martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

sábado, 3 de outubro de 2020

Estado de São Paulo atinge a marca de 1 milhão de infectados por Covid-19

Sábado, 03 de Outubro de 2020


Foto: Getty Images

O estado de São Paulo atingiu, neste sábado, 1 milhão de casos confirmados do novo coronavírus. Segundo balanço da Secretaria de Segurança Pública, há 1.003.606 casos da doença e 36.136 óbitos.

Nas últimas 24 horas, foram somados 6.096 casos e 180 mortes. Desde o início dos registros da doença no estado, em 26 de fevereiro, 865.135 mil pessoas se recuperaram da Covid-19, sendo que 109.606 precisaram de internação e tiveram alta.

Apesar da marca de 1 milhão de casos, o estado de São Paulo vem apresentando queda na média móvel de mortes, dado que considera os registros dos últimos 7 dias e minimiza as diferenças das notificações. Neste sábado, a média móvel é de 153 óbitos. No último sábado, 26 de setembro, foi de 162 registros e, no anterior, 19 de setembro, de 194.

Hoje, a taxa de ocupação dos leitos de UTI em todo o estado é de 43,7%, enquanto na Grande São Paulo é de 42,4%. A ocupação hospitalar em São Paulo já ultrapassou 90% nos meses de pico da doença. Há 8.721 pacientes internados, sendo 4.974 em enfermarias e 3.747 em UTIs.

Entre as vítimas fatais, 20.852 são homens e 15.284, mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 76,4% das mortes.

Todos os 645 municípios de São Paulo tem têm pelo menos uma pessoa infectada, sendo que 575 possuem ao menos um óbito.

O Globo

Brasil registra 4.248.574 pacientes curados do coronavírus

Sábado, 03 de Outubro de 2020


Foto: reprodução

O Brasil registrou neste sábado (3), mais 15.981 pacientes recuperados do coronavírus, totalizando 4.248.574 pessoas curadas da doença.

A quantidade de pessoas curadas no Brasil já é oito vezes superior ao número de casos ativos (512.272), que são os pacientes em acompanhamento médico.

O registro de pessoas curadas já representa 86,7% do total de casos acumulados.

Preso no Ceará homem que assassinou em São Paulo a ex-namorada, bailarina do “Faustão”


Sábado, 03 de outubro de 2020

A Polícia Civil do Ceará capturou em Fortaleza, nesta quinta-feira (1º), um foragido da Justiça do estado de São Paulo. Trata-se de Anderson Rodrigues Leitão, de 32 anos, que foi condenado a 11 anos de prisão pela morte da ex-namorada, a bailarina cearense Ana Carolina de Souza Vieira, ex-integrante do Programa do Faustão, da Rede Globo de Televisão.

O crime aconteceu em novembro de 2015, quando a bailarina foi encontrada morta no apartamento em que morava na Rua Vergueiro, no Sacomã, na Zona Sul de São Paulo. Anderson foi localizado e detido, ontem, na casa de familiares, no bairro Barroso. Ele havia fugido em abril último de um presídio paulista, onde cumpria pena no sistema semiaberto.

De acordo com o relato das autoridades policiais de São Paulo, horas depois de ser detido, no mesmo dia em que o corpo da bailarina foi encontrado, Anderson confessou ter matado a ex-namorada por estrangulamento. Em depoimento, revelou que o motivo foi ciúmes.

O corpo

Depois de pedir ao porteiro que não deixasse Anderson entrar no edifício, a bailarina Ana Carolina permitiu que o ex-namorado subisse para o apartamento dela, após ele insistir muito. O irmão de Carolina, Igor Vieira, soube da morte por meio de um tio que mora em São Paulo.

Funcionários do prédio onde o crime aconteceu afirmaram que sentiram um forte odor vindo do 5º andar. Ao tocarem a campainha, notaram que a porta estava destrancada. Logo, o corpo da jovem foi encontrado enrolado por cobertores, na cama. Havia sinais de violência e o cadáver já estava entrando em estado de decomposição, pois a mulher havia sido morta há três dias da descoberta do cadáver. A Perícia concluiu que a morte foi provocada por asfixia mecânica (estrangulamento).

Julgamento

Anderson Rodrigues Leitão foi julgado em 2017 e condenado a uma pena privativa de liberdade estipulada pela Justiça de São Paulo em 11 anos e quatro meses de reclusão. No começo deste ano, ele foi colocado em regime semiaberto e, em abril, fugiu de São Paulo e voltou para o Ceará.

(Fernando Ribeiro)

Mulher é presa acusada de envenenar os filhos de 6 e 3 anos com chumbinho em macarronada


Sábado, 03 de Outubro de 2020

Uma mulher foi presa, nesta quarta-feira, em Resende, no Sul do Rio de Janeiro suspeita de envenenar os próprios filhos, de 6 e 3 anos. De acordo com as investigações da 89ª DP (Resende), ela preparou uma macarronada para as crianças e adicionou chumbinho ao prato. Contra a mulher havia um mandado de prisão temporária de 30 dias em aberto.

O crime aconteceu em dezembro de 2019, na casa da família, no bairro Campo Belo, após uma discussão da mulher com seu ex-marido – o motivo seria ela não aceitar se separar dele. No momento em que a refeição foi servida, um dos filhos perguntou à mãe o que eram as bolinhas pretas no meio da comida e ela teria respondido que era tempero.

Após a refeição, a mulher teria mandado uma mensagem para o ex-marido dizendo que lhe entregaria os filhos num caixão. Momentos depois de comerem a macarronada, todos começaram a ter vômito e diarreia. Uma vizinha percebeu que havia algo de errado e chamou o Samu. As duas crianças tiveram que passar por uma lavagem estomacal e ficaram internadas. Após a alta, elas foram entregues ao pai.

A mulher vai responder por dupla tentativa de homicídio doloso (quando há intenção) qualificado. O Ministério Público move uma ação para que ela perca a guarda dos filhos definitivamente. De acordo com o Conselho Tutelar, as crianças foram encaminhadas para tratamento psicológico. A Defensoria Pública foi acionada para fazer a passagem da guarda dos dois para o pai.

Com informações do G1

JUIZ PRORROGA ESTADIA DE JAMIL NAME E FILHO POR MAIS TRÊS ANOS NO PRESÍDIO FEDERAL DE MOSSORÓ-RN

Sábado, 03 de Outubro de 2020



O juiz Mário José Esbalqueiro Júnior, da 1ª Vara de Execução Penal de Campo Grande, prorrogou, nesta quinta-feira (1º), por mais três anos a permanência dos empresários Jamil Name, 81, e Jamil Name Filho, 43, no Presídio Federal de Mossoró (RN). Acusados de chefiar grupo de extermínio e planejar matar delegado, promotor e defensor público, eles podem ficar no sistema prisional federal até 5 de outubro de 2023.

Preso há um ano na Operação Omertà, o octogenário alegou graves problemas de saúde, a distância da família, a idade e até tratamento psiquiátrico para retornar à Capital. Elaborado para fundamentar a interdição civil do empresário a pedido do filho, o deputado estadual Jamilson Name (sem partido), o laudo foi incluído nas alegações da defesa.

Contudo, o magistrado minimizou o resultado da perícia. Esbalqueiro Júnior ponderou que Name faz tratamento psiquiátrico desde 2008, antes de boa parte dos atos objetos das ações penais. O magistrado destacou que os problemas de saúde foram analisados até pelos ministros do Supremo Tribunal Federal, que concordaram ser o tratamento médico oferecido no presídio federal muito melhor que o estadual.

“Inegável que o cárcere gera abalo emocional da grande maioria dos presos, não é um ambiente agradável”, ponderou o juiz, sobre as alegações da defesa, de que o empresário tem crises de choro e depressão atrás das grades.

Sobre a distância da família, já que o presídio fica a 3,4 mil quilômetros de Campo Grande, Mário José Esbalqueiro Júnior observou ser problema mundial. “Dificuldade de acesso aos familiares decorrentes da pandemia atingiu toda a população, não apenas os presos”, lamentou.

A prorrogação da permanência dos Names no presídio federal foi defendida pela Força-Tarefa de delegados, pelo Garras, pelo Ministério Público Estadual e pelo Depen (Departamento Penitenciário Nacional0. Eles alertaram para o suposto alto grau de periculosidade dos empresários. A promotoria ressaltou se tratar da “maior, mais duradoura e estruturada milícia armada de Mato Grosso do Sul”.

O Garras alertou para a facilidade de ingresso de telefones celulares nos presídios estaduais, o que possibilitaria que os presos retornassem ações diretivas da possível orcrim (organização criminosa).

“Os possíveis crimes de homicídio perpetrados pelos presos não são a ratio decidendi (motivo da decisão), mas sim os atos de planejar atentados , o que também ocorreu no Presídio Federal de Mossoró”, pontuou Esbalqueiro Júnior, citando o suposto plano para matar o delegado Fábio Peró, do Garras, o promotor Tiago Di Giulio Freire, do Gaeco, e o defensor público Antônio Rodrigo Stochiero.

O magistrado destacou também a ameaça feita por Jamil Name ao policial do Garras durante audiência conduzida pelo juiz Roberto Ferreira Filho, da 1ª Vara Criminal. Mesmo sendo gravado, o poderoso empresário vociferou a morte do agente. Em outra audiência, ele propôs pagar de R$ 100 milhões até R$ 600 milhões a um ministro em troca da liberdade.

O magistrado mencionou ainda a importância do empresário na alta sociedade campo-grandense. “Jamil é pessoa conhecida em Mato Grosso do Sul, muita rica e poderosa”, destacou, fazendo alusão às festas promovidas pelo octogenário, que eram prestigiadas por políticos, empresários e autoridades campo-grandenses.

A defesa usou despacho do juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, que converteu a prisão preventiva em domiciliar, para criticar o titular da 1ª Vara de Execução Penal pela manutenção de Name no Rio Grande do Norte.

No despacho, Esbalqueiro Júnior ressaltou que o suposto chefe do grupo de extermínio teve quatro prisões preventivas decretadas por diversos juízes. Ele destacou que só analisa onde ele ficará preso. As prisões foram decretadas pelos juízes Roberto Ferreira Filho, da 1ª Vara Criminal, Olivar Augusto Roberti Coneglian, da 2ª Vara Criminal, Eucelia Moreira Cassal, da 3ª Vara Criminal, e Marcelo Ivo de Oliveira, da 7ª Vara Criminal.

Os policiais civis Márcio Cavalcanti e Vladenilson Daniel Olmedo vão retornar a Capital neste mês. O magistrado determinou que eles fiquem presos no Presídio Fechado da Gamaleira. A defesa queria transferi-lo para a 3ª Delegacia de Polícia.

A defesa poderá recorrer contra a permanência dos Names em Mossoró ao Tribunal de Justiça, ao Superior Tribunal de Justiça e ao Supremo Tribunal Federal. Enquanto promotores e advogados duelam nos tribunais, os empresários ficam no presídio federal, mas fora do sistema RDD (Regime Disciplinar Diferenciado).

O Jacaré


Moro apaga publicação sobre indicação de Bolsonaro - O que ele quer "esconder"?

 Sábado, 03 de Outubro de 2020

O post, publicado ontem, dizia:

“Simples assim, se o presidente Jair Bolsonaro não indicar alguém ao STF comprometido com o combate à corrupção ou com a execução da condenação criminal em segunda instância, todos já saberão a sua verdadeira natureza (muitos já sabem).”

Confira:

Afinal, por que Sérgio Moro apagou a publicação?



da Redação / Jornal da Cidade Online

Bolsonaro manda recado: "Ou vocês confiam em mim, ou não confiam" (veja o vídeo)

Sábado, 03 de Setembro de 2020

Na manhã desta sexta-feira, 02, o presidente Jair Bolsonaro desabafou sobre algumas contestações relativas a indicação do desembargador Kassio Nunes ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Durante uma conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, o presidente ponderou:

“Ou vocês confiam em mim ou não confiam, está certo? Eu não tenho cabeça dura, não. Eu volto atrás em decisões minhas, mas essa decisão é crucial pra mim.”

Confira:



da Redação / Jornal da Cidade Online

Bolsonaro ironiza: “Vocês queriam o Moro no STF, querem que eu troque?” (veja o vídeo)

 Sábado, 03 de Outubro de 2020

Durante sua live, o presidente Jair Bolsonaro ao confirmar a indicação do desembargador Kassio Nunes Marques para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), aproveitou para alfinetar o ex-ministro Sérgio Moro.

Bolsonaro indagou:

“Vocês querem que eu troque pelo Sérgio Moro?”.

E prosseguiu:

“Vocês queriam Sérgio Moro para o Supremo. E me ameaçavam: ‘Se não for Sérgio Moro para o Supremo, acabou!'”.

E acrescentou:

“Agora, vocês querem que eu troque o Kassio pelo Sérgio Moro? E daí? Querem que eu faça o que? Acham que ele vai ser o ministro lá que vai ser leal às nossas causas?”

Confira:


da Redação / Jornal da Cidade Online

Guedes estava certo: Números de agosto demonstram que o Brasil começa a surpreender o mundo

Sábado, 03 de Setembro de 2020

Em um mês historicamente ruim; saindo da "Terra Parada", que gerou uma crise mundial, o Brasil teve o melhor agosto em 10 anos!!!

Não é obra do acaso.

É o fruto das políticas de desburocratização do empreendedorismo, da desoneração ao empregador e todas aquelas outras que os populistas berraram contra, dizendo que iriam tirar os "direitos" do trabalhador.

Lembram quando Guedes disse que o Brasil surpreenderia o mundo?

Então... Aguardem!

"O melhor programa social é um emprego." (REAGAN, Ronald)

Felipe Fiamenghi

O Brasil não é para amadores.

Jornal da Cidade Online

Documentário denuncia esquema cruel de abate de cavalos para exportação na Argentina

Sábado, 03 de Setembro de 2020

Estreou na última segunda feira (28.09), no Youtube, o documentário “5 Corazones” que denuncia um esquema cruel no comércio de carne de cavalo da Argentina para a União Européia (UE).

O comércio de carne de cavalos para consumo humano é considerado tabu no país vizinho, mas é permitido o abate para exportação, o que rende milhões de dólares.

Cerca de 200 mil equinos são mortos e transformados em bifes para exportação todos os anos.

A maior parte dos abatidos são oriundos de roubo, ou são cavalos que não servem para serem montados por motivos de fraturas ou doenças e de carroceiros que não querem mais o animal; o manejo desses animais até o abate é extremamente cruel, como pode ser constatado no documentário.

A Argentina é um dos maiores exportadores de carne de equinos do mundo. Apesar do grande volume de exportação, não existem fazendas que produzem cavalos para o abate.

O filme é extremamente chocante, mas necessário para conhecer uma face da crueldade humana praticada contra animais que muito ajudaram no progresso da história humana.

Foi realizado pela produtora Posibl, dirigido por Matin Parlatto, e locução da atriz argentina e defensora de animais Liz Solari.

“A pilha de cavalos mortos foi a coisa mais horrenda que já filmei”, José Luís (nome fictício) Investigador infiltrado que filmou cenas do documentário

O governo argentino possui um órgão, SENASA (Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar) que é responsável por planejar, organizar e executar programas e planos específicos que regulamentem a produção, orientando-o para a obtenção de alimentos seguros para consumo humano e animal. Esse órgão deveria inspecionar rigorosamente os frigoríficos e abatedouros de animais, mas segundo consta no documentário, não vem fazendo a sua parte, seja por omissão, ou, possivelmente, por generosos subornos aos fiscais do órgão.

Oficialmente existem quatro matadouros de equinos destinados à exportação na Argentina, e uma vez por ano esses matadouros são auditados por uma comissão da UE, mas pelo jeito essa comissão não vem enxergando essas péssimas condições, ou talvez tem sido ludibriada com “maquiagens” dos frigoríficos nos dias da fiscalização.

Outro produto equino que também gera milhões de dólares é a coleta de sangue de éguas, que são mantidas prenhes, para que se recolham até 10 litros de sangue por semana para dele se extrair o hormônio PSMG ou gonadotrofina, que tem uso na procriação de suínos.

Essa é a triste realidade dos cavalos na Argentina: Passam a vida trabalhando e quando envelhecem ou adoecem são maltratados até o abate para virarem comida na mesa da Europa, que cobra compromisso ambiental do Brasil.

Veja o vídeo:

Fonte: G1

Covidão: recorde de crimes no Nordeste

 Sábado, 03 de Outubro de 2020

O governo federal fez um esforço extraordinário e enviou bilhões para estados e municípios combaterem o surto do coronavírus.

E o que governadores e prefeitos fizeram com essa montanha de dinheiro? Adivinhe…

A estimativa é que governadores e prefeitos firmaram algo em torno de R$ 1,3 bilhão de reais em contratos, e o prejuízo aos cofres públicos, apenas nesses casos, pode ter chegado a R$ 775 milhões.

Historicamente dominado por governos de esquerda, o Nordeste possivelmente reuniu os casos mais escancarados de corrupção durante a pandemia.

Leia reportagem completa na Revista A Verdade, desvendando a questão com detalhes importantíssimos.

Vale lembrar que todas as segundas-feiras uma nova edição da Revista A Verdade está no ar com acesso exclusivo aos assinantes do Jornal da Cidade Online de um qualificado material jornalístico.

Se você ainda não é assinante, faça agora mesmo a sua assinatura.

É rápido e fácil.


da Redação / Jornal da Cidade Online

Comentarista da Globo é acusado de manipular sorteio da Copa do Brasil (veja o vídeo)

 Sábado, 03 de Setembro de 2020


O motivo?

É grave!

As imagens mostram o comentarista da TV Globo e ex-jogador, Roger Flores, devolvendo uma bolinha ao tirar uma das que definiram o duelo entre Internacional e Atlético-GO.

Nas redes os comentários é de “manipulação”, por trás do ato suspeito...

Confira:


da Redação / Jornal d Cidade Online

Gabriel Monteiro apresenta áudios e denuncia: "O crime pagou 2 milhões pela minha cabeça" (veja o vídeo)

Sábado, 03 de Outubro de 2020 

Em seu canal no Youtube, Gabriel mostrou oos áudios que comprovariam as acusações.

“Tem gente achando que eu cansei de viver. Não, eu cansei de ver o crime organizado e eu, como policial militar, não poder fazer nada. Podem me matar, podem fazer o que quiser. Não sei se vou chegar aos 30 anos de vida, mas tenho certeza que não vou negligenciar a chama que Deus colocou contra os criminosos em todas as esferas”, disse o PM.

E prosseguiu:

“Não vou temer […] Não peçam para eu parar. Não peçam para eu deixar isso de lado, porque eu não vou parar […] Se eu morrer, prefiro ir para a glória com honra, do que estar aqui na Terra indignamente como esses safados e corruptos.”

Confira:


da Redação / Jornal da Cidade Online

Servidor público tenta “esconder” aprovação por cotas, mas sofre derrota na Justiça

 Sábado, 03 de Novembro de 2020

O requerente havia solicitado para que a informação fosse desindexada pois, segundo alega, “teve sua participação em processos seletivos de outras empresas interrompido, pois, segundo informação extraoficial que lhe foi passada, ele não seria elegível vez que foi aprovado em sua posição atual pela lei de cotas”.

O relator do caso, Vito Guglielmi, considerou que no caso “não se revela ferimento à intimidade do autor a justificar a limitação dos direitos fundamentais à informação e à liberdade de expressão”, e foi seguido por seus pares na votação.

A base para a decisão do TJSP foi o entendimento de que os dados relativos à participação do homem no concurso são públicos, bem como os atributos envolvidos (classificação, aprovação, condição de participação, etc.), e possuem, guardadas as devidas proporções, interesse coletivo em sua transparência.


Fonte: JOTA

da Redação / Jornal da Cidade Online

sexta-feira, 2 de outubro de 2020

Polícia Federal deflagra operação para apurar fraudes em comércio de combustíveis

 Sexta, 02 de Outubro de 2020 


Polícia Federal deflagra operação para apurar fraudes em comércio de combustíveis
Foto: Divulgação / PF

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (2) uma operação para apurar o envolvimento de pessoas físicas e jurídicas em fraudes tributárias no comércio de combustíveis, em São Paulo. Batizada de Operação Andrômina, o cerco persegue débitos fiscais que ultrapassam de R$ 870 milhões.

 

Foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão (um no Rio de Janeiro/RJ, e três em Paulínia/SP), expedidos pela 9ª Vara Federal em Campinas, com o propósito de colher indícios que identifiquem e vinculem sócios ocultos à empresa utilizada para a fraude, além de buscar provas de patrimônio oculto por estratégias de blindagem. 

 

Oito pessoas físicas e seis pessoas jurídicas são investigadas.

 

Segundo o apurado durante as investigações, uma empresa distribuidora de combustíveis, sediada na cidade de Paulínia, no interior de São Paulo, teria atuado como “barriga de aluguel” (empresa constituída para emitir notas fiscais, sem existência fática), criada em nome de interpostas pessoas (sócios “laranjas”) com o único objetivo de intermediar a compra e venda de combustível (etanol) entre as usinas e os postos de combustíveis, sem recolher os tributos devidos pelas operações (PIS, COFINS, ICMS, dentre outros).


Tal prática acarretou em vultuosa sonegação fiscal, resultando em autuação e lançamento tributário de débito no montante aproximado de R$ 500 milhões, no ano de 2014, cujo valor atualizado em execução fiscal corresponde a mais de 870 milhões de reais.

 

Além da fraude fiscal, esse tipo de crime leva empresários a auferirem lucros maiores, vantagem competitiva ilegal e aumento de sua participação no mercado, muitas vezes inviabilizando a atividade de seus concorrentes.

 

Durante as investigações, após autorização judicial, houve o compartilhamento de informações com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional que, por meio do Núcleo de Combate à Fraude Fiscal Estruturada, obteve sucesso em bloquear judicialmente 25 imóveis localizados na Barra da Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro, adquiridos com recursos da empresa fraudadora.

 

Os investigados responderão, na medida de suas condutas, pelo crime de falsidade ideológica e por crimes previstos na Lei de Crimes Contra a Ordem Tributária e Econômica, cujas penas podem chegar a 12 anos de prisão.

PF fecha inquérito da ‘Dark Side’ e indicia Paulinho da Força e mais dois por caixa 2, corrupção e lavagem

Sexta, 02 de Setembro de 2020

Paulinho da Força. Foto: Nilton Fukuda/Estadão

A Polícia Federal em São Paulo concluiu nesta sexta, 2, o inquérito da Operação Dark Side – primeira etapa da chamada ‘Lava Jato Eleitoral’ – e indiciou o deputado federal Paulinho da Força, seu genro, o advogado Cristiano Vilela de Pinho e o ex-tesoureiro do Solidariedade José Gaspar Ferraz de Campos, por falsidade ideológica eleitoral, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Os três foram alvos de ofensiva deflagrada pela PF em julho para apurar suposto caixa 2 de R$ 1,7 milhão pago pela JBS nas campanhas eleitorais de Paulinho à Câmara, em 2010, e à Prefeitura de São Paulo, em 2012.

As investigações que levaram ao indiciamento de Paulinho, Cristiano e José Gaspar foram remetidas à Justiça de São Paulo em 2019, com base nas delações de Joesley Batista e Demilton Antônio de Castro, do Grupo J&F. Nessa linha, quando a Dark Side foi aberta, no dia 14 de julho, os investigadores destacaram que tratava-se da primeira primeira fase da operação Lava Jato junto à Justiça Eleitoral paulista desde o entendimento do Supremo Tribunal Federal que reafirmou sua competência para analisa crimes conexos aos eleitorais.

A ofensiva cumpriu sete mandados de busca e apreensão em São Paulo e em Brasília, tendo a PF vasculhado o gabinete de Paulinho, seu apartamento funcional e ainda a sede da Força Sindical em São Paulo. Além disso, o juiz Marco Antonio Martin Vargas, da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, chegou a determinar o bloqueio de bens do deputado, de seu genro e do ex-tesoureiro do Solidariedade.

Ao pedir a deflagração da Dark Side, a Polícia Federal apontou o deputado federal Paulinho da Força como ‘idealizador e beneficiário’ de doações eleitorais da J&F não declaradas. No documento enviado à 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, a PF detalhou os montantes supostamente pagos ao parlamentar, revelando a entrega de mais de R$ 1 milhão em espécie e repasses por meio de escritório de advocacia administrado pelo genro do deputado.

Em 2010, na campanha ao cargo de deputado federal, Paulinho teria recebido R$ 200 mil. Já em 2012, na campanha à Prefeitura de São Paulo, teria recebido R$ 1 milhão – R$ 750 mil em espécie e R$ 250 mil, por intermédio do escritório de advocacia Vilela Silva e Gomes Advogados, administrado por Cristiano Vilela de Pinho, revelou a PF na ocasião.

Para tanto, Paulinho da Força ‘teria contado com a colaboração e auxílio material do tesoureiro do partido político Solidariedade, Jose Gaspar Ferraz de Campos, que teria intermediado e recebido fisicamente os valores em espécie’, indicou a PF à Justiça.

Ainda com relação ao escritório de advocacia ligado ao genro de Paulinho, a PF ressaltou que Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), hoje batizado Unidade de Inteligência Financeira, detectou a movimentação de R$ 290 mil nas contas do Vilela e Silva Gomes Advogados, em saques fracionados. A prática levantou a suspeita de que a banca estaria sendo usada para lavagem de dinheiro.

Uma outra operação ligada ao escritório também chamou a atenção da Polícia Federal – uma transferência de R$ 269 mil feita pela Força Sindical. Segundo os investigadores, os valores podem ter sido utilizados para quitar despesas de campanha do parlamentar nas eleições de 2012.

COM A PALAVRA, O DEPUTADO FEDERAL PAULINHO DA FORÇA E DEMAIS CITADOS

A reportagem busca contato com o deputado e os demais citados.

Estadão


Reportagem exclusiva revela a empresa que vendeu a ‘maleta hacker’ para o esquema de Helder Barbalho

Sexta, 02 de Setembro de 2020

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Polícia Federal e o MPF apreenderam na Operação SOS um equipamento de espionagem adquirido pela Polícia Civil do Pará e que seria supostamente usado pelo grupo de Helder Barbalho para monitorar os investigadores do esquema de corrupção na Saúde estadual.

O Antagonista descobriu que o dispositivo foi vendido pela Suntech, do grupo israelense Verint Systems. O contrato de R$ 5 milhões foi firmado em janeiro, sem licitação. Os pagamentos foram feitos em parcelas, sendo a primeira paga em junho no valor de R$ 1,17 milhão.

Na especificação do pagamento, consta que o equipamento foi adquirido por meio do programa de “gerenciamento das ações de informação e produção do conhecimento”.

Trata-se de “equipamento de solução de inteligência tática ativa GL2, com capacidade de captar sinais na interface aérea e monitorar comunicação de celulares”. Na prática, segundo MP, o dispositivo permitiria a interceptação ilegal de celulares, inclusive de ligações por WhatsApp, FaceTime e aplicativos criptografados.

“Confirmou-se que o dispositivo é capaz de extrair dados de aparelhos telefônicos, interceptar diálogos criptografados e fazer gravações ambientais, tudo sem autorização judicial, podendo os dados ser apagados facilmente, não deixando rastro sobre sua utilização”, diz o ministro Fracisco Falcão, relator do caso no STJ.

A Suntech, baseada em Florianópolis, é fornecedora de soluções tecnológicas de rastreamento e monitoramento legal para diversos órgãos públicos em diferentes estados. A venda para a polícia paraense de um equipamento que opera à margem da lei pode lançar dúvidas sobre vários desses contratos.

O nome da empresa também surgiu na Operação Chabu, deflagrada em julho do ano passado e que desbaratou esquema de venda de informações sigilosas de investigações estaduais e federais. Na ocasião, a PF chegou a prender o empresário José Augusto Alves, apontado pelo MPF como principal articulador e líder da organização criminosa.

Segundo os procuradores, José Alves e Luciano Teixeira, também detido, eram representantes da Suntech e atuavam em parceria com o delegado da PF Fernando Caieron, o delegado da Civil André Silveira e o agente da PRF Marcelo Winter.

Apesar da acusação do Ministério Público, o diretor comercial da Suntech, Lincoln Egydio Lopes, garante que o dispositivo não possui “capacidade técnica de realização de interceptação de comunicações de aparelhos telefônicos, móveis ou fixos, nem capacidade de gravação ambiental e que os mesmos são totalmente auditáveis”.

(Foto: Reprodução/via O Antagonista)

O Antagonista

Produção na área do pré-sal bate recorde pelo segundo mês seguido; maior número de poços produtores terrestres foi registrado na Bacia Potiguar

Sexta, 02 de Outubro de 2020


Foto: © Geraldo Falcão / Agência Petrobras

Pelo segundo mês consecutivo, a produção na área do pré-sal registrou recorde, tanto no petróleo quanto no gás natural. Em agosto, foram produzidos 2,776 MMboe/d (milhões de barris de óleo equivalente por dia). Desse total, 2,201 MMbbl/d (milhões de barris por dia) de petróleo e 91,398 MMm3/d (milhões de m3 por dia) de gás natural.

No recorde anterior, em julho, a produção de petróleo ficou em 2,179 MMbbl/d e a de gás natural 88,88 MMm3. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (2) no Boletim Mensal da Produção de Petróleo e Gás Natural da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

De acordo com a ANP, o resultado representa aumento de 1,4% em relação ao mês anterior e de 14,4% na comparação com agosto de 2019. “A produção no pré-sal teve origem em 117 poços e correspondeu a 70,7% da produção nacional”.

Produção nacional

Também em agosto a produção nacional atingiu 3,927 Mmboe/d, de acordo com o boletim. Desse total, 3,087 MMbbl/d são de petróleo e 134 MMm3/d, de gás natural. Na produção de petróleo, houve aumento de 0,3% em relação ao mês anterior e de 3,3% frente a agosto de 2019. Na produção de gás natural, a alta ficou em 2,4% se comparado a julho e de 0,1% ante o mesmo mês do ano anterior.

Por causa da pandemia da Covid-19, 33 campos tiveram as suas produções interrompidas temporariamente em agosto. Entre eles, 16 são marítimos e 17 terrestres. Também permaneceram com a produção interrompida 60 instalações de produção marítimas.

Os campos marítimos produziram 96,9% do petróleo e 85,5% do gás natural. Os campos operados pela Petrobras responderam por 94,7% do petróleo e do gás natural produzidos no Brasil. Os que tem participação exclusiva da Petrobras produziram 42,9% do total.

Destaques

O maior produtor de petróleo e gás natural foi o campo de Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos, que registrou 1,004 MMbbl/d de petróleo e 44,5 MMm3/d de gás natural.

A instalação com maior produção de petróleo foi a plataforma Petrobras 77, que produz no campo de Búzios por meio de quatro poços a ela interligados, com a produção atingiu 165,598 Mbbl/d de petróleo.

A unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência (FPSO) Cidade de Itaguaí foi a instalação com maior produção de gás natural. Ela opera no campo de Tupi por meio de sete poços interligados e produziu 7,337 Mmm³/d.

O maior número de poços produtores terrestres (1.097) foi registrado em Estreito, na Bacia Potiguar. Marlim Sul, na Bacia de Campos, foi o campo marítimo com maior número de poços produtores: 67.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Torres

    Falta só a gosolina baixar..

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055