martins em pauta

sábado, 21 de fevereiro de 2015

MARTINS/ RN:PREFEITURA FAZ OUVIDO DE MERCADOR E AINDA NÃO PAGOU O PISO SALARIAL DOS AGENTES DE SAÚDE.



Imagens Ilustrativa


Em Martins /RN, os Agentes Comunitários de Saúde vem sendo passados para traz pela atual gestão da Prefeita Olga Fernandes, que vem descaradamente descumprindo a determinação do Ministério da Saúde de pagar o piso no valor de R$ 1.014,00 a categoria, que foi definido pela LEI nº 12.994, de 17 DE JUNHO DE 2014, e já estar em vigor em todo território nacional.

Segundo informações, a prefeita se comprometeu pagar o piso salarial fixado por lei federal e repassado pelo Ministério da Saúde aos municípios para a categoria. já aconteceram três encontros, um deles com a presença de representantes do Sindicato da categoria SINDAS/RN. Segundo informações  a prefeita que não gostou nadica de nada da presença do sindicato na reunião na sede da prefeitura realizada em Novembro, onde a mesma se comprometeu pagar em Dezembro, inclusive o retroativo, os agentes de saúde do município. Os profissionais ainda estão cobrando o repasse do PMAC, recurso destinado a ajuda de custo para a categoria, mas a prefeita até essa data não cumpriu o Prometido. Pelo que se sabe, falta de dinheiro não é, pois como é de conhecimento de todos o município recebeu as parcelas extras de FPM recentemente.

Diante da situação os agentes podem recorrer novamente ao sindicato, e permanecendo insistência por parte da prefeita em querer enganar com conversa fiada a categoria pode ser que aconteça uma indicação de greve por parte da da categoria 



ITAU/RN: Homem é morto a facadas no Bairro da Felicidade.

Sábado, 21 de fevereiro de 2015

Imagem ilustrativa

Um homem identificado como Francisco de Assis Justino, de 59 anos de idade, morador da cidade de São Francisco do Oeste, foi morto a golpes de faca no bar de Jocélio, localizado no Bairro da Felicidade, na cidade de Itaú-RN.

O crime aconteceu na tarde deste Sábado dia 21/02, por volta das 15:00hs, e segundo informações repassadas a policia, a vítima estava no bar mencionado acima, quando foi surpreendida pela pessoa de Genival Fernandes de Oliveira, mais conhecido por "Pelé", de 40 anos de idade, natural de Iracema-CE, mas morador da cidade de Itaú, o qual desferiu-lhe duas cutiladas de faca peixeira, que atingiu a vítima no braço e ante-braço.

A vítima foi socorrida ao hospital de Itaú, mas infelizmente não resistiu aos ferimentos e veio a óbito pouco tempo após dar entrada na unidade. A policia militar encontra-se em diligência na tentativa de capturar o acusado, que após o crime, fugiu com destino ignorado. Segundo populares, vítima e acusado eram inimigos.



Fonte: Sentinelas do Apodi

COM AS CHUVAS EM APODI /RN, OS RIACHOS COMEÇAM CORRER ÁGUA PARA DENTRO DA LAGOA!

Sábado, 21 de fevereiro de 2015

Na ponte da Missão, na avenida Moésio Holanda as águas correram assim!


Na ponte do Sítio Ponta, em Tião Mariano as águas correram assim!


Na ponte do Sítio Barra, as águas correram assim!

Com as chuvas caídas, todas essas cheias estão desaguando na Lagoa do Apodi. O homem do campo se anima e já começa a realizar os seus plantios!



Fonte: Erivan Morais

Casos de conjuntivite aumentam no verão; veja que cuidados tomar para evitar contaminação

Sábado,21 de Fevereiro de 2015 



Aglomeração pode aumentar número de casos no verão | Foto: Reprodução

Basta chegar o verão e a conjuntivite dá as caras. Nesta época do ano, a inflamação encontra as condições ideais para atacar os olhos das pessoas: sol, festas, praia, piscinas e calor. No verão baiano, a chegada do Carnaval aumenta ainda mais a probabilidade de contrair a doença. As muitas festas, ensaios e festivais são ambientes perfeitos para a conjuntivite se instalar. A doença é a inflamação da conjuntiva, membrana que reveste a parte a frente do globo ocular, e o interior das pálpebras. Algumas das causas são impurezas contidas em poluição, maquiagem, cloro de piscina ou, ainda, aglomeração de pessoas. De acordo com o médico oftalmologista Leandro Lobo, especialista em Oftalmologia Geral e Coordenador da Emergência do DayHORC – Hospital de Olhos Rui Cunha, a doença pode ser de três tipos: viral, bacteriana ou alérgica. A inflamação pode durar entre uma e duas semanas, dependendo do tipo. A conjuntivite alérgica é a mais comum entre as três e ocorre, geralmente, em pessoas que já possuem algum tipo de alergia, e não é contagiosa. Já a bacteriana requer mais atenção e cuidado, pois é contagiosa e de longa duração. Para evitar a contaminação, medidas básicas podem ser tomadas. Não levar mãos sujas aos olhos e não compartilhar dos mesmos óculos, colírios ou maquiagens de pessoas com conjuntivite são algumas delas. A orientação de Lobo é procura ajuda profissional ao primeiro sintoma. “É muito importante que a conjuntivite seja diagnosticada logo no início, para tratá-la e evitar a contaminação, e não estragar as férias e a diversão de ninguém”, afirma

Vacina contra HIV será testada em 252 pessoas na África do Sul

Sábado, 21 de Fevereiro de 2015 



Uma vacina experimental contra o vírus do HIV começará a ser estudada em ensaios clínicos na África do Sul. De acordo com autoridades de saúde dos Estados Unidos, a experimentação se baseia nos resultados do teste clínico RV144, conhecido como o "ensaio tailandês", o primeiro estudo que conseguiu reduzir o risco de infecção por HIV mediante uma vacina. Os primeiros resultados do RV144, divulgados em 2009, mostraram que ela tinha alcançado eficácia de 31%. O novo teste clínico HVTN 100 foi desenvolvido para ampliar a proteção obtida com a vacina tailandesa, que foi modificada para ser adaptada a um subtipo vírus HIV predominante na África do Sul. Os testes serão feitos, inicialmente, com 252 voluntários, com idades entre 18 e 40 anos, para avaliar a segurança da vacina e para ver se ela produz no sistema imunológico a resposta esperada. O Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas (Niaid) da rede de Institutos Nacionais de Saúde (NHI) dos Estados Unidos será o responsável pela parte operacional nas duas primeiras fases do teste. Os primeiros resultados estão previstos para saírem em dois anos. "Uma vacina segura e eficaz contra o HIV é essencial para conseguir um final sustentado à pandemia da Aids", disse o imunologista e diretor do Niaid, Anthony Fauci, em comunicado. O diretor afirma que o teste é um “importante passo” rumo à produção da vacina, que terá um “grande impacto” na África do Sul, um dos países mais atingidos pela doença. O estudo integra uma pesquisa maior, que conta com a participação de diversas organizações públicas e privadas. O objetivo é conseguir, além da vacina, uma melhor compreensão dos cientistas quanto às respostas do sistema imunológico associadas à prevenção da infecção.

SERRINHA DOS PINTOS /RN: CÂMARA MUNICIPAL INICIOU OS TRABALHOS DO LEGISLATIVO NESTA SEXTA-FEIRA. 20



Deu no Serrinha de Fato


A Câmara Municipal de Serrinha dos Pintos iniciou, após o recesso parlamentar, nesta sexta-feira (20/02), os trabalhos do Legislativo serrinhense do ano de 2015. Segundo informações repassadas ao nosso blog, deu entrada na Casa, nesta sexta-feira, o Projeto de Lei, da autoria do Executivo municipal que trata sobre o reajuste de 13,01% do salário base dos professores, com efeitos retroativos a 1º de Janeiro de 2015 e que deve ser votado na próxima sessão ordinária.

Nota do Blog Serrinha de Fato: Vendo uma matéria que foi vinculada em alguns blogs da região sobre um determinado assunto, gostaria de parabenizar os vereadores pela atitude e dizer que, além disso, eles poderiam cobrar esclarecimento sobre outros assuntos, como por exemplo: A tão falada reforma que foi feita na Casa. Qual foi a empresa que fez a reforma? quanto foi gasto e o que foi feito? Esse é um deve da Casa: tornar público, a todos, os atos do Legislativo, para que todo cidadão tenha conhecimento do que é feito com o dinheiro do povo.

Fica a dica...

Vacina contra HIV será testada em 252 pessoas na África do Sul

Sábado, 21 de Fevereiro de 2015 



Uma vacina experimental contra o vírus do HIV começará a ser estudada em ensaios clínicos na África do Sul. De acordo com autoridades de saúde dos Estados Unidos, a experimentação se baseia nos resultados do teste clínico RV144, conhecido como o "ensaio tailandês", o primeiro estudo que conseguiu reduzir o risco de infecção por HIV mediante uma vacina. Os primeiros resultados do RV144, divulgados em 2009, mostraram que ela tinha alcançado eficácia de 31%. O novo teste clínico HVTN 100 foi desenvolvido para ampliar a proteção obtida com a vacina tailandesa, que foi modificada para ser adaptada a um subtipo vírus HIV predominante na África do Sul. Os testes serão feitos, inicialmente, com 252 voluntários, com idades entre 18 e 40 anos, para avaliar a segurança da vacina e para ver se ela produz no sistema imunológico a resposta esperada. O Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas (Niaid) da rede de Institutos Nacionais de Saúde (NHI) dos Estados Unidos será o responsável pela parte operacional nas duas primeiras fases do teste. Os primeiros resultados estão previstos para saírem em dois anos. "Uma vacina segura e eficaz contra o HIV é essencial para conseguir um final sustentado à pandemia da Aids", disse o imunologista e diretor do Niaid, Anthony Fauci, em comunicado. O diretor afirma que o teste é um “importante passo” rumo à produção da vacina, que terá um “grande impacto” na África do Sul, um dos países mais atingidos pela doença. O estudo integra uma pesquisa maior, que conta com a participação de diversas organizações públicas e privadas. O objetivo é conseguir, além da vacina, uma melhor compreensão dos cientistas quanto às respostas do sistema imunológico associadas à prevenção da infecção.

Ministério Público quer impedir acordo entre governo e empreiteiras do Lava Jato


Sábado, 21 de Fevereiro de 2015 

por Laís Alegretti e Célia Froufe | Estadão Conteúdo
Foto: Divulgação

O Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) quer evitar que as empreiteiras acusadas de corrupção na Operação Lava Jato firmem acordos de leniência com o governo federal por meio da Controladoria-Geral da União (CGU). O procurador Júlio Marcelo de Oliveira encaminhou sexta-feira uma representação ao presidente do TCU, ministro Aroldo Cedraz, pedindo que o tribunal determine que a CGU não celebre acordos que possam atrapalhar o curso das investigações feitas pela Polícia Federal. "Esta é a primeira vez que estamos enfrentando essa questão no Brasil. A CGU nunca celebrou um acordo de leniência antes e acontece logo em um caso de grandes dimensões", afirmou ao Broadcast o procurador Júlio Marcelo de Oliveira. Para ele, a atuação, ao mesmo tempo, da CGU, do MPF e de outros órgãos pode acabar em conflitos. "Estou fazendo a minha parte e o TCU pode dar uma colaboração importante para o caso", disse. É difícil, segundo Oliveira, saber se sua solicitação será atendida e quando isso ocorrerá. No documento, o procurador defende que a "ampla possibilidade" de acordos de leniência traz embaraços aos avanços da investigação. "Se for possível às empresas envolvidas em corrupção escolher com qual órgão elas vão celebrar acordos de leniência, evidentemente elas vão atuar como se estivessem em um leilão, escolhendo o acordo que lhes ofereça as melhores condições, novamente em prejuízo do interesse público de por fim à corrupção". O procurador ainda colocou na representação que, com acordos de leniência, a CGU pode atravessar a investigação da Operação Lava Lato. "Não tem cabimento que, no curso de uma investigação conduzida pelo MPF, possa outro órgão qualquer, sem a mesma independência e autonomia, sem o mesmo largo espectro de atuação, atravessar a investigação." A decisão de pedir a ação cautelar, segundo o procurador, foi tomada porque ele identificou sinais de que o governo estaria na iminência de assinar acordos de leniência via CGU, o que poderia prejudicar as investigações. "O que eu defendo é: sempre que houver operação conduzida no MPF e vai fazer avaliação penal e cível e com repercussões judiciais, esta instância tem de prevalecer sobre as outras para fins de leniência. Se não, atrapalha", defendeu. Até porque, lembrou o procurador, a CGU não possui autonomia, pois é um órgão subordinado à Presidência. Três associações - Contas Abertas, Associação Nacional dos Auditores de Controle Externo dos Tribunais de Contas do Brasil e a Associação da Auditoria de Controle Externo do Tribunal de Contas da União - demonstraram ao procurador preocupação em relação a acordos que possam vir a ser celebrados pela CGU. "Tudo leva a crer que está na iminência de esses acordos serem celebrados e eles podem atrapalhar as investigações que estão em curso", destacou o secretário-geral da Associação Contas Abertas, Gil Castelo Branco. "Entendemos que o TCU deve dar uma cautelar no sentido de que a CGU não celebre acordos de leniência com empresas investigadas, a não ser que já tenha sido liberado pelo Ministério Público", disse Castelo Branco. "A CGU fica na esfera administrativa e este assunto está sendo tratado na esfera judicial. O ideal é que investigações continuem e que, se um acordo desses tiver de ser celebrados, seja feito pelo Ministério Público", reforçou.

Honda Civic roubado no RN foi preso transportando drogas no estado do Goiás

Sábado, 21 de fevereiro de 2015


A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu um homem de 35 anos nesta quinta-feira (19) na BR 364, no km 195, em Jataí (GO), conduzindo um Honda Civic transportando 64 kg de maconha.

Ao ser abordado e questionado, o condutor apresentou nervosismo e apresentou informações contraditórias. No interior do carro foram encontrados 79 tabletes da droga, escondidos no interior dos bancos, portas e para-choques do veículo.

O documento de licenciamento veicular (CRLV) apresentou sinais de adulteração, posteriormente a PRF constatou que o veiculo foi roubado em Natal (RN), no dia 8 de janeiro e usava placas clonadas da Paraíba.

Segundo o detido, ele pegou a droga em Ponta Porã (MT) e entregaria em Recife (PE). O homem preso tem passagens por extorsão, tráfico de drogas, formação de quadrilha, uso de documento falso, ameaça e lesão corporal. A ocorrência foi encaminhada à Delegacia de Polícia Federal local.

Fonte: Portal 190rn.com /Jair Sampaio

Capitão Brilhante desmente informação de que irá assumir o Sub-comando do 6° BPM em Caicó


Sábado, 21 de vevereiro de 2015

Em contato com o Blog Sentinelas do Apodi, o Capitão Brilhante desmente a informação divulgada nesta sexta, de que estaria deixando o comando da companhia de Policia Militar da cidade de Alexandria, para assumir o Sub-comando do 6° BPM em Caicó.


“Sou oficial da policia militar do Rio Grande do Norte, posso ser designado a trabalhar em qualquer cidade do estado, porem não recebi nenhuma informação da cúpula da segurança pública do RN, em relação a uma possível movimentação minha, acredito que essa informação vinculada em blogs, seja apenas especulações”, disse o Capitão Brilhante.
Resta agora saber se o capitão não teria ainda sido informado, ou se realmente tudo não passou de especulações. Vamos aguardar mais detalhes.


Fonte: Jair Sampaio

VÍDEO MOSTRA PM DO RN FARDADO DANÇADO FORRÓ

Sábado, 21 de fevereiro de 2015

Do Passando na Hora

Caiu na net, e vitalizou, um vídeo de um policial militar do Rio Grande do Norte dançando forró fardado. 




Fonte

.20º HOMICÍDIO EM 2015: HOMEM TEM CASA ARROMBADA E É EXECUTADO ENQUANTO DORMIA. CASO FOI NO ABOLIÇÃO 5 EM MOSSORÓ NA MADRUGADA DESTE SÁBADO.

Sábado, 21 de fevereiro de 2015


Márcio Emannuel dos Santos, 20 anos, conhecido como "Marcinho" natural de Mossoró, foi morto enquanto dormia em sua casa com sua esposa na madrugada deste sábado 21 fevereiro 2015. O crime ocorreu na rua Salustiano Feliciano da Silva, 29 próximo espetinho do Maminha Abolição 5 por volta das 1:30 da madrugada. De acordo com informações da policia militar a vítima dormia na companhia de sua esposa e teve sua casa arrombada pela porta da frente, por dois elementos em uma moto ainda não identificada, de arma longa em punho, tipo espingarda cal. 12 e sua esposa pediu clemencia para não morrer e saiu correndo pelos fundos. Ela correu mas antes tentou acordar seu marido que não atendeu seu chamado por está dormindo. Delegacia de Homicídios investigará o caso. PM isolou o local assim como Dr. Teixeira Júnior delegado plantonista esteve no local fazendo os primeiros levantamentos. Segundo familiares e amigos relataram, que a vítima estava recebendo ameaças, e além de ele ser um usuário o mesmo seria traficante. Informações de pessoas no local. Cabe agora a polícia investigar e tentar chegar aos autores deste crime que chega a marca do 20º Homicídio em nossa cidade. Até o fechamento desta matéria a esposa da vítima não teria sido localizada. Nem pelos familiares, e nem pela polícia para dizer o que realmente aconteceu nesta noite que deverá ser esquecida por todos da família.







Fotos Passando na Hora


Fonte: Passando na Hora

Georgio Olimpio denuncia presidente da AL

Sábado, 21 de fevereiro de 2015 


Depoimento que incrimina Ezequiel Ferreira é revelado pelo MP


O empresário George Anderson Olímpio da Silveira, preso na Operação Sinal Fechado, confirma o envolvimento do deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PMDB), atual presidente da Assembleia Legislativa do RN, no esquema criminoso.

Veja depoimento de Olimpio ao Ministério Público, em delação premiada:

Ministério Público: Voltando à conversa com o Deputado Ezequiel, elas se iniciaram quando o projeto… assim que o projeto foi encaminhado à Assembleia, foi um mês antes, quanto tempo?

George Olímpio: Não, se iniciaram antes, porque a gente já tinha essa preocupação. Se iniciaram, começou a se cogitar quem poderia, quando houve o rompimento entre Wilma e Robson. Aí eu não vou precisar saber, mas setembro de
2009, alguma coisa assim, outubro. Então começou-se a se buscar caminhos para que a gente pudesse caminhar dentro da Assembleia.

Ministério Público: Então houve a sugestão de Iberê…

George Olímpio: … é, a gente começou a buscar caminhos numa das reuniões surgiu…

Ministério Público: … de que procurasse Ezequiel.

George Olímpio: Ezequiel.

Ministério Público: Pra Ezequiel facilitar o caminho da aprovação da Assembleia.

George Olímpio: Isso. Iberê ligou pra Ezequiel e pediu pra receber Joca lá, que tinha um assunto pra tratar. E aí que ele iria acompanhar. Tá bom. Ezequiel se prontificou a receber lá na Assembleia e nós fomos: eu, Joca e Rousseau.

Ministério Público: Então esse primeiro encontro foi na própria Assembleia…

George Olímpio: Na Assembleia, no gabinete dele, que é o último do corredor. É um que dá, inclusive, pra ver, assim, o TJ, porque ele fuma e deixa sempre a porta aberta ali, fica pro lado da Prefeitura.

Ministério Público: Sei. E como a conversa transcorreu, George?

George Olímpio: Apresentou-se o projeto. Eu disse o projeto que nós já tínhamos no Estado, que era o dos registros. Fiz uma apresentação de quem eu era, advogado, tal, tal, tal… e que nós tínhamos esse pleito, que era um pleito que a Governadora Wilma, Iberê e o pessoal apoiava, e que Iberê estava nisso também, e nós estávamos com essa dificuldade e se ele poderia ajudar.

Ministério Público: Ele tem um parentesco com Iberê, não tem? Ezequiel.

George Olímpio: Ele é primo.

Ministério Público: É primo de Iberê.

George Olímpio: E aí, apresentando esse solução, apresentando essa situação, ele disse: ‘vou buscar uma solução e retorno pra Joca pra vocês virem aqui.’ Acho que ele foi consultar, porque não dependia dele, se Robson topava.

Ministério Público: Ele disse que ia procurar Robson?

George Olímpio: Ele disse que ia procurar Robson, porque ele sozinho não teria condições…

Ministério Público: … ou que ia procurar os outros líderes?

George Olímpio: Não. Disse que ia procurar Robson, que o caminho dele era por Robson. Porque se ele fosse procurar um por um é uma coisa mais complicada. Uma outra coisa é ser uma matéria de interesse do Presidente da Assembleia.
Então ele disse que ia procurar Robson e que voltaria e daria um retorno. Ele deu o retorno no dia seguinte. E aí fomos eu, Joca, novamente, e Rousseau no dia seguinte.

Ministério Público: No mesmo gabinete?

George Olímpio: Não. Procurou Joca, ligou pra Joca. Até aí eu não tinha, vamos dizer, telefone, contato. A partir daí e tal, das outras tratativas, é que eu comecei a ter mais contato com ele, o telefone dele e tudo. Mas aí ele nos chamou e pediu R$
500.000,00.

Ministério Público: Sim. Foram no mesmo gabinete.

George Olímpio: No mesmo gabinete.

Ministério Público: Foi lá que houve esse pedido?

George Olímpio: Foi lá que houve esse pedido. Ele disse que precisava de R$ 500.000,00 pra aprovar. E eu disse que não tinha condições porque era um valor alto e ali a gente estava aprovando apenas a lei, que podia beneficiar a gente ou
outro licitante, que, por mais que a gente tivesse, vamos dizer, amparado e entrosado com o Governo, mas numa licitação você pode ganhar ou perder, dependendo de como ela for conduzida. Então eu disse que era um valor muito alto
pra, na verdade, eu podia até tá aprovando uma lei pra outra pessoa, pra uma outra empresa…

Ministério Público: … e pagando a vantagem…

George Olímpio: … e pagando a vantagem pro outro…

Ministério Público: … sem ter o ato de ofício…

George Olímpio: É pra, né, pelo menos que beneficiasse a empresa. Então, negociou-se e chegou nessa soma de R$ 300.000,00, que ele disse que ia tentar trabalhar nesses R$ 300.000,00, mas que visse se eu poderia ajudar na campanha. Que depois eu ajudei até com R$ 50.000,00 na campanha de deputado estadual dele, no ano de 2010.

Ministério Público: E aí, a entrega do dinheiro foi antes ou após a aprovação da lei?

George Olímpio: Após a aprovação.

Ministério Público: Após a aprovação…

George Olímpio: Após a aprovação de forma parcelada.

Ministério Público: Então vamos na sequência. Então houve a conversa, o valor era alto, você renegociou para R$ 300.000,00, ele aceitou, é isso?

George Olímpio: Isso. Disse que ia trabalhar, porque a grande parte disso ia ficar com Robson. Argumentou. Mas que ia trabalhar dessa forma e que se pudesse ajudar ele na campanha assim o fizesse e ele disse: ‘não, tudo bem’.

Ministério Público: Então estamos trabalhando aqui com duas figuras que detém foro por prerrogativa de função no Tribunal de Justiça. Em primeiro lugar, o Deputado Ezequiel, e segundo, o Vice-Governador Robson Faria, enquanto for Vice-Governador. O senhor teve nessa negociação algum contato com o Vice- Governador?

George Olímpio: O único contato que eu tive com ele, não tive tratativa, foi pra entregar esse ofício da promotora…

Ministério Público: … de Rossana Sudário…

George Olímpio: … de Rossana Sudário pra ele, porque Rossana entregou pra Marcos Vinícius, o ofício, Marcos Vinícius me entregou. E eu entreguei pessoalmente. Foi eu e Ezequiel lá dentro da Assembleia, no gabinete da Presidência, eu entreguei pra ele antes da votação.

Ministério Público: O projeto já estava lá?

George Olímpio: O projeto já estava lá, ia ser votado naquele dia…

Ministério Público: … naquele dia. Então você chegou pra o…

George Olímpio: … pra completar, porque Ezequiel disse: ‘olha, se vier esse ofício, já que tá tendo essas reuniões e o Ministério Público é favorável a lei’

Ministério Público: … facilita…

George Olímpio: … ‘facilita até pra argumentação de Robson’. Aí quando eu cheguei ele disse: ‘vamos lá na presidência comigo’. Eu fui e entreguei. Mas não tive tratativa, ‘olhe o senhor vai ficar com quanto?’…

Ministério Público: … entregou mediante protocolo?

George Olímpio: … foi entregue mediante protocolo. Tinha duas vias, aí foi protocolado. Eu devolvi pra Marcos e acho que Marcos devolveu lá…

Ministério Público: …pra Rossana Sudário…

George Olímpio: … é. Ou pra alguém da promotoria.

Ministério Público: Então a promotoria disponibilizou esse ofício?

George Olímpio: Pra Marcos Vinícius. A reunião era com o DETRAN…

Ministério Público: … era uma articulação com o DETRAN, porque a inspeção era pro meio ambiente…

George Olímpio: … é porque tinha que fazer na base de dados do DETRAN.

Ministério Público: Entendi. Mas foi entregue na Presidência e naquele dia foi aprovado o projeto?

George Olímpio: Não. Aí teve uma votação, houve um pedido de vista.

Ministério Público: De quem?

George Olímpio: Eu não lembro se Álvaro Dias era deputado na época. Porque que eu tô falando. Eu acho que foi Álvaro Dias que pediu, mas, assim, a gente soube que foi a pedido de Wober e Gustavo Carvalho. Porque eram órgãos que tinham apadrinhados deles, tanto o DETRAN quanto o IDEMA, e que eles, vamos dizer, não tinham sido consultados sobre aquele projeto. Tanto é, que assim, já tava praticamente aprovado quando houve esse pedido de vista. Quando houve esse pedido de vista, eu saí de lá e corri pra Vice-Governadoria pra falar com Iberê, quando eu tô falando com Iberê tem um anúncio lá fora de que, pra contar essa história, teve um anúncio lá fora que tinham chegado Gustavo Carvalho e Wober. Eu tô falando aqui com Iberê na sala. A sala da Governadoria tem uma porta que dá pra uma sala de reunião. Iberê disse: ‘espera aí, George, que Gustavo Carvalho e Wober acabaram de chegar. Eu vou lá conversar com eles.’ Iberê vai pra sala de reunião. Eu fico esperando na sala da Vice-Governadoria, enquanto ele conversa na sala de reunião do lado, tem uma interligação pela porta, e aí Iberê volta e diz: ‘não, tá resolvido. A próxima eles vão liberar pra votar.’ Então no outro dia chegou a… no outro dia não, na outra data de votação, aí foi aprovado.

Ministério Público: Entendi. Mas em princípio…

George Olímpio: … agora o porquê, qual foi o acerto que Iberê fez com Gustavo e com Wober eu não sei. Só sei que eles se acertaram lá de alguma maneira.

Ministério Público: Aí a pergunta é o seguinte: essa quantia que foi paga a Ezequiel ela não seria exatamente pra Robson liberar, conseguir a aprovação sem dificuldade no Colégio de Líderes?

George Olímpio: Sim.

Ministério Público: Ele não teriam ascendência sobre esses dois deputados que pediram vista?

George Olímpio: Não, ele conseguiu a dispensa da tramitação no Colégio de Líderes, mas eu não sei o que é que houve, ou se vislumbrou-se que poderia conseguir algo e pediu-se essa vista.

Ministério Público: É só um instantinho, pra eu entender também. O compromisso que Ezequiel lhe deu em troca da vantagem era a dispensa do…

George Olímpio: Não, era a aprovação.

Ministério Público: A aprovação.

George Olímpio: A aprovação. A simples dispensa não servia. Sem a aprovação da lei você não podia fazer a licitação, porque a lei federal manda que exista uma lei estadual que regulamente ela. Né nem uma lei, é uma resolução do CONAMA. A
resolução do CONAMA diz que tem que haver uma lei estadual pra regulamentar a licitação.

Ministério Público: Certo. Então não foi só dispensar…

George Olímpio: … não, foi a efetiva aprovação…

Ministério Público: … que veio.

George Olímpio: Que veio.

Ministério Público: O pedido de vista foi de Gustavo Carvalho e…

George Olímpio: Não, eu acho que foi de Álvaro Dias. Eu acho, aí tem que ver lá. Mas a pedido de Wober e Gustavo.

Ministério Público: E a reunião de Iberê foi efetivamente com…

George Olímpio: … Wober e Gustavo. Por isso que eu digo que foi deles…

Ministério Público: … e o pedido de vista foi de Álvaro Dias.

George Olímpio: Foi de Álvaro.

Ministério Público: Ela foi aprovada nesse dia.

George Olímpio: Aí no dia, a votação no dia aqui, eu não sei se vota todo dia… A votação subsequente foi aprovada.

Ministério Público: Aí vamos para a… aprovado, o pagamento da vantagemindevida solicitada por Ezequiel.

George Olímpio: Foi feito de maneira fracionada, porque não tinha condições de tirar R$ 300.000,00 e tal. Então foi feito de maneira fracionada, parte em dezembro e parte em janeiro.

Ministério Público: Os saques, o senhor mencionou que foi cheque.

George Olímpio: Não. Dinheiro, dinheiro em espécie.

Ministério Público: De que contas?

George Olímpio: Olhe, eu não vou precisar saber se foi da minha conta pessoa física ou da conta do Instituto, mas entrou naquele rol de antecipação de lucros que teria das empresas pra mim, que fazia os registros. Então pode ter sido feito direto, saque direto do Instituto de Registradores, em nome… dinheiro que seria para as empresas, como uma antecipação de lucros das empresas por uma prestação de serviço ou na minha conta pessoa física ou das duas, certo, mas isso a gente tem como, pode identificar isso nos extratos.

Ministério Público: Então a lei foi aprovada quando, mais ou menos?

George Olímpio: Dezembro de 2009.

Ministério Público: Não, o pagamento da vantagem indevida.

George Olímpio: Dezembro e janeiro. Dezembro de 2009 e janeiro de 2010. A grande dificuldade, talvez, que nós tenhamos é porque ao mesmo tempo em que se pagava essa, tinha aquela propina mensal pra o registro. Então tem vários saques e
como a gente já viu aqui em outros tópicos que nós falamos, girava em torno de R$ 120.000,00, R$ 130.000,00, por mês.

Ministério Público: Por mês dos registros.

George Olímpio: Era. Dos registros

Ministério Público: Então, além de R$ 130.000,00, se você pegar esses dois meses, haverá saques de R$ 300.000,00, embora fracionados ou do Instituto de Registradores ou da sua conta pessoal.

George Olímpio: Isso.

Ministério Público: E por que não da G.O. também?

George Olímpio: Não, porque a G.O. já foi depois. A G.O. foi criada em 2009 para, em 2010, participar da licitação. As empresas que prestavam serviço ao Instituto eram a M.B.O. e a D.J.L.G.

Ministério Público: O senhor consegue se lembrar dos valores que foram sacados,
fracionados…

George Olímpio: … não…

Ministério Público: … quem era o gerente que atendia com essa presteza os saques, por exemplo? Você conseguia o dinheiro…

George Olímpio: … não, aí o meu gerente é o gerente da conta aqui da agência Ponta Negra. Eu acho até que ele tá como testemunha arrolado pelo Ministério Público, José Filho.

Ministério Público: Agência Ponta Negra.

George Olímpio: É, agência Ponta Negra. Ele tá arrolado como testemunha pelo Ministério Público…

Ministério Público: … do Banco do Brasil…

George Olímpio: … do Banco do Brasil, José Filho.

Ministério Público: Aí ele conseguiu…

George Olímpio: … é, eu pedia sempre a ele, eu pedia sempre a ele com antecedência, pra ele ir…

Ministério Público: Esses saques, George, pra esse pagamento de R$ 300.000,00 que teria sido solicitados por Ezequiel Ferreira de Souza, você se recorda em que frações foi pago?

George Olímpio: Não… isso faz tempo, eu não tenho como…

Ministério Público: R$ 50.000,00 ou menos de R$ 50.000,00?

George Olímpio: Pode ter sido R$ 50.000,00, R$ 100.000,00, dependia da disponibilidade do banco. Então, esse tempo todo, hoje a gente tá em 2014…

Ministério Público: … mas em dezembro e janeiro…

George Olímpio: … Dezembro e janeiro.

Ministério Público: A entrega do dinheiro, em que local?

George Olímpio: Levei parte no gabinete dele, me recordo de ter ido no gabinete dele dá, ele ter ido no meu escritório, também receber, e no prédio dele, na casa dele, que fica do outro lado do quartel da polícia militar.

Ministério Público: Nesse período vocês se falavam por telefone.

George Olímpio: Nos falávamos por telefone pra combinar os encontros.

Ministério Público: Da entrega…

George Olímpio: … da entrega…

Ministério Público: … aí nesse período você já tinha o telefone dele.

George Olímpio: Já tinha o telefone dele.

Ministério Público: Você tem condições de fornecer esse telefone, verificar?

George Olímpio: Hoje eu não tenho mais o telefone dele, porque foi o meu telefone e toda a minha agenda ficou na busca e apreensão, então provavelmente tá lá…

Ministério Público: … é aquele telefone que tá no…

George Olímpio: … Blackberry…



* Depoimento disponibilizado pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte


Fonte: Carlos Skarlack

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055