado, os voluntários do abrigo perceberam que o cachorro “arrumava” sua cama todos os dias antes do horário das visitas para causar “boa impressão”.

Rush pegava o lençol com a boca e colocava sobre a cama de forma super organizada, coincidentemente ou não, sempre nos horários que antecediam a visita dos possíveis adotantes de cães do abrigo.

Os voluntários acreditam que o dog não era adotado por causa da fama da raça de Pit Bull, de ser violento e instável, mas é tudo o que o Rush não é, porque ele é um cãozinho amoroso que só queria um lar, ou você vê maldade nesse olhar?

Rush é tão esperto quanto o cachorro que entrou na delegacia para “informar” que estava perdido e tão carinhoso quanto o cachorro que acompanha o amiguinho no cantinho da disciplina.


O abrigo postou um vídeo de Rush arrumando sua caminha para ganhar uma nova família:

Via RAZÕES PARA ACREDITAR

Homem evita suicídio de menina de 13 anos; assista ao vídeo

Sábado, 14 de Março de 2020


Na última terça-feira (10), um empresário agiu como um verdadeiro herói na Avenida das Bandeiras, na cidade de Mogi Guaçu. O mesmo evitou que uma menina, de 13 de anos, tirasse a própria vida.

O empresário trafegava pela rodovia SP-342, quando avistou uma menina sentada no parapeito do viaduto. De imediato, o mesmo parou na contramão da via e evitou que a jovem pulasse.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, o empresário caminha de forma lenta até a menina, para que ela não percebesse sua presença, ele a agarrou pelas costas e a tirou do parapeito da rodovia.

De acordo com informações da Gazeta Guaçuana, a menina apresentava alguns cortes no pulso e uma espécia de corda no pescoço. A jovem foi encaminhada para o Hospital Municipal Dr. Tabajara Ramos.


Abaixo, você confere o momento que o empresário salva a vida da jovem:
Fonte: Templário de Maria

GOVERNO SUSPENDE VISITAS NOS PRESÍDIOS DO RN POR CAUSA DO CORONA VÍRUS

Sábado, 14 de Março de 2020


A Secretaria da Administração Penitenciária do Rio Grande do Norte (Seap), considerando a necessidade de propor ações preventivas objetivando o enfrentamento do novo coronavírus (COVID-19), suspendeu as visitas sociais, serviços de assistência religiosa e de capelania, bem como o acesso de pessoas externas que promovam realização de atividades educacionais e sociais, em todas as 17 unidades prisionais do estado.

A medida visa garantir a segurança dos servidores, dos internos e seus familiares e se estenderá do dia 14 a 31 de março, podendo ser renovada. Nenhum caso suspeito foi identificado no sistema penal potiguar.

O secretario da Administração Penitenciária, Pedro Florêncio Filho, explica que o ambiente prisional tem enorme circulação e em países onde a epidemia se espalhou os presídios viraram foco da doença. “Orientamos os policiais penais sobre os protocolos a serem seguidos e estamos agindo preventivamente”, disse.

A Seap elaborou um protocolo de prevenção e controle de enfrentamento do novo coronavírus no sistema penitenciário, seguindo orientações do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Ministério da Saúde e Secretaria Estadual de Saúde. Uma campanha está sendo realizada com os policiais penais para repassar informações, orientações e cuidados sobre o novo coronavírus.

O sistema penal potiguar tem cerca de 10 mil detentos e recebe 30 mil visitas por mês. Entre as principais medidas de prevenção destaca-se a higiene pessoal. Lavar as mãos com água e sabão ou álcool em gel ainda é a melhor forma de prevenção. Também é recomendado: cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir; evitar aglomerações se estiver doente; manter os ambientes ventilados; não compartilhar objetos pessoais; e procurar tratamento especializado caso tenha os sintomas.


Agora RN

O hipotético diálogo entre a produção do Fantástico e o “carcereiro”

Sábado, 14 de Março de 2020

Fotomontagem/JCO

A página “Toca do Lobo”, que faz um excelente trabalho nas mídias sociais, idealizou um hipotético diálogo entre um representante da produção do programa Fantástico, da Rede Globo, e o carcereiro da penitenciária onde a criminosa transsexual Suzy está presa.

O resultado, “fantástico” por sinal, retrata com sarcasmo, irreverência e humor o que possivelmente aconteceu.

Veja abaixo:
- Oi, tudo bem, sou da produção do programa.
- Ah, claro, por favor, trouxeram a autorização da justiça?
- Sim, claro, aqui está.
- Vocês vieram visitar o Rafael, né? Ou Suzy Chucky, a boneca assassina, como este monstro é mais conhecido por aqui...
- Shhhhhhhh...Fala baixo.
- O que?
- O médico celebridade não pode saber.
- Como assim?
- Ele vive dentro de cadeias, já escreveu um livro sobre, onde aliás ele sabia dos crimes cometidos pela maioria, e até os citava, mas aqui ele diz que não pode saber. É segredo.
- Mas por que?
- Shhhhhhhh...não posso contar, pq é segredo, oras bolas.
- Permita-me uma pergunta: se a matéria, como vocês informaram quando ligaram para cá, seria sobre prisioneiros trans, por que escolheram logo a Suzy, a mais macabra de todas e que está vivendo isolada só por que, como você sabe, nem prisioneiros perdoam crimes contra crianças e muito menos o estup...
- Shhhhh...lá, lá, lá, lá...Não é nada doutor, está tudo certo aqui, a Barbie já vai nos atender...ops, quer dizer a Suzy...Fica calminho aí...Hey, idiota, não toque mais neste assunto, por favor.
- Ok, bom, você viu que ela fez exigências, né?
- Sim, a história das cartinhas de crianças e tal, ok, ok, vamos providenciar a campanha, mas sem pedir para enviarem fotos, aí ela já tá pedindo demais...
- Bom, aí é com vocês...Vamos lá...
- Vem doutor. Mas fecha os ouvidos e os olhinhos porque é surpresa.
- Suzy, aí está a equipe da TV.
- Oi, tudo bemmm? Trouxerammm o que eu pedimmm?
- Sim, sim, aqui está. Uma caixa de Chocolates Garoto.
- E o pé de moleque? Cadê? Cadê? Cadê? Cadê?
- Calma, esta aqui, aqui, amada, aqui...Doutor, está é a Suzy
- Oi, Suzy, tudo bem? Que dureza, né? Ficar presa é o preço que se paga por ser mais uma vítima da sociedade.
- Sim, doutor, sim, tô chocadaaaaa.
- Eu trouxe meus livros para você ler e não se sentir sozinha.
- Ai, obrigada, doutor, mas sinceramente às vezes a solidão é uma dádiva. Hey, carcereiro? Sabe ler? Toma, presente do dotô da TV.
- Então gente, vamos lá. Doutor, o senhor já decorou as perguntas?
- Minha filha eu já até decorei texto que ensinava pessoas a cagar, imagina se não decoro três perguntinhas bestas como esta...
- Não esquece do abraço no final.
- Que abraço?
- Doutor, aquele...lembra? Fechar com chave de ouro, emocionar o público, fazer o Brasil voltar a acreditar na esquerda "do bem", etc, etc...Su, minha querida, tenta chorar, tá?
- Aí, amada, não consigoooo...
- Faz uma forcinha, Barbie...
- Tem um filme do Woody Allen, uma musiquinha do Michael ou um vídeozinho do Macaulay Culkin pra me ajudar?
- Bom, vamos assim mesmo...vamos lá, doutor...3...2...1
- Espera.
- Que foi doutor??
- O abraço tem que ter mesmo?
- Sim, doutor, conforme combinamos na reunião desta semana, lembra?
- Tá bão...mas, entre nós, ela esta fedendo enxofre. Por isto está sozinha.
- Shhhhh, doutor, doutor, lembra do que combinamos. O senhor é um médico bom, gentil e humano. O senhor não é juiz, lembra?
- E o alcool? Trouxe?
- Oba, tem after depois? Huuum, que loucura...dá pra chamar o elenco da Chiquititas, darling?
- Não, Barbie, sua Loka....quer dizer, Suzy...não tem after nenhum. Você tá presa, porra. Não é álcool pra beber...toma doutor, álcool gel...aqui está...
- O senhor está com nojinho de mim, doctor Varíola?
- Não, não...imagina...é apenas prevenção, minha filha...corona vírus, sabe? É só isto...mas me conte...e esta solidão, hein?
- Gravandooooooo...
.
Qualquer semelhança com nomes ou fatos, é mera coincidência. Afinal, para um mundo melhor, há personagens que nem deveriam existir.
da Redação / Jornal da Cidade Online

“Montanha” agride Bolsonaro, mas não explica acusação de seus próprios familiares: "Estelionatário" (veja o vídeo)

Sábado, 14 de Março de 2020

Paulo Pimenta

O deputado federal Paulo Pimenta, identificado pelo codinome ‘Montanha’ nas planilhas da Odebrecht é indiscutivelmente um dos mais desqualificados elementos da política nacional.

Uma vida totalmente tortuosa, com problemas gerados por sua má conduta, que atingem, inclusive, os seus próprios familiares.

Pimenta é acusado de estelionato pela própria família. E responde a processo por isso.

Imaginem um sujeito que não possui um ‘fio’ de confiança de ninguém. Sim, absolutamente ninguém.

Entre os companheiros da política, também não goza de nenhuma credibilidade. De uma maneira generalizada, ninguém deposita o mínimo de confiança no deputado. Jean Wyllys, por exemplo, o considera um “rato”.

O que se pode esperar de um sujeito que é considerado “rato” por alguém da estirpe de Jean Wyllys?

Pois é, esse “montanha”, esta semana, certamente com o propósito de aparecer, disse nas suas redes sociais que “Bolsonaro sabe que sairá da política algemado”.

Pimenta, ou “Montanha”, não passa de um fanfarrão, que se vale do mandato para ofender e se livrar das garras da Justiça.

Não fosse sua condição de parlamentar, ele sim, certamente já teria sido algemado há muito tempo.

O vídeo abaixo retrata levemente o caráter desse pulha:
da Redação

Marielle faz a Globo despencar…

Sábado, 14 de |março de 2020



Parece que não deu certo a experiência da Rede Globo de levar para as telas o caso Marielle.

O assunto, já tão explorado pela esquerda e pela extrema-imprensa, não desperta mais a curiosidade do público.

Segundo o “Bastidores da TV” a televisão carioca chegou a ter 24,2 pontos de Ibope às 23h32, quando exibia o “Big Brother Brasil”, contra 8,6 pontos do SBT, com “A Praça é Nossa”.

Ressalte-se que o próprio BBB é outra desmedida apelação da emissora.

Pois bem. Foi só malfadado BBB passar o ‘bastão’ para o documentário sobre Marielle para, às 23h50, a audiência cair para 12,6 pontos. Em contrapartida, “A Praça é Nossa” subiu para 11,6 pontos.


da Redação / Jornal da Cidade Online

Trump está 'muito preocupado' com possibilidade de ter contraído covid-19 de brasileiro

Sábado, 14 de Março de 2020 

Foto: Reprodução / Instagram

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está muito preocupado com a possibilidade de ter contraído o novo coronavírus, informa uma fonte do CNN.

De acordo com reportagem de O Antagonista, pessoas ligadas a Trump citaram especificamente os contatos do presidente americano com Fabio Wajngarten, chamado de “o brasileiro”.

O secretário da Presidência do Brasil, Fabio Wajngarten, apresentou teste positivo para o novo coronavírus. Ele esteve em reunião com Trump e Bolsonaro na última semana.

Supremo nega pedido da ex-presidente Dilma para anular o impeachment

Sábado, 14 de Março de 2020 

Foto: Reprodução / Facebook

O Supremo Tribunal Federal (STF) negou recurso da ex-presidente Dilma Rousseff que tentava anular o impeachment que a afastou da Presidência, em 2016.

A decisão do STF foi tomada no plenário virtual, em que os ministros votam por meio de um sistema interno de informática. Dilma contestava decisão do ministro Alexandre de Moraes que, no ano passado, entendeu que o pedido sequer deveria ser julgado, por ter perdido o objeto. Moraes argumentou que o mandato para o qual Dilma foi reeleita em 2014 teria acabado em 2018, segundo o G1.

No plenário virtual, o teor dos votos não foi divulgado. Apenas o ministro Edson Fachin, ao acompanhar o relator, fez ressalvas. Os demais ministros, à exceção de Celso de Mello, que está de licença, rejeitaram o recurso sem ressalvas. O ministro Ricardo Lewandowski se declarou impedido.

Dilma foi afastada do cargo em 12 de maio de 2016 e perdeu definitivamente o mandato em 31 de agosto daquele ano. Então vice-presidente, Michel Temer assumiu o Palácio do Planalto. Na opinião da maioria dos senadores, que votaram o impeachment, a então presidente cometeu crime de responsabilidade na edição de decretos de suplementação de crédito. Na ocasião, Dilma negou ter cometido crime, afirmando que o processo era um "golpe".

Após o impeachment ter sido aprovado pelo Senado, a defesa de Dilma recorreu ao Supremo. Os advogados argumentaram que o processo contrariou a Constituição. À época, o caso foi sorteado para o ministro Teori Zavascki. O ministro morreu em janeiro de 2017, e Moraes herdou o processo. A defesa de Dilma argumentou que a ex-presidente foi condenada com base em dois artigos da lei do impeachment, de 1950, que contrariam a Constituição de 1988.

O artigo 10 da lei regula o processo da perda do cargo e define como crime de responsabilidade "infringir, patentemente, e de qualquer modo, dispositivo da lei orçamentária". Esse artigo foi usado para enquadrar os decretos de Dilma. O outro é o artigo 11 da mesma lei, que define crimes de responsabilidade "contra a guarda e legal emprego dos dinheiros públicos", como por exemplo, "contrair empréstimo, emitir moeda corrente ou apólices, ou efetuar operação de crédito sem autorização legal".

FIFA autoriza testes de possíveis mudanças nas regras do futebol, como lateral com os pés e substituições ilimitadas; entenda

Sábado, 14 de Março de 2020

Foto: Ilustrativa

A FIFA deu autorização à Federação Holandesa para começar a testar um conjunto de cinco alterações nas regras do jogo. Na Alemanha a suspensão temporária será colocada em prática nos escalões amadores.

A evolução de outras modalidades tem aumentado a concorrência com o futebol e responder à angústia de agentes e adeptos é a maior preocupação de alguns responsáveis pelo futebol, em função disto a FIFA deu sinais de que está atenta ao clima de mudanças que se anuncia.

A FIFA costuma testar algumas alterações antes de a International Board (IFAB) aprová-las e averiguar até que ponto poderão ter um efeito positivo na modalidade, o organismo liderado por Gianni Infantino deu sinal verde à Federação Holandesa (KNVB) para testar cinco alterações às regras. E na Alemanha também se vivem tempos de experimentação.

Reuniram-se em Zeist, nos Países Baixos, no começo de março, representantes das federações da Alemanha, de Inglaterra, da Bélgica e dos EUA, tendo como ponto central da agenda o aperfeiçoamento e a “democratização” do VAR. A intenção é tornar a tecnologia tão acessível quanto possível para alargar a sua utilização a um maior número de países e de competições, já que um dos princípios das regras é justamente a igualdade. Porém, acabou por ser a discussão em redor das regras e do tempo útil de jogo as principais atenções ao término do encontro.

As ideias debatidas foram cinco: a reposição da bola em jogo com os pés caso saia pela linha lateral, a cobrança de uma falta de e para o mesmo jogador (o denominado auto-passe, onde não se puniria mais o que chamamos de “bitoque”), substituições ilimitadas, contagem do cronômetro apenas quando a bola estiver em jogo e períodos de exclusão por amostragem de cartões.

É possível observar que algumas regras são oriundas de outras modalidades, como o futsal, por exemplo, mas também há novidades.

“Discutimos estes tópicos com diferentes grupos, que envolviam treinadores, adeptos, jogadores e atletas jovens, e acabamos sempre por chegar à estas cinco questões”, explicou Gijs de Jong, secretário-geral da KNVB. “É por isso que queremos ver se somos capazes de testar regras diferentes”, acrescentou, aludindo a uma implementação gradual e cuidadosa: “Podemos experimentar nas camadas jovens até o sub-19, por exemplo, ou no futebol não competitivo ou até numa prova a eliminar no longo prazo”.

Algo relevante é justamente as discussões incluírem não somente ex-árbitros, mas também outras pessoas ligadas diretamente à prática da modalidade como jogadores e treinadores.

O dirigente da KNVB mostra-se alerta à necessidade de adaptar o futebol às atuais exigências do mercado. “É o nosso dever pensar em mudanças que tornem o futebol mais atrativo sem alterar a sua essência. Não são medidas para aplicar amanhã ou em cinco anos. É algo mais a prazo. Não se trata de uma revolução, mas de uma evolução”.

Uma das maiores preocupações dos adeptos, a avaliar pelos resultados de diferentes estudos, é a constante quebra do ritmo do jogo. “Em média, o tempo efetivo de jogo é geralmente de apenas 50 minutos. É por isso que também queremos testar estas medidas”, acrescenta Gijs de Jong, ciente de que há muitas outras modalidades em real crescimento e que a entrada de algumas no calendário olímpico mostra como a atenção dos jovens é hoje canalizada para outras áreas. “Queremos tornar o futebol à prova do futuro. O mundo está mudando tão depressa que não podemos ficar parados”.

Movimentações idênticas estão também para acontecer na Alemanha. A Federação Germânica (DFB) anunciou que irá testar, a partir da próxima época, as suspensões temporárias como sanção a aplicar em caso de um segundo cartão amarelo, ao invés da expulsão.

Na prática, o organismo está a dar resposta a um pedido de uma das divisões amadoras do estado de Hesse, que pretende avançar com um projeto-piloto. A experiência começará em 2020/21 a nível distrital (do oitavo escalão da hierarquia para baixo), será aplicada por um período de dois anos e, por enquanto, somente no futebol masculino.

Trata-se, no fundo, de dar forma a uma solução de outras modalidades (como o handebol ou o hóquei em patins), prevendo a saída do campo de jogo, por um período determinado, de um jogador que tenha recebido o segundo cartão amarelo. Cumprido o tempo de suspensão, o jogador regressará e só em caso de voltar a ser amarelado será definitivamente expulso.

Esta experiência só pode avançar porque os regulamentos da FIFA preveem que as regras ao nível das categorias de formação e do futebol amador possam ser ajustadas em consonância com as federações nacionais.

Desta forma, mesmo que não a curto prazo, a FIFA começa a dar novos passos para grandes mudanças no futebol, onde os impactos táticos aumentem o entretenimento de uma partida.

Fonte: Blog Lei em Campo – UOL

Coronavírus: Coreia do Sul vira exemplo com queda de casos e poucas mortes

Sábado, 14 de Março de 2020

(Chung Sung-Jun/Getty Images)

Após registrar uma onda de contaminação, a Coreia do Sul conseguiu reduzir significativamente o número de novos casos da coronavírus, mantendo uma taxa de mortalidade relativamente baixa.

Na quarta-feira (11), a Coreia do Sul registrava 7.755 casos confirmados, sendo o quarto país mais afetado hoje no mundo. O número de novos casos caiu consideravelmente, porém, e apenas 60 pessoas morreram até agora.

Isso faz da Coreia do Sul um modelo na luta contra a epidemia?

Ao contrário da China, que optou por confinar milhões de pessoas, a Coreia do Sul adotou uma estratégia que combina informações ao público, participação da população e uma campanha de testes em massa.

Os parentes de todas as pessoas contaminadas são procurados sistematicamente para que façam testes.

Antes de serem diagnosticados positivos, os deslocamentos dos pacientes são rastreados através de imagens de videovigilância, uso do cartão de crédito, ou situação de seu telefone celular, e depois publicados. Mensagens por SMS são enviadas às pessoas, quando um novo caso é detectado perto de suas casas, ou trabalho.

Essa estratégia levantou questões sobre a proteção da privacidade, mas levou muitos a serem testados.

A Coreia do Sul fez mais testes do que qualquer outro país, a uma taxa de cerca de 10.000 por dia, o que tornou possível enfrentar as fontes de infecção muito cedo.

Como faz tantos testes?

Na quarta-feira, o número total de testes realizados era de 220.000. O país tem 500 clínicas habilitadas para realizá-los, incluindo cerca de 40 delas móveis, para reduzir os contatos entre pacientes em potencial e profissionais de saúde.

A Coreia do Sul aprendeu com seus próprios erros e, principalmente, com a falta de evidências disponíveis em 2015 quando a crise da Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers) ocorreu.

Desde então, acelerou os procedimentos para colocar testes no mercado e, poucas semanas após o aparecimento do coronavírus na China, a Coreia do Sul autorizou o fornecimento às clínicas de um novo teste para diagnosticar o Covid-19 em seis horas.

Como a população reagiu?

As autoridades lançaram uma campanha de “distanciamento social”, pedindo às pessoas que ficassem em casa, evitassem grandes aglomerações e reduzissem contatos.

Isso resultou no esvaziamento de bairros muito frequentados, enquanto bares e restaurantes tiveram dificuldade em atrair clientes.

Muitos eventos esportivos e culturais foram cancelados, e o uso da máscara protetora se generalizou, conforme solicitado pelo governo.

Por que a taxa de mortalidade é tão baixa?

Hoje é impossível calcular com precisão a taxa de mortalidade do Covid-19, que será conhecida exatamente somente após a epidemia.

A observação de números transmitidos pelo governo dá, porém, a impressão de uma mortalidade muito mais baixa na Coreia do Sul do que em outros lugares.

Vários fatores explicam essa impressão.

A campanha de testes tornou possível o atendimento precoce dos doentes. Sua amplitude facilitou a apresentação de muito mais possibilidades de localizar pacientes que apresentavam nenhum ou poucos sintomas e que não foram testados em outros países. Conseguir localizar mais pessoas doentes reduziu matematicamente a taxa de mortalidade.

Além disso, a população infectada na Coreia do Sul tem um perfil único, pois a maioria é mulher e cerca da metade tem menos de 40 anos de idade.

As autoridades explicam isso pelo fato de que mais de 60% dos casos de contaminação estão relacionados à Igreja Shincheonji de Jesus, uma organização religiosa. A maioria de seus membros é formada por mulheres, muitas entre 20 e 30 anos.

Sabe-se que a taxa de mortalidade por coronavírus aumenta com a idade, e aqueles com mais de 80 anos – e homens em particular – são os com maior risco.

Coreia do Sul, exemplo a seguir?

“Os testes são um passo inicial crucial no controle de um vírus”, diz Masahiro Kami, do Instituto de Pesquisa de Políticas Médicas de Tóquio. “Portanto, um bom modelo para todos os países”, completou.

A Coreia do Sul “agiu rápido e bem”, aponta Marylouise McLaws, da Universidade de New South Wales.

“É muito difícil para as autoridades decidirem aplicar medidas tão fortes. Geralmente isso é feito tarde”, observou.

Exame, com AFP

IMPORTANTE LER CADA UMA: Quem chegar do exterior deve se isolar por sete dias mesmo sem sintomas, diz Saúde; veja lista de recomendações gerais

Foto: Reprodução/TV Globo
O Ministério da Saúde recomendou, nesta sexta-feira (13), que viajantes internacionais que cheguem ao Brasil fiquem em isolamento domiciliar por 7 dias, mesmo que não tenham sintomas de Covid-19. A pasta orienta, também, que grandes eventos sejam cancelados ou adiados.
Segundo o ministério, viajantes internacionais devem procurar uma unidade de saúde se, durante esse isolamento, tiverem falta de ar (dispneia), ou febre com tosse. No caso de falta de ar, deverá ser procurada uma unidade de referência.
As pessoas com sintomas devem ficar em isolamento domiciliar por até 14 dias. Na quinta-feira (12), a pasta anunciou que pessoas que tiverem contato com infectados pelo vírus também poderiam ser colocadas em isolamento, conforme recomendação médica.
A possibilidade de quarentena, que é a restrição de movimento decretada oficialmente por uma autoridade, seria a última medida adotada por cada gestão local, se houver 80% de ocupação dos leitos de UTI disponíveis para a resposta ao Covid-19. Essa decisão deve ser avaliada e adaptada conforme o local.
As medidas estão entre as divulgadas a todos os estados para o combate ao novo coronavírus no Brasil. (Veja lista completa mais abaixo nesta reportagem).
Se as ações propostas não forem adotadas, é possível que o número de casos no país dobre a cada três dias, segundo o Ministério da Saúde. Até quinta-feira (12), o Brasil tinha 77 casos confirmados, de acordo com a pasta, mas alguns ainda não haviam entrado na contagem oficial.
“O objetivo não é impedir, é reduzir velocidade de transmissão para que o sistema de saúde consiga se manter ativo”, explicou o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira.
Ele lembrou que, por conta da mudança de tempo, com a chegada do inverno na próxima semana, começará a sazonalidade de doenças respiratórias – entre elas o coronavírus. Por isso, medidas não farmacológicas – como evitar o contato entre as pessoas e lavar as mãos – deverão ser adotadas.
Veja recomendações do Ministério da Saúde para combate à Covid-19:
Atendimento médico
As pessoas com sintomas não devem procurar unidade de saúde se:
tiverem apenas tosse;
tiverem apenas coriza;
tiverem apenas coriza e mal-estar ou sensação de moleza no corpo;
tiverem apenas febre;

Nas situações acima, a recomendação do Ministério da Saúde é que se entre em contato com o número 136 para que uma equipe de saúde possa dar orientações.
Quem tiver falta de ar (dispneia) deve procurar uma unidade de referência para atendimento.
Comportamentos individuais recomendados
Ao tossir ou espirrar, deve-se utilizar o antebraço ou um lenço, que deve ser descartado.
Lavar as mãos com frequência e ficar em casa se estiver doente.
As máscaras são indicadas para pessoas que estão doentes, têm contato domiciliar com doentes e para os profissionais de saúde.
Evitar apertos de mão, não compartilhar alimentos e bebidas, aumentar a distância social, reduzir a exposição a lugares lotados.
Idosos e doentes crônicos devem evitar locais com aglomeração: cinema, shoppings, shows e viagens.
Mudar rotina no transporte público.
Fazer exercícios ao ar livre. Academias podem estimular horários alternativos e reforçar higiene de equipamentos.
Comprar suprimentos que devem estar sempre à mão, para evitar sair se ficar doente ou precisar cuidar de alguém doente. Ao mesmo tempo, fazer isso de forma racional e evitar compras desnecessárias.
Quem usa medicamentos contínuos deve pedir prescrições com validade mais prolongada, para evitar ter que ir a uma unidade de saúde no período entre o outono e o inverno.
Fazer compras fora do horário de pico.
Empresas e instituições de ensino
Responsáveis por shoppings e comércio devem permitir lavar as mãos com frequência, usar álcool 70%, disponibilizar toalhas descartáveis e limpar o ambiente com mais frequência – incluindo pisos, corrimões, maçanetas. O ventilador é um complemento.
Empresas devem incentivar reuniões virtuais, cancelar viagens que não sejam essenciais e usar o home office (trabalho remoto). Também devem adotar horários alternativos e escalas diferenciadas para os trabalhadores, para que haja menos pessoas circulando em horários de pico.
Instituições de ensino devem planejar a antecipação de férias – para diminuir o prejuízo ao calendário escolar – mudar horários de aulas e usar ferramentas de ensino a distância.
Eventos
Eventos com concentração próxima de pessoas – sejam governamentais, esportivos, artísticos, culturais, políticos, científicos, comerciais ou religiosos – devem ser cancelados ou adiados se houver tempo hábil. Se isso não for possível, a recomendação é que o evento ocorra sem público. A recomendação vale tanto para eventos em massa como para aqueles em local fechado.
Cruzeiros turísticos também devem ser adiados enquanto o período de emergência em saúde pública estiver em vigor.
Velórios de pessoas que morreram por infecção de Covid-19 devem acontecer sem aglomeração de pessoas.
Sistemas de saúde
A depender da situação, trabalhadores de saúde devem usar equipamentos de proteção individual.
Os serviços de saúde deverão fazer triagem mais rápida dos casos, para que pessoas com sistemas respiratórios passem menos tempo em salas de espera. Vacinações devem ser feitas em áreas abertas.
Os sistemas de saúde também devem planejar a ampliação das equipes, com estagiários, estudantes e aposentados e realizar campanhas de sensibilização da população.
Nas UTIs, devem ser monitoradas as admissões e as altas relacionadas ao Covid-19. Secretarias municipais devem ter atualizações diárias desses dados.
Ao G1, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirmou que não tem como comentar a recomendação do Ministério da Saúde.
No dia 6 de março, a agência havia recomendado que passageiros provenientes de países da América do Norte, Europa e Ásia e que apresentassem sintomas como febre, coriza, tosse e falta de ar poderiam ser considerados suspeitos de Covid-19. A Anvisa reforçou que quem entrasse nesse perfil deveria procurar atendimento médico de imediato.
Globo

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055