martins em pauta

sábado, 22 de novembro de 2014

VÍDEO:SECRETARIA DE SEGURANÇA DIVULGA IMAGENS DO MOMENTO EM QUE ADOLESCENTE ATIRA EM ESTUDANTE NA ESCOLA


SÁBADO, 22 DE NOVEMBRO DE 2014
A Secretaria de Segurança de João Pessoa divulgou na tarde desta sexta-feira (21) as imagens das câmeras de segurança que mostram o momento em que um adolescente atirou numa estudante dentro da escola Violenta Formiga, no bairro de Mandacaru, em João Pessoa. As imagens mostram o acusado subindo a rampa da escola e o momento em que ele atira três vezes na estudante. Logo em seguida, o acusado desce a rampa tranquilamente como se nada tivesse acontecido, enquanto os colegas tentam socorrer a jovem. No momento em o adolescente estava saindo da escola, uma funcionária tenta conversar com ele que não dar atenção, levanta a camisa e mostra que está armado. Logo em seguida, o acusado se dirige ao portão de entrada da escola e, com medo, o porteiro abre o portão e ele foge correndo, pula a grade da escola e vai embora.

 
Paulo Cosme Portal Paraiba


fonte: Passando na Hora

Homicida foragido da justiça do Ceará foi recapturado pela Rocam 4 em Mossoró no Rio Grande do Norte


Sábado, 22 de Novembro de 2014





Policiais da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas - Rocam 04 sob o comando do Sargento Miguel,com apoio dos Soldados Antônio Hélio,Marcílio e Jucenário,recapturaram no final da tarde desta sábado 22 de novembro um foragido da justiça de Tabuleiro do Norte,no estado do Ceará. 


Franck Arlan Alves Praxedeas,29 anos de idade,foi preso sob força de mandado de prisão preventiva,expedido pela justiça do Ceará. 

Os Policiais da Rocam 04 localizaram e prenderam o foragido no sítio Piqueirí,localizado as margens da BR 110 sentido Mossoró/Areia Branca. 

Franck Arlan foi condenado a mais de 20 anos de prisão, por homicídio qualificado em Tabuleiro do Norte no Ceará. Ele também é suspeito de praticar assaltos em Mossoró. 

Após recapturado,o foragido foi encaminhado a Delegacia de Plantão no Alto São Manoel,onde será conduzido a Cadeia Pública e depois deverá ser transferido para um presídio do Ceará.




Fonte: Fim Da Linha

Detento do regime Semi Aberto da Penitenciária Mário Negócio foi pego com revolver dentro do presídio em Mossoró

Sábado, 22 de Novembro de 2014



Um detento do regime semi aberto da penitenciária Agrícola Mário Negócio em Mossoró no Rio Grande do Norte,foi flagrado por agentes penitenciários tomando cerveja e armado de revolver calibre 38,dentro do presídio. 

A ocorrência audaciosa,foi registrada no final da manhã deste sábado 22 de novembro naquele núcleo prisional. 

Patrick do Nascimento Patrício vulgo Peteca,que cumpre pena na PAMN por assaltos (artigo 157),foi,conduzido a Delegacia de Plantão no Alto São Manoel para procedimentos na Polícia Civil. 

Após retomar à Penitenciária,o detento será encaminhado para o regime fechado,por indisciplina dentro do sistema prisional.



Fonte: Fim da Linha

Morreu no final da noite de ontem no Tarcísio Maia "Calé" o mais antigo funcionário do Itep em Mossoró

Sábado, 22 de novembro de 2014


Morreu no final da noite de ontem, 21 de Novembro, no Tarcísio Maia o mais antigo funcionário do Itep em Mossoró: Israel Sarmento Nunes "Calé" 62 de idade. Ele sentiu-se mau no trabalho no inicio da semana, foi levado ao hospital e morreu no final da noite de ontem.

O corpo de Calé está na sede Regional do Itep, no bairro Nova Betania, mas será velado no Centro de Velorio da Sempre, em frente ao Tiro de Guerra, na Rua Melo Franco no Centro da cidade.

Calé trabalhou como motorista no orgão, mas ultimamente estava tirando seus plantões como recepcionistas.


Fonte: O Câmera

Previdência paga segunda parcela do 13º salário a partir da próxima segunda-feira (24)

Sábado, 22 de novembro de 2014

dinheiro

Os depósitos da segunda parcela do 13º salário para os segurados da Previdência Social começam na próxima segunda-feira (24) juntamente com o pagamento da folha de novembro que segue até o dia 5 de dezembro. No total, 27,6 milhões de benefícios terão direito ao 13º salário. Serão investidos R$ 14,4 bilhões nesta parcela da gratificação natalina.



Fonte: J.Belmont

Bactéria fecha UTI neonatal do Hospital da Mulher Maria Parteira Correia de Mossoró

Sábado, 22 de novembro de 2014


Edinaldo Moreno/Da redação

A UTI Neo Natal do Hospital da Mulher Parteira Maria Correia está fechada devido a presença de uma bactéria resistente. O diretor da unidade hospitalar confirmou à reportagem do De Fato.com que os trabalhos de desinfecção deverão ser finalizados ainda neste sábado.

Segundo ele, a UTI deverá ser liberada dentre 48 horas e que o problema foi resolvido. “Entre hoje (sábado) e amanhã (domingo) ele deverá está totalmente liberada. O trabalho de desinfecção está ocorrendo e a expectativa é que ela termine ainda hoje”, disse Inavan Lopes.

Perguntado sobre o que tinha provocado a contaminação da UTI Inavan explicou que ainda não sabe. O diretor ressaltou que a unidade recebe muitas crianças de outros locais e não tem como definir como está bactéria se instalou por lá. “Não temos ainda como dizer onde foi o foco inicial. O Hospital da Mulher recebe muitas crianças de outras unidades hospitalares”.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil em Mossoró (OAB Mossoró), Ocivaldo de Sá Leitão, informou que o órgão está averiguando a situação e vai adotar medidas necessárias para solucionar o problema no Hospital da Mulher, como também no Hospital Regional Tarcísio Maia. Ele ainda explica que a comissão vem acompanhando desde o início o caos na saúde no município

As crianças foram transferidas para um outro local da unidade. Inavan Lopes confirmou que 6 crianças estão internadas.


Fonte: J. Bemont


E-mails provam que Lula e Dilma poderiam ter interrompido o propinoduto

Sábado, 22 de novembro de 2014 


O doleiro Alberto Youssef disse à Justiça que Lula e Dilma sabiam do esquema de corrupção na Petrobras. Agora, mensagens encontradas pela PF em computadores do Planalto mostram que eles poderiam ter interrompido o propinoduto, mas, por ação ou omissão, impediram a investigação sobre os desvios


Por Robson Bonin e Hugo Marques

Antes de se revelar o pivô do petrolão, o maior escândalo de corrupção da história contemporânea brasileira, o engenheiro Paulo Roberto Costa era conhecido por uma característica marcante. Ele era controlador e centralizador compulsivo. À frente da diretoria de Abastecimento e Refino da Petrobras, nenhum negócio prosperava sem seu aval e supervisão direta. Como diz o ditado popular, ele parecia ser o dono dos bois, tamanha a dedicação. De certa forma, era o dono — ou, mais exatamente, um dos donos —, pois já se comprometeu a devolver aos cofres públicos 23 milhões de dólares dos não se sabe quantos milhões que enfiou no próprio bolso como o operador da rede de crimes que está sendo desvendada pela Operação Lava-Jato. Foi com a atenção aguçada de quem cuida dos próprios interesses e dos seus sócios que, em 29 de setembro de 2009, Paulo Roberto Costa decidiu agir para impedir que secassem as principais fontes de dinheiro do esquema que ele comandava na Petrobras. Costa sentou-se diante de seu computador no 19º andar da sede da Petrobras, no Rio de Janeiro, abriu o programa de e-mail e pôs-se a compor uma mensagem que começava assim:

“Senhora ministra Dilma Vana Rousseff…”.

O que se segue não teria nenhum significado mais profundo caso fosse rotina um diretor da Petrobras se reportar à ministra-chefe da Casa Civil sobre assuntos da empresa. Não é rotina. Foi uma atitude inusitada. Uma ousadia. Paulo Roberto Costa tomou a liberdade de passar por cima de toda a hierarquia da Petrobras para advertir o Palácio do Planalto que, por ter encontrado irregularidades pelo terceiro ano consecutivo, o Tribunal de Contas da União (TCU) havia recomendado ao Congresso a imediata paralisação de três grandes obras da estatal — a construção e a modernização das refinarias Abreu e Lima, em Pernambuco, e Getúlio Vargas, no Paraná, e do terminal do Porto de Barra do Riacho, no Espírito Santo. Assim, como quem não quer nada, mas querendo, Paulo Roberto Costa, na mensagem à senhora ministra Dilma Vana Rousseff, lembra que no ano de 2007 houve solução política para contornar as decisões do TCU e da Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional.

Também não haveria por que levantar suspeitas se o ousado diretor da Petrobras que mandou mensagem para a então ministra Dilma Rousseff fosse um daqueles barnabés convictos, um “caxias”, como se dizia antes nas escolas e no Exército de alguém disposto a arriscar a própria pele em benefício da pátria. Em absoluto, não foi o caso. Paulo Roberto Costa, conforme ele mesmo confessou à Justiça, foi colocado na Petrobras em 2004, portanto cinco anos antes de mandar a mensagem para Dilma, com o objetivo de montar um esquema de desvio de dinheiro para políticos dos partidos de sustentação do governo do PT. Ele estava ansioso e preo­cupado com a possibilidade de o dinheiro sujo parar de jorrar. É crível imaginar que em 29 de setembro de 2009 Paulo Roberto Costa, em uma transformação kafkiana às avessas, acordou um servidor impecável disposto a impedir a paralisação de obras cruciais para o progresso da nação brasileira? É verdade que às vezes a vida imita a arte, mas também não estamos diante de um caso de conversão de um corrupto em um homem honesto da noite para o dia.

Fonte: www.veja.com.br/ Carlos Skarlack

Casa de comandante da PM é alvo de tiros na madrugada na Grande Natal

Sábado, 22 de novembro de 2014


A casa do comandante do 4ª Batalhão da Polícia Militar, o major Manoel Kennedy, foi alvo de vários tiros, na madrugada deste sábado (22), no município de São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal. 
De acordo com o comandante, ação aconteceu por volta das 4h10. 
“Acordei com o barulho dos disparos e como tenho dois vizinhos que também são policiais cheguei a pensar que fosse alguma ocorrência.
Corri para o lado de fora e foi quando vi o meu portão cravejado”, relatou. 
Ao todo, foram sete perfurações de pistola ponto 40, duas delas no porta-malas do carro que estava na garagem. 
O major diz ainda que desconhece o que pode ter motivado tal ação, mas garante não ter inimigos declarados. 
“Reconheço que é impossível agradarmos a todos, mas tento fazer o meu trabalho da melhor maneira possível. 
Nunca recebi ameaças, de nenhum tipo, então não sei o motivo disso ter acontecido”, explicou. 
Após a ação, o major comunicou o fato à Polícia Civil que vai instaurar inquérito para investigar o caso. 
Por Saulo de Castro – Foto: Foto: Montagem/PortalBO


Fonte: Serrinha Fato

Em entrevista, Seu Lunga disse que não gostava da fama de ‘ignorante’

Sábado, 22 de novembro de 2014 

Seu Lunga um dia disse que fama de ignorante o incomodava.

Foi em março de 2009, quando foi entrevistado das Páginas Azuis do jornal cearense ‘O Povo’.

Leia a entrevista


Thiago Cafardo e Cláudio Ribeiro

Enviados a Juazeiro do Norte

A rotina do senhor Joaquim dos Santos Rodrigues, de 81 anos, é comum a tantos outros comerciantes da rua Santa Luzia, no Centro de Juazeiro do Norte. Acorda cedo, por volta das 5 horas, toma café e sai de casa para abrir sua sucata. Lá, vende de “tudo um pouco”. Ventiladores, televisores, pregos, parafusos, borrachas, espelhos e uma infinidade de produtos antigos. Joaquim poderia ser apenas mais um comerciante anônimo da cidade. Poderia, não fosse o imaginário popular, alimentado principalmente pela literatura de cordel.

Seu Lunga, como é conhecido desde “menino novo”, já ganhou status de “celebridade” em todo o Estado. Ou melhor, no País. As piadas sobre suas respostas grosseiras permeiam as mesas de bares nas conversas entre amigos ou nos programas de humor. Impossível não achar graça. Menos para o próprio Lunga. A fama de “zangado, ignorante” o incomoda. Chega a ficar com os olhos marejados ao falar sobre as piadas atribuídas a ele. “Nenhuma dessas histórias é verdade. É tudo inventado”, diz.

Cada volume do cordel escrito em “homenagem” a seu Lunga tem 157 histórias. E já está na sexta edição. O título: “O homem mais ignorante do mundo”. Os cordelistas são, inclusive, o principal alvo da mágoa de seu Lunga. “Eles ficam falando da minha pessoa, dizendo o que eu não sou”, lamenta.

A conversa com os repórteres do O POVO durou pouco mais de 40 minutos. No começo, ao perceber que se tratava de uma equipe de imprensa, seu Lunga relutou. Pensou que os jornalistas quisessem apenas tripudiar sobre sua fama de zangado. “Olhe, eu não tenho o que dizer. Tem um camarada aqui perto que é professor, dentista. Ele dá uma entrevista bem bacana a vocês”, sugeriu.

Aos poucos, seu Lunga foi se soltando e transformou a conversa num agradável bate-papo. Falou sobre sua devoção a Padre Cícero, riu, e fez questão de mostrar seu lado poeta. “Minhas poesias são mais sobre mulher”, disse ele, às gargalhadas. Veja abaixo, na íntegra, como foi o papo com o homem mais popular de Juazeiro do Norte (depois do padim, claro), desde a chegada da equipe do O POVO à sua loja.



O POVO – Boa tarde, seu Lunga. Como vai?

Seu Lunga – Pois não.

OP – Somos do jornal O POVO, de Fortaleza. Podemos conversar com o senhor? São só algumas perguntas…

Seu Lunga – Às vezes, muita gente vem com umas perguntas, umas conversas tão bestas aqui. Que prejudica a gente.

OP – Que tipo de conversa besta o pessoal tem com o senhor?

Seu Lunga – Olha, muita gente chega aqui (no comércio) e diz: “Isso aqui é para vender?”. É pergunta besta. Aí querem que eu dê uma resposta grosseira. Isso faz mal à gente. Você está ocupado e o camarada chega perguntando bobagem…

OP – Mas a nossa intenção não é essa, não…

Seu Lunga – Tem um camarada aqui, que se vocês forem lá ele dá uma entrevista bacana. O nome dele é Geraldo Menezes. Ele é um professor, um dentista…

OP – A nossa intenção é conhecer um pouco mais sobre o senhor, seu Lunga. O senhor é nascido onde, em qual município?

Seu Lunga – Eu nasci aqui mesmo (Juazeiro do Norte).

OP – Qual a idade do senhor?

Seu Lunga – Completei 81 anos. Já estou dentro do 82. Nasci em 1927, no dia 18 de agosto.

OP – O senhor está muito bem…

Seu Lunga – É. Pra quem já tem 81…

OP – O senhor já trabalhou com o que, além de vender (tem uma loja no Centro de Juazeiro que vende de tudo)?

Seu Lunga – Eu nasci aqui, mas passei uns tempos morando no município de Assaré. Fui para lá menino. Tinha 20 anos. Minha origem de eu ter vindo para cá foi uma queda… Lá nós criávamos todo tipo de bicho: porco, carneiro, galinha, cavalo, burro, boi e vaca. Agora, sempre que era no fim das águas (época de seca), a lagoa de lá secava. A gente cavava um buraco para dar água aos bichos. Então eu escapolí da boca do buraco com 23 metros de fundura. Se eu tivesse caído de ponta, assim, tinha quebrado o pescoço. Mas eu caí de chapa (inteiro) no buraco. Porque a cacimba era com madeira, na boca. Aí escorreguei… Quando escorreguei, o corpo deu um balanço assim (mostra com as mãos o movimento do corpo) e caí de chapa.

OP – Aí o senhor veio a Juazeiro para se tratar?

Seu Lunga – Eu vim para me tratar. Vim com meu pai. Depois, eu fiquei e meu pai voltou. Fiquei trabalhando numa oficina de ourives. Passei uns tempos nessa oficina.

OP – Quanto tempo?

Seu Lunga – Eu vim para cá em 1947 já para 48. Passei até 1950 trabalhando de ourives. Olha aqui esse anel (mostra o anel no anelar da mão direita), fui eu que fiz. É de rubi. Aí, comecei a negociar cereais. Meu pai trouxe uma tia minha e uma irmã para ficar comigo. Fiquei numa casa lá no caminho do Horto. Aí entendi de me casar, me casei, e minha irmã voltou para lá com minha tia. E eu fiquei, negociando aqui no mercado. Passei uns anos negociando. Depois comprei um motor aqui na rua São Paulo. Naquele época não tinha energia elétrica. Aí comprei as máquinas com o motor. Eu pilava arroz, torrava café, vendia massa de milho, a palha do milho, do arroz… Em 1960, comprei esses dois prédios aqui (onde funciona sua oficina) e queria continuar, mas na época teve uma lero-lero (burocracia) danado. E eu não quis. Então, botei a oficina lá atrás e um camarada consertando televisão, rádio. Agora, de uns tempos desses para cá as coisas “fracaram” e tô só com essa bagaceira de coisas aqui.

OP – Por que as pessoas gostam de brincar com o senhor sobre sua zanga?

Seu Lunga – Olhe, nós estamos num Brasil sem moral. Num Brasil sem respeito. Num Brasil sem Justiça. Porque tem um senhor aqui que escreve uns folhetozinhos (cordel) falando da minha pessoa. Dizendo o que eu não sou, inventando histórias, inventando isso e aqui outro, dizendo que sou o homem mais ignorante do mundo. Mais zangado do mundo. E fica inventando cada vez mais histórias. E o povo compra esses folhetos.

OP – E o senhor fica chateado com isso? Essa fama incomoda?

Seu Lunga – Claro. Todo mundo fica. Você fica satisfeito com o cabra te chamando de fresco? De ladrão? Maconheiro? Sem vergonha? Então, eu não gosto dessa fama.

OP – O senhor se considera um homem feliz depois de tanto tempo aqui em Juazeiro?

Seu Lunga – A pessoa feliz é da pessoa. Agora, tem gente… Chegou aqui um povo vindo de Minas. O rapaz me perguntou: “Seu Lunga, por que o povo lhe chama de ignorante?”. Eu olhei pra ele e disse: “Rapaz, eu acho que o povo me chama de ignorante porque sei ler, sei escrever, sei as operações de conta. Aí, de minha teoria, eu criei um bocado de poesias…”

OP – O senhor faz poesias?

Seu Lunga – Não, eu não faço. Agora, eu faço um discurso, eu crio um discurso da criatura que morre, que deixa a vida material para a vida espiritual, fazendo uma despedida da vida eterna.

OP – Como é isso? Recite umas para a gente, só um trecho.

Seu Lunga – Assim: “Meu amigos, eis aqui o destino / Nós estamos aqui reunidos, assistindo a separação dessa criatura que vai deixando a vida material para a vida espiritual / Nós aqui com o coração cheio de dor, de lembrança e de recordação / Dos dias felizes que nós passamos aqui na terra, junto a esta criatura e hoje ele dá um Adeus deixando a recordação a seus irmãos, a seus filhos, a seus amigos, a seus parentes / Nós, aqui tristes, sentindo essa separação, mas lá está Jesus, de braços abertos, esperando a sua chegada com seus familiares / Pai, irmão, tio e mãe estão lá comemorando a sua chegada e nós, aqui, com o coração transportado de tristeza, de separação”. E por aí vai…

OP – Isso o senhor fez?

Seu Lunga – Eu crio. Criei uma poesia… Aliás, minhas poesias são mais sobre mulher (risos).

OP – Diz uma para a gente…

Seu Lunga – Peraí. Vou dizer mais de uma. Diz assim: “A mulher pra ser bonita, precisa ser alta e bela / Tendo um corpo desenhado, morena cor de canela / Mas os rapazes da Ribeira estão tudo loucos por ela”. E então?

OP – Ótima. O senhor tem alguma de Juazeiro, do Cariri?

Seu Lunga – Pera. Outra de mulher: “Se a beleza dessa jovem fosse numa Imperatriz / Se o homem do nosso Estado tivesse a sorte feliz / Tivesse ela como esposa seria o mais rico do País”. Então, é boa? Outra da mulher: “Quem me dera ser um pássaro, para no mundo voar / Eu ia para o oceano, depois podia voltar / Mas ia cair em teus braços somente para consolar”. E aí, boa?

OP – Boa sim. Então, o senhor tem sobre o Juazeiro, sobre o Cariri?

Seu Lunga - Não. Quero dizer, só assim algumas palavras. Tem uma que diz assim: “Terra boa o Cariri, tem mangaba e tem pequi / E ao redor de sete léguas, tem muito ‘fí duma égua’ que nega até um pequi”. (risos).

OP – (risos) O senhor tem outras de Juazeiro?

Seu Lunga – Olha, eu fiz uma poesia de caçador: “O pobre do caçador, com fome, descalço e nu, vai à noite pra caçada / Enquanto o tatu na dormida, pouco demora, dá um pulo e vai simbora por ter desgosto da vida”. É como o velho. Não queira ficar velho porque eu fiz uma poesia com velho.

OP – O senhor fez uma poesia com velho? Mas não é pensando no senhor não, né?

Seu Lunga – Não, mas é a mesma coisa (risos). Tanto faz como tanto fez. “Disse o pobre do velho mais a velha, quando vão se deitar, a colcha toda rompida / E um puxa e o outro puxa / E viver aquela sina dá desgosto na vida”. Agora eu fiz uma poesia que diz assim: “Quem não mora muito longe, morando perto é vizinho / Encostado a esta mata, mata que tem espinho / Cada pau tem o seu galho, cada galho tem um ninho / Não vou morar nessa mata por causa dos passarinhos”. Agora tem outra que diz assim: “Morava bem em Juazeiro / Me transportei daqui e fui morar em Salgueiro / Lá existe uma fazenda que só existe um mateiro / Existe também um boi, que é um grande boi madrugueiro / E eu montado em meu cavalo, cavalo muito ligeiro / E eu vou derribar o boi, cavalo, boi e vaqueiro”. Que tal?

OP – Boa demais. Seu Lunga, o senhor tem poesia sobre o Ceará?

Seu Lunga – Não…

OP – O senhor tem essa fama que lhe chateia, mas estamos desfazendo completamente a imagem que o pessoal fazia do senhor.

Seu Lunga – É… (suspira). Ainda bem.

OP – O senhor conta piada?

Seu Lunga – Não, não gosto de piada. Não gosto de piada e aí, tem muito desses camaradas que fazem os cordéis, que botam muita piada. Aí o cabra num vai gostar. Se você ler o cordel com as histórias, nenhuma é minha. Tem um (livro) aí que tem 157 histórias da minha pessoa. Nenhuma é verdade. Nem pensar em ser verdade.

OP – Tudo inventado?

Seu Lunga – Inventado. E histórias de vagabundo. Olha, eles contam aí que eu fui ao açougue. E cheguei lá e comprei uma cabeça de porco. Quando cheguei em casa a mulher disse: “Pra que é?” E eu disse: “Pra criar”. Escuta, eu nunca comprei cabeça de porco. Outros contam que eu estava arrumando as telhas e quebrei as telhas tudinho. Outro conta que eu vinha com um balde de leite, eu nunca carreguei balde de leite. Aí o cabra perguntou: “Seu Lunga, pra que é?”. E eu: “Pra lavar a calçada, e joguei o leite”. Histórias sem pé nem cabeça.

OP – Seu Lunga, como é o nome do senhor?

Seu Lunga - Meu nome mesmo é Joaquim Santos Rodrigues.

OP – O senhor é pai de quantos filhos?

Seu Lunga – Sou pai de 13 filhos.

OP – Treze? Todos ainda vivos?

Seu Lunga – Morreu um agora. São três homens e 10 mulheres.

OP – Seu filhos também não gostam dessas histórias que inventam do senhor, né?

Seu Lunga – Não, claro que não. Essas histórias que o povo conta… Meus filhos admiram a minha pessoa, gostam de mim. Mas eles não acham bom.

OP – Seu Lunga, o senhor é nascido aqui em Juazeiro, saiu, mas já voltou há mais de 50 anos. O que o senhor mais gosta no Juazeiro.

Seu Lunga – Homi, eu gosto do Juazeiro mais por causa do Padre Cícero.

OP – O senhor é devoto dele também…

Seu Lunga – Sou, do Padre Cícero. Você tem muita história do Padre Cícero aqui. Eu ainda tenho fé que ele vai ser canonizado. Você pensando bem, a história do Padre Cícero que o povo contava tem muita coisa… Eu alcancei ele, mas quando ele morreu eu era muito pequeno. Ele morreu em 1934, eu tinha 6 anos.

OP – O senhor chegou a vê-lo alguma vez?

Seu Lunga – Cheguei, eu vi. Me lembro.

OP – Ele já trazia muita gente para cá mesmo?

Seu Lunga – O Padre Cícero tem muita história. O povo conta histórias dele ainda criança. Ele tinha seis anos, estudava no Crato. Aí, tinha uma escola lá e nesse tempo os meninos andavam de chapéu. Os meninos tinham inveja dele, porque ele era muito inteligente. Os professores gostavam muito dele, das conversas dele. Aí, os outros meninos compraram um outro chapéu e botaram no lugar do chapéu do Padre Cícero. E eles ficaram todos curiosos para saber o que o Padre Cícero ia fazer quando chegasse. Aí quando ele chegou, olhou, e não tinha mais graça de botar o chapéu. Não era o dele. Aí ele pegou o chapéu, colocou na parede e ficou sem…

OP – Era um chapéu igual ao que o senhor está usando?

Seu Lunga – Eu não sei como era o chapéu. Quando Padre Cícero era criança isso foi em em 1870, por aí. Então, aí o chapéu ficou pregado na parede. E os meninos saíram dizendo que Padre Cícero era feiticeiro, isso e aquilo outro. Tem muitas histórias dele. Tinha um senhor aqui, o Aureliano (Pereira da Silva). Ele já morreu, mas tem um bocado de filhos vivos. Ele mesmo me contou uma história que se passou com ele. Era garoto e foi a Barbalha, a cavalo. Naquele tempo não havia carro. Aí, lá, por volta de 11 horas ele encontrou Padre Cícero. Ele já tinha resolvido o problema dele e ficou acompanhando o Padre Cícero. E quando o sol se enterrou, Padre Cícero disse: Vamo simbora!”. E o camarada pensou: “Meu Deus, como é que nós vamos de noite, de Barbalha pra casa”. Mas eles foram indo, indo e encontraram uma casa. O padre mandou parar. Quando chegaram no terreno da casa, a mulher gritou lá de dentro: “Padre, eu mandei lá, o rapaz já foi duas vezes lá no Juazeiro e não lhe encontrou. E coisa e tal”. E Padre Cícero respondeu: “o que foi que houve?”. “Fulano morreu”, disse ela. E entraram na casa para ver o morto. Padre Cícero disse: “Morreu não, minha senhora”. Puxou o braço dele, apertou a mão e gritou: “Compadre fulano”. Aí o homem, que não estava morto, respondeu: “Me levante e vamos conversar”. O Padre Cícero ajudou o homem a se levantar e deu a extrema unção a ele. Conversou com ele e disse para a senhora: “Agora traga um vela que ele agora vai morrer, mas ele não tinha morrido ainda”. Aí colocou as mãos nele e o ajudou a morrer. Aureliano ficou abismado porque Padre Cícero tinha sentido, lá na estrada, que o compadre dele tava para morrer. Bem, Aureliano, depois disso, ele se casou. A mulher morreu. Casou-se de novo, a mulher morreu de novo. E ele adoeceu. A mãe dele mandou chamar Padre Cícero. Aí a mãe dele perguntou: “Padre, será que ele vai morrer”. E Padre Cícero respondeu: “Vai nada. Ele vai ficar bom. E olhe: ele ainda vai ser pai de 36 filhos”. Aí a mãe dele: “Mas padre, 36 filhos?”. O que se sabe é que ele ficou bom, casou-se mais quatro vezes e foi pai de 36 filhos.

OP – Como era Juazeiro nessa época?

Seu Lunga – Daqui pra lá não tinha casa. Padre Cícero disse uma vez no sermão: “Juazeiro vai emendar com Crato e Barbalha”. E não é que está emendando mesmo?

OP – Tem razão… Tchau, seu Lunga. Foi um prazer.

Seu Lunga – Até logo. Boa viagem.

*

Piadas atribuídas a seu Lunga

> Seu Lunga estava em sua casa, com sede. E manda seu sobrinho lhe trazer um pouco de leite. Daí o pobre do garoto pergunta: “No copo?” “Não. Bota no chão e vem empurrando com o rodo”.

*

> Seu Lunga estava no mercado com uma caixa de ovos. Daí perguntaram a ele: “Comprando ovos seu Lunga?” E ele responde: “Não, jogando um por um no chão. É traque de massa”. E joga os ovos no chão.

*

> Seu Lunga estava passeando na calçada com o cachorrinho. E lhe perguntam: “passeando com o cachorrinho, seu Lunga?” E Seu Lunga respondeu. “Não. É meu passarinho”, pegando o pobre poodle pela coleira e o fazendo voar.

*

> Seu Lunga vai saindo da farmácia, quando alguém pergunta: “Tá doente, seu Lunga”? E ele responde: “Quer dizer que se eu fosse saindo do cemitério eu tava morto?”

*

> O funcionário do banco veio avisar: “Seu Lunga, a promissória venceu”. E ele respondeu: “Meu filho, pra mim podia ter perdido ou empatado. Não torço por nenhuma promissória”.

*

> Um rapaz entrou em sua loja e disse: “Seu Lunga, tem pregos tamanho pequeno?”. E ele respondeu: “Tá aí no meio”, aponta para a caixa. E o rapaz procura, procura e não acha. Seu lunga resolve procurar e acha o prego tamanho pequeno. E o rapaz diz: “Obrigado”. E ele responde: “Nada disso. Agora você vai ter que procurar”, e devolve o prego à caixa.





Fonte: Thaisa Galvão

Vasco garante acesso para a Série A do Campeonato Brasileiro

Sábado,22 de novembro de 2014


Acabou a agonia e o sofrimento para o torcedor vascaíno. Neste sábado, o time empatou com o Icasa em 1 a 1, gols de Kléber para o Vasco e Nilson para o time visitante, e garantiu o acesso para a elite do futebol brasileiro na próxima temporada. Novamente a torcida fez a sua parte, com mais de 56 mil pessoas comparecendo ao Maracanã.

Agora, o Vasco vai até Florianópolis cumprir tabela e enfrentar o Avaí na Ressacada, no sábado, às 16h20. Com o empate, o Icasa está matematicamente rebaixado e também entrará em campo apenas para cumprir tabela, diante do Boa Esporte, em Juazeiro do Norte. O ponto conquistado garantiu o Vasco ao lado de Ponte Preta e Joinville como novos integrantes da Série A do Brasileirão em 2015.



Fonte: Robson Pires

Cruz Vermelha brasileira recebe ultimato para regularizar contas


Sábado,22 de novembro de 2014

por Jamil Chade e Fábio Grellet | Estadão Conteúdo

Foto: Blog do Tatu

A Federação Internacional da Cruz Vermelha deu o prazo de um ano para que a Cruz Vermelha Brasileira coloque suas contas em dia, reforme a entidade e dê uma resposta ao escândalo de corrupção que afeta a entidade. Em um encontro a portas fechadas em Genebra, na semana passada, o comitê de auditoria da entidade estabeleceu o ultimato, alertando que mudanças "drásticas" terão de ocorrer até novembro de 2015. Há um mês, foi revelado que a entidade no Brasil corre o risco de ser suspensa. Segundo Matthias Schmale, subsecretário-geral da Federação Internacional da Cruz Vermelha, uma "chance" está sendo dada aos representantes brasileiros da instituição para que provem que estão dispostos a lutar contra a corrupção da administração que os precedeu. Se nos próximos meses nada for feito para remediar a situação, a instituição com sede em Genebra já fala em suspensão, algo que só esteve perto de acontecer com a África do Sul. Entre os pontos da reforma está um reforço dos mecanismos de controle das contas, auditorias internas e uma melhor relação entre a sede em Genebra e a seção brasileira. "Precisamos restaurar as fundações da entidade", explicou o porta-voz, Pierre Kremer. 
A Cruz Vermelha Brasileira afirmou que a entidade "contesta veementemente" que a federação internacional tenha em algum momento cogitado a desfiliação e tem uma carta da entidade assegurando essa situação. Segundo a entidade, a desfiliação é uma punição prevista nas normas que regem a Cruz Vermelha, mas essa hipótese nunca foi discutida. A Cruz Vermelha Brasileira disse que todas as medidas foram tomadas pela atual direção para sanar os problemas identificados, até mesmo com a realização de uma auditoria.

Ministro do STF suspende autorização para Dirceu viajar

Sábado, 22 de Novembro de 2014 


por Célia Froufe | Estadão Conteúdo


Foto: Reprodução

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu não poderá mais viajar para São Paulo neste mês. A Vara das Execuções Penais e Medidas Alternativas (Vepema) do Distrito Federal havia concordado que Dirceu ficasse na capital paulista de 18 de novembro a 2 de dezembro para cuidar de assuntos administrativos de seu escritório. O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, no entanto, suspendeu na manhã deste sábado (22) a autorização. "Solicitem-se ao Juízo da Vara de Execuções Penais e Medidas Alternativas do Distrito Federal (Vepema), com a máxima urgência, informações acerca do pedido, da manifestação do Ministério Público e dos fundamentos da decisão, que deverá ficar suspensa até ulterior deliberação deste relator ou do Supremo Tribunal Federal", escreveu o ministro. O advogado de Dirceu é José Luis Mendes de Oliveira Lima.

Polícia incinera 31 mil pés de maconha na região do Vale de São Francisco

Sábado, 22 de Novembro de 2014 



Foto: Divulgação/ Polícia Militar

As polícias militar e federal incineraram mais de 31 mil pés de maconha em duas Ilhas de Riacho Seco, vale do São Francisco, na manhã desta quarta-feira (19). Os agentes receberam denúncias de que na ilha de Araras e em uma vizinha estavam sendo cultivados os plantios de maconha. Foram contabilizados no local 6,5 mil covas com pés de erva que mediam mais de um metro de altura. Algumas amostras foram apresentadas na Delegacia de Polícia Federal de Juazeiro, também no vale São Franciscano, para registro da ocorrência.

Violência: quadrilha interestadual assalta agência dos Correios no Centro de Fortaleza

Sábado,22 de novembro de 2014


Na fuga, o segurança da agência confrontou o trio e um dos assaltantes foi detido


Assaltantes abandonaram o veículo na Rua Soares Bulcão, no bairro Monte Castelo
GUSTAVO LINHARES

Uma agência dos Correios, localizada no cruzamento das avenidas Duque de Caxiascom Tristão Gonçalves, foi assaltada na tarde desta sexta-feira (21). Quatro homens armados invadiram o local e anunciaram o assalto. Na fuga, o segurança da agênciaconfrontou a quadrilha e um dos assaltantes foi detido, os outros três fugiram, em um carro roubado, levando dois reféns.

Durante a fuga, os assaltantes atiraram nafachada de um colégio, localizado nas proximidades da agência dos Correios, e balearam um homem que estava fechando um comércio na Avenida Tristão Gonçalves. O quadro de saúde do homem baleado é estável.

A dupla fugiu em um veículo Honda Fit que foi abandonado na Rua Soares Bulcão, no bairro Monte Castelo, com o revólver do segurança da agência dentro, além de munição. Os reféns foram liberados ilesos, na Avenida Bezerra de Menezes

Após abandonar o veículo, os três fugiram a pé. De acordo com a polícia, a quadrilha é interestadual. O homem preso é maranhense e os outros três são do Maranhão, Rio Grande do Norte e Pará.


Diário do Nordeste c/ informações do repórter Levi de Freitas

Últimas notícias: morre Seu Lunga, um personagem da cultura cearense

Sábado, 22 de novembro de 2014

Sucateiro que morava em Juazeiro do Norte, famoso por seu mau humor, morreu em decorrência de um câncer no esôfago


O sucateiro que se tornou um personagem da cultura popular nordestina, Joaquim Santos Rodrigues, conhecido como "Seu Lunga", morreu hoje pela manhã, por volta de 9h30, aos 87 anos, em decorrência de um câncer no esôfago. Ele estava internado no hospital São Vicente, em Barbalha. Seu Lunga morava com a esposa Carmelita Rodrigues Camilo e foi desse matrimônio que nasceram 13 filhos.


Fonte: Diário do Nordeste

CARRO É INCENDIADO EM VIA PÚBLICA NA PRAIA DE CIMA EM UPANEMA DE CIMA AREIA BRANCA RN.

Sábado, 22 de novembro de 2014


Um veículo Ford Fiesta foi incendiado durante a madrugada de sexta-feira (21), em via pública na praia de Upanema de Cima, em Areia Branca.

Ao perceber as chamas no automóvel, o taxista Raimundo Fernandes tentou apagá-las e terminou sofrendo algumas queimaduras de pequena proporção. Ainda de acordo com ele, a parte elétrica e o motor ficaram comprometidos depois do incêndio.

Raimundinho, como é conhecido na cidade, ainda não sabe a quem atribuir nem o que motivou que ele suspeita ser criminoso. 

O fato foi registrado na Delegacia de Polícia de Areia Branca. O proprietário do veículo que se sente prejudicado, espera que a polícia através das investigações, aponte e prenda o autor do crime, e possa esclarecer o motivo.


A Voz de Areia Branca./ Nas Garras da Policia

Larissa alerta para morte de crianças e defende vacina

Sábado, 22 de novembro de 2014 

Deputada defende campanha sobre oferta de vacina na rede pública


O Ministério da Saúde registrou 322 crianças com coqueluche e quatro mortes no Estado, entre 2011 e 2013. Como prevenção, a deputada estadual Larissa Rosado (PSB) requer campanha sobre a oferta da vacina na rede pública.

A imunização contra coqueluche em gestantes foi inserida, este mês, no calendário nacional de vacinação do SUS. A intenção é reduzir a incidência e mortalidade causada pela doença entre os recém-nascidos de todo o Brasil.

Desinformação

“Mas, poucas grávidas no RN sabem da vacina, daí, a necessidade de uma campanha educativa para conscientizá-las”, diz Larissa, que sugere mais ações informativas em unidades de saúde, escolas e centros de assistência social.

Ela acrescenta que a iniciativa também ajudará o Rio Grande do Norte a atingir a meta de vacinação, que é 47 mil gestantes. “É um esforço válido e necessário para proteger as famílias potiguares dos perigos da coqueluche”, alerta.

Doença

Coqueluche é uma doença infecciosa aguda e altamente transmissível, causada pela bactéria Bordetella pertussis, e tem entre complicações secundárias pneumonia, otite média, ativação de tuberculose latente, enfisema pneumotórax.

Os casos caíram de 40 mil notificações nos anos 80 para 1.500 nos anos 2000. Mas, a partir de 2011, a doença aumentou no mundo, sobretudo em menores de três meses, por ainda não terem o esquema completo da vacinação.



Fonte: Carlos skarlack

TCU identifica irregularidades como indícios de sobrepreço do governo Rosalba na barragem de Oiticica

Sábado, 22 de novembro de 2014 

Governo do Estado terá que reduzir R$ 15 milhões em contrato de construção da barragem de Oiticica


O Tribunal de Contas da União (TCU) realizou auditoria nas obras de construção da Barragem Oiticica, no Município de Jucurutu (RN), executadas pela Secretaria de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Estado do Rio de Grande do Norte (Semarh/RN) com recursos do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs).

Em fiscalizações anteriores, o tribunal identificou uma série de irregularidades, como indícios de sobrepreço, critérios inadequados de habilitação e julgamento e inexistência de composições de todos os custos unitários dos serviços do orçamento do edital, com consequente insuficiência de recursos orçamentários para a execução da obra. À época, o TCU determinou que os responsáveis apresentassem suas justificativas.

Após ouvir os gestores e realizar visita in loco, o tribunal conferiu os serviços realizados e os confrontou com as planilhas de preços de insumos utilizados, como areia, por exemplo. Algumas modificações dos preços unitários foram realizadas e o sobrepreço foi ajustado para R$ 15 milhões.

O TCU determinou à Semarh/RN que, em conjunto com o consórcio responsável, repactue o contrato de forma a eliminar o sobrepreço. O tribunal também elaborou planilha com preços máximos de alguns serviços e materiais, como concreto e transporte, que deverão ser adotados como limites caso haja celebração de termos aditivos ao contrato.

O relator do processo foi o ministro Aroldo Cedraz de Oliveira.

Barragem Oiticica - O empreendimento faz parte do projeto Eixo de Integração do Seridó e tem como objetivo a contenção de cheias, com a consequente redução de riscos de inundações no Vale do Açu, e a diminuição do déficit hídrico da sub-bacia do rio Seridó, a qual responde por 90% do déficit hídrico da bacia do rio Piranhas/Açu.



Fonte: Carlos Skarlack

A receita de Carlos Eduardo para os adversários

Sábado, 22 de novembro de 2014 

E disse que precisa rezar muito para administrar Natal.
Deu a receita para os adversários que já são muitos para 2016: os deputados estaduais Hermano Morais (PMDB) e Fernando Mineiro (PT), o federal eleito Rogério Marinho (PSDB), o presidente da Câmara, Albert Dickson (PROS), o professor Robério Paulino (PSOL)…





Fonte: Thaisa Galvão

Após cirurgia, garota baleada por ex-namorado em escola morre no Trauma, na Capital

Sábado,  de novembro de 2014



Uma estudante de 14 anos foi baleada dentro de um colégio na manhã desta sexta-feira (21), no bairro de Mandacaru, em João Pessoa, por um aluno de 15 anos. O caso ocorreu na Escola Municipal Violeta Formiga, que fica na comunidade Jardim Mangueira. 

Segundo o Hospital de Emergência e Trauma da Capital, para onde a garota foi levada, ela passou por procedimentos cirúrgicos, não resistiu aos ferimentos e morreu nesta tarde. O circuito interno de câmeras da escola registrou a ocorrência (confira abaixo). 

"A informação inicial seria de que o menor teria sacado uma arma para atirar em outro adolescente, mas constatamos que o tiro foi direcionado a garota, por motivos pessoais. A estudante teve um relacionamento com o garoto e ele não aceitou o fim do namoro. Até agora, esse teria sido o motivo da tentativa de assassinato", afirmou o capitão Antônio de Sousa, comandante da Unidade de Polícia Solidária do bairro. 

O superintendente da Polícia Civil na região metropolitana de João Pessoa, Wagner Dorta, o adolescente que tentou matar a ex-namorada já foi apreendido anteriormente e tem envolvimento com drogas. "Já sabemos quem atirou na garota. Levantamento feito comprovou que o menor tem envolvimento com o tráfico de drogas em Mandacaru. O rapaz já foi apreendido por ter sido pego com entorpecente", disse. 

Segundo o Portal Correio da Paraíba, de acordo com o capitão, o aluno armado surpreendeu a estudante quando ela estava no bebedouro da unidade escolar e atirou três vezes contra o abdômen dela. A menor foi socorrida por uma viatura da Polícia Militar para ao Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. Ainda segundo o capitão, o menor não foi detido e a arma utilizada no crime não foi apreendida. " Estamos em diligência para deter o suspeito dos tiros e encontrar a arma usada na tentativa de homicídio", falou. 

Patrulha Escolar 

Nessa quarta-feira (19), a Promotoria de Justiça de Defesa da Educação de João Pessoa divulgou que ajuizou uma ação civil pública contra o Estado da Paraíba para obrigá-lo a reativar o programa “Patrulha Escolar Solidária”, com número de policiais militares e viaturas suficientes para atender de forma eficiente e rápida as escolas públicas localizadas na Capital. 

Na ação, a promotoria requer que o juiz da 1a Vara da Infância e Juventude da Capital conceda liminar, determinando a designação de 60 policiais militares para exercerem, com exclusividade, as funções de patrulheiros escolares junto às escolas localizadas na área de abrangência do 1° Batalhão de Polícia Militar (BPM), sendo 20 patrulheiros por turno escolar em 10 viaturas. 

O mesmo deve acontecer em relação às escolas localizadas na área do 5° BPM. A promotoria requereu ainda que esses policiais tenham como pré-requisito a participação em curso de formação continuada promovido pelo Estado.



Fonte: Jair Sampaio

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055