martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

sábado, 4 de julho de 2020

O “Drible da Vaca” da Lava Jato no STF no caso José Serra

Sábado, 04 de Julho de 2020

José Serra

O STF impôs restrições nas investigações contra o senador José Serra.

Inicialmente, a 2ª turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu remeter para a Justiça Eleitoral, o inquérito oriundo da delação da Odebrecht que investigava Serra e Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto.

A mesma 2ª Turma do STF também decidiu que fatos anteriores a 2010 investigados na delação da Odebrecht envolvendo Serra e Paulo Preto estavam prescritos em relação a Serra e ao empresário Ronaldo Cesar Coelho, pois ambos tinham mais de 70 anos.

Isso gerou uma aparente zona de conforto para o veterano senado tucano.

Porém, como a denúncia trata de movimentação de dinheiro em pessoas jurídicas sediadas em paraísos fiscais, as chamadas offshores, o Ministério Público Federal entendeu que o caso é de competência da Justiça Federal, e não da Eleitoral.

Como os casos de corrupção contra Serra foram considerados prescritos, o MPF trabalhou com o entendimento que não precisa haver condenação por corrupção para que se considere que houve lavagem de dinheiro.

Esse entendimento – que pegou o tucano no contrapé – foi baseado na jurisprudência do próprio STF, no caso relativo ao ex-prefeito de São Paulo Paulo Maluf.

A Primeira Turma do STF entendeu que, apesar da prescrição da acusação de corrupção, o ex-prefeito manteve recursos ocultos no exterior caracterizando a continuidade delitiva.

Maluf acabou condenado a sete anos, nove meses e 10 dias de prisão. Ele foi preso em dezembro de 2017 e começou a cumprir a pena em regime fechado na Penitenciária da Papuda, em Brasília, mas teve a prisão domiciliar autorizada três meses depois em decorrência de problemas de saúde.

Agora, chegou a vez de Serra...
Fonte: Folha de S.Paulo
da Redação / Jornal da Cidade Online

Nova variante do vírus da covid-19 se propaga mais rápido que original

Sábado, 04 de Julho de 2020


Foto: reprodução/Visual Science

Estudo anglo-americano sugere que variante atual do vírus da covid-19 possa ser até seis vezes mais infecciosa do que a inicial. A variante da moléstia respiratória covid-19 atualmente dominante nos casos globais é três a seis vezes mais infecciosa do que a cepa original do novo coronavírus, constatou um estudo recente publicado pela revista científica Cell.

Pesquisadores do Laboratório Nacional Los Alamos, em Novo México, e da Universidade Duke, de Carolina do Norte, em colaboração com o consórcio de pesquisa Covid-19 Genomics UK (COG-UK), deduziram que a atual cepa do Sars-cov-2, a D614G, apresenta uma pequena, porém significativa mudança na proteína que se projeta para fora da superfície do vírus, com a qual ele invade e infecta células humanas.

Os resultados iniciais da pesquisa, publicados em abril, foram criticados por não provar que a própria mutação causasse essa dominância, e outros fatores ou o acaso poderiam ser responsáveis. A equipe realizou experimentos adicionais, analisando os dados de 999 pacientes britânicos hospitalizados com covid-19, e constatou que quem contraíra a cepa mais nova apresentava mais partículas virais, mas sem que isso afetasse a severidade da moléstia.

O especialista americano em doenças infecciosas Anthony Fauci comentou no Journal of the American Medical Association sobre a pesquisa de laboratório (da qual não participou): “Acho que os dados mostram que uma mutação isolada faz o vírus replicar-se melhor, e talvez ter grandes cargas virais.” No entanto “não temos uma pista de se um indivíduo sofre mais com isso ou não”: apenas parece que a nova cepa do Sars-cov-2 seria mais transmissível.

Entretanto, essa hipótese ainda precisa ser confirmada: na atual fase, as conclusões só podem ser consideradas “prováveis”, já que experimentos dessa ordem não reproduzem com precisão a dinâmica da pandemia. Embora a variante atualmente em circulação possa ser mais “infecciosa”, é possível que seja menos “transmissível” de pessoa para pessoa.

Num comentário, o virologista Nathan Grubaugh, da Escola de Saúde Pública de Yale, igualmente não envolvido na pesquisa, diz não acreditar que os resultados vão ter grande impacto para o público em geral. “Embora ainda sejam necessários estudos importantes para determinar se isso influenciará o desenvolvimento de medicamentos ou vacinas de modo significativo, não contamos que o D614G altere nossas medidas de controle ou piore os contágios individuais.”

Segundo Grubaugh, trata-se, antes, de “uma olhada ao vivo na ciência em ação: uma descoberta interessante foi feita, potencialmente afetando milhões de pessoas, mas ainda não conhecemos sua dimensão nem impacto totais”.

Terra

Controladoria do RJ vê suspeita de irregularidade em 99,47% dos contratos da Secretaria de Saúde durante o combate à Covid-19

Hospital de Campanha de São Gonçalo – inaugurado com um mês e meio de atraso. — Foto: Reprodução/TV Globo
A Controladoria-Geral do Estado encontrou risco de mau uso do dinheiro público e suspeitas de irregularidade em 99,47% dos contratos e aditivos feitos pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Rio de Janeiro durante o combate à Covid-19.
A conclusão está na nota de levantamento 20200053 da Controladoria – já enviada ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), ao Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e ao Tribunal de Justiça (TJRJ).
Diante do relatório, a SES informou que revisará todos os contratos assinados de forma emergencial durante a pandemia e que punirá “qualquer possível irregularidade”.
Segundo o levantamento feito pelos técnicos, a secretaria de Saúde gastou R$ 1.497.626.148, 68 em contratações para combater a Covid-19. Desse total, R$ 1.489.696.980,04 – ou seja, 99,47% da verba – apresentam risco de terem sido gastos de forma irregular.
Existe, ainda, a possibilidade de que todo o montante utilizado pela secretaria de Saúde no combate ao coronavírus no Estado – na compra de equipamentos de proteção, kits de detecção da doença ou construção de hospitais de campanha – esteja comprometido, uma vez que o 0,53% restante ainda está sob avaliação dos técnicos da CGE.
O mesmo documento da Controladoria aponta que nas outras secretarias do Estado – que não estão especificadas no documento –, mas que também fizeram compras durante a pandemia, esse percentual é de 90,91%.
Controlador: ”Não se pode usar a pandemia como desculpa”
Há trechos de relatórios da Controladoria Geral do Estado nos quais a Secretaria de Saúde utiliza a existência de circunstâncias especiais e estado de emergência causados pela pandemia do novo coronavírus para justificar contratos firmados acima dos valores de mercado e outras ações vedadas pela legislação.
O controlador-geral rebate esse argumento:
“Isso não pode ser usado como desculpa para não se ter controle sobre a verba pública, para não fechar bons contratos e para garantir que esses contratos sejam cumpridos. Nesse tipo de situação que vivemos agora, por conta de toda essa crise, é possível até suspender temporariamente prazos estabelecidos em lei para garantir a velocidade na entrega dos materiais e serviços que a população necessita. Mas não se pode passar por cima das práticas de controle e fiscalização – quando isso acontece, os resultados não são bons. Essa é uma obrigação dos órgãos públicos em qualquer período, sob qualquer circunstância”.
G1

Fiocruz cria ferramenta para diagnosticar a Covid-19 pelo som da tosse

Sábado, 04 de Julho de 2020


Foto: reprodução

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com o governo de SP, está desenvolvendo um sistema para diagnosticar a Covid-19 por meio do som da tosse dos pacientes. O projeto, que se encontra na primeira etapa, pretende auxiliar a população a definir quando é necessário procurar atendimento médico.

O infectologista e pesquisador da Fiocruz Julio Croda explicou que a iniciativa, por enquanto, “ainda é um projeto”. Segundo ele, na primeira etapa de desenvolvimento, nos próximos 30 dias, serão coletados sons de 900 tosses, sendo 300 de infectados com coronavírus, 300 de pacientes com outras doenças e 300 de pessoas sem doenças respiratórias. A partir disso, na segunda etapa, a Intel usará inteligência artificial para determinar “padrões sonoros que identifique a Covid-19 e outras doenças”.

“Após a etapa da coleta para validação da inteligência artificial, vamos oferecer a ferramenta para o governo, estados e municípios. Com acurácia superior a 93%, o paciente poderá ter um score [indicador de saúde do paciente] e, pela avaliação, determinar se tem uma grande chance de ter a Covid-19. Esperamos ajudar no isolamento social e na procura de ajuda médica.”

Julio Croda afirmou que não haverá custos para os estados, municípios e para o próprio governo federal, caso queiram disponibilizar a ferramenta para a população.

“A gente está trabalhando com diagnóstico presuntivo, a ferramenta pode ser usada para levar assistência médica. Se eu fiz no teste no aplicativo e deu probabilidade elevada, eu posso procurar um médico, que pode pedir exames mais específicos e realmente certificar se tenho a doença. Queremos oferecer a ferramenta gratuitamente, dessa forma a gente dá acesso a esse diagnóstico para auxiliar se aquela tosse é Covid-19.”

Jovem Pan

Prefeito de Itabuna-BA explica declaração polêmica, “morra quem morrer”, sobre reabertura do comércio: “Pressão que estou levando ser humano nenhum aguenta”

Sábado, 04 de Julho de 2020

Foto: Prefeitura de Itabuna

Na última quarta-feira (1º), uma declaração do prefeito de Itabuna, Fernando Gomes (PTC), através de transmissão na internet, sobre a reabertura do comércio na cidade, ganhou repercussão nacional após ele dizer que autorizaria que estabelecimentos comerciais reabrissem as portas “morra quem morrer”. Um dia depois, a gestão municipal divulgou uma nota afirmando que o prefeito foi mal interpretado e, nesta sexta-feira (3), Fernando Gomes explicou a declaração.

Fernando Gomes, que tem 81 anos e está no quinto mandato como prefeito em Itabuna, afirmou que a frase foi dita em um momento de pressão sofrida por ele durante o combate à pandemia do coronavírus na cidade.

“A gente diz as coisas e coloca umas palavras soltas, de raiva, já que está na pressão. Não colocaram o que eu disse antes. Ninguém fez mais em saúde em Itabuna que Fernando Gomes, tenho cinco mandatos de prefeito. Todos os postos daqui fui eu que construí. A pressão que estou levando ser humano nenhum aguenta. O governador está no palácio, prefeito está no palácio e prefeito está na rua. O Hospital de Base de Itabuna está hoje com 82 leitos, 10 leitos de UTI. Eu ia abrir (o comércio) e quando chegou na segunda-feira estourou [o número de casos da Covid-19] , encheu a Santa Casa e os 10 leitos de UTI do Hospital de Base. Sabe o que aconteceu? O prefeito que se vire para resolver o problema”, disse Fernando Gomes.

A previsão da prefeitura de Itabuna era colocar em prática a flexibilização das atividades comerciais a partir da última quarta-feira (1º). No entanto, a reabertura foi adiada porque o município registra 100% de ocupação dos leitos de UTI para pacientes com a Covid-19, conforme apontou relatório da Procuradoria Jurídica do Município.

De acordo com o último balanço divulgado pela prefeitura de Itabuna, na sexta-feira, a cidade contabiliza 2.863 casos confirmados da Covid-19, 1.136 pessoas curadas e 72 mortes. Dados da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), informados no mesmo dia, dão conta de que o município é o quinto da Bahia com maior coeficiente de incidência por 100 mil habitantes, atrás apenas de Itajuípe, Gandu, Ipiaú e Uruçuca, todas também no sul do estado.

Na quarta-feira, Fernando Gomes falava sobre o processo de retomada do comércio na cidade quando, ao citar o dia de provável reabertura, disse “morra quem morrer”. A declaração foi parar nas redes sociais e teve uma repercussão negativa.

“Primeiro, lutar pela vida, a vida é uma só. [Depois que] morrer, acabou [a vida]. Não tem fortuna, não tem pobreza, não tem falência, não tem nada. Mas não posso abrir uma coisa que não tenho cobertura. Com a dúvida, com os nossos morrendo por causa de um leito em Itabuna, vou transferir essa abertura. No dia 8, mandei fazer o decreto, que no dia 9 abre, morra quem morrer”, disse o prefeito na quarta-feira.

O prefeito lembrou os 115 dias de fechamento do comércio não essencial, mas garantiu que não tem qualquer descaso pela vida da população. O gestor disse também que se arrependeu da declaração.

“A pressão que recebo hoje em Itabuna, pouco ser humano aguenta receber. Uma palavra que eu disse. Agora querem criticar. Tudo política. Se você está em uma pressão, solta uma frase qualquer. Se está numa guerra, solta uma frase. Uma frase que um homem que está governando o município. Quer matar alguém? Não. Minha preocupação sabe o que é? O comércio está há 115 dias fechado”.

Um dia depois da declaração do prefeito, o governador da Bahia, Rui Costa, decretou toque de recolher em Itabuna. Fernando Gomes explica que já tinha decidido pela medida por três vezes mas, na última, a Justiça suspendeu o decreto.

“Fiz o primeiro, segundo e terceiro [toque de recolher]. Só que o juiz de Itabuna derrubou meu decreto. Aí disse ao governador, que decretou. O juiz que não vai na rua, não vê a situação, derruba. A lei é para se cumprir”.

“(O governador) falou comigo, conversamos tudo. Uma frase que eu disse. Quem mais fez e faz pela vida sou eu em Itabuna na história. A imprensa bota só uma palavra. Estou consciente, sou cara de fé, sei o que estou fazendo”, continua o prefeito.

O prefeito de Itabuna reafirma o desejo de abrir o comércio da cidade, mas com segurança.

“Quero abrir comércio com segurança. Se eu tivesse, hoje, 20 leitos disponíveis, abriria hoje. Tem que ter normas, começar 9h e terminar 16h, todo mundo com máscara, álcool em gel na porta. Meu decreto é duro”.

Extra

PRF recupera carreta roubada com carga de cerveja avaliada em mais de R$ 217 mil, em Macaíba

Sábado, 04 de Julho de 2020

Foto: PRF

A Polícia Rodoviária Federal recuperou, na noite desta sexta-feira (03), na BR 304, em Macaíba/RN, uma carreta com carga de cerveja avaliada em mais de 217 mil reais, que havia sido roubada pouco antes em Canguaretama/RN, e libertaram na localidade de Cajupiranga, em Parnamirim/RN, o motorista da carreta que havia sido sequestrado.

Foto: PRF

Após os criminosos roubarem a carreta em Canguaretama/RN, sequestraram seu motorista em um GM/Onix e seguiram sentido Parnamirim/RN, quando foram abordados por uma equipe PRF, tendo os criminosos fugido e o refém consequentemente libertado.

Outra equipe PRF diligenciou em busca da carreta, onde a encontraram, fechada e com a carga, em um posto de combustível em Macaíba/RN.

A ocorrência foi encaminhada à Delegacia de Plantão Zona Sul, em Natal/RN.

Fonte: Blog do BG

BNDES prorroga linha de crédito para pequenas e médias empresas, com mais R$ 5 bilhões

Sábado, 04 de Julho de 2020

Foto: reprodução

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) anunciou na manhã deste sábado, 4, a prorrogação da linha BNDES Crédito Pequenas Empresas até 31 de dezembro, com orçamento ampliado em mais R$ 5 bilhões. O orçamento da BNDES Crédito Pequenas Empresas já tinha sido ampliado em R$ 5 bilhões, ainda em março, no primeiro conjunto de medidas do banco de fomento para mitigar a crise causada pela pandemia de covid-19. A nova ampliação foi decidida após os R$ 5 bilhões da ampliação de março terem sido totalmente contratados.

Segundo o BNDES, desde março, foram aprovadas 16.318 operações com 15.094 empresas, que empregam 372.800 pessoas. “A média do valor do empréstimo por operação ficou em torno de R$ 318 mil. O principal setor econômico contemplado foi o de comércio e serviços, com 79,7% dos recursos, seguido pelo de indústria de transformação (19,5%), agronegócio (0,7%) e indústria extrativista (0,1%)”, diz a nota, divulgada neste sábado pelo BNDES.

Com foco no financiamento de capital de giro, a BNDES Crédito Pequenas Empresas é operada indiretamente. As empresas fecham os empréstimos com bancos comerciais da rede repassadora do banco de fomento. Nessa linha específica, são 31 agentes financeiros atuando em todo o País.

A BNDES Crédito Pequenas Empresas já existia antes da crise da pandemia. Em janeiro, já tinha passado por uma ampliação, ao passar a aceitar pedidos de crédito de empresas com faturamento anual de até R$ 90 milhões – até o ano passado, o limite era bem mais baixo, de R$ 4,8 milhões. Em janeiro, o valor máximo dos empréstimos também foi elevado de R$ 500 mil para R$ 10 milhões a cada 12 meses.

Em março, já no contexto de enfrentamento da crise, passou a aceitar pedido de empresas com faturamento anual de até R$ 300 milhões. O banco de fomento também ampliou o valor máximo dos empréstimos R$ 10 milhões para R$ 70 milhões a cada 12 meses. A elevação desse limite acompanha a ampliação do faturamento máximo que a empresa deve ter para ser elegível aos financiamentos – quanto maior o porte da empresa, maior será sua necessidade de capital de giro.

Por outro lado, as condições de financiamento não mudaram em março, uma vez que já tinha havido uma ligeira redução de juros no início de fevereiro, também antes da pandemia. Quando foi lançado, em março de 2019, os empréstimos da BNDES Crédito Pequenas Empresas já tinham prazo máximo de cinco anos, com carência de até dois anos. Já o “spread” do BNDES (que entra na conta da taxa final de juros) era de 1,45% ao ano no desenho original, mas foi reduzido para 1,25% a partir de 3 de fevereiro deste ano. Ou seja, todas essas condições (prazo máximo de cinco anos, com carência de até dois anos, e “spread” de 1,25% ao ano) já estavam vigentes antes das ampliações de março, para enfrentar a crise.

Ao anunciar a nova ampliação da BNDES Crédito Pequenas Empresas neste sábado, o banco não informou sobre mudanças nas condições dos empréstimos. Na nota, a instituição de fomento ressalta que “as taxas de juros variam, pois são negociadas entre a empresa e o agente financeiro”. A média dos juros finais cobrados às empresas de todos os portes elegíveis na linha está em 11,23% ao ano, segundo o site do BNDES.

“O objetivo da linha nessa segunda etapa permanece o mesmo: oferecer recursos para o uso livre das empresas, de maneira simples e ágil, por meio dos agentes financeiros parceiros (cooperativas de créditos e bancos comerciais, públicos ou privados)”, diz a nota do banco.

Estado de Minas

OPINIÃO DOS LEITORES:

  1. S. Silva
    Aí papai!!!
    O homem ta reeleito no primeiro turno.
    Kkkkkk
    Chola não bb.
    Chola não petralhas parasitas.

Enquanto Pernambuco decide não comprar mais pelo Consórcio do Nordeste, secretário Cipriano Maia defende manutenção do consórcio

Sábado, 04 de Julho de 2020


Foto: reprodução

Desde que o Consórcio do Nordeste foi formado, um dos objetivos foi a compra dos respiradores para ajudar no atendimento aos pacientes da Covid-19, mas o que se viu foram casos de suspeitas de superfaturamento e até de perda de dinheiro.

A Secretaria de Saúde de Pernambuco já enviou ofício ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) no qual informando que o Estado de Pernambuco não irá mais realizar compras para o enfrentamento da covid-19 através do Consórcio Nordeste. Enquanto isso, o secretário de Saúde do Rio Grande do Norte, Cipriano Maia, defende a manutenção do Consórcio e alega que os estados foram enganados.

Vale destacar que o Governo do Estado pagou cerca de R$ 4,9 milhões por 30 equipamentos, que ainda não foram entregues. O próprio Consórcio desistiu da compra de 750 respiradores inicialmente solicitados ao valor de aproximadamente R$ 48 milhões. O valor pago pelo RN ainda não foi recuperado.

O objetivo foram compras conjuntas para gerar economia. Inclusive, a Secretaria de Saúde do estado diz que obteve uma redução em 30% de vários itens, mas aí veio a fraude dos respiradores.

Outros estados começam a tomar posição. Pernambuco disse que não compra mais nada na pandemia pelo consórcio. Aqui não só vai comprar, como reafirmar a manutenção.

Fonte: Blog do BG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. rodrigo araujo
    sera que teria algum beneficio?
  2. Maldonado
    Fátima do PT, tá acabando com o RN.
    Lamentável!!!
    Pernanbuco o governador, é de esquerda mas não do PT.
    Teve coragem de romper com o consórcio sanguessuga.
    Uma vergonha.
    Cadê o zelo com o dinheiro dos potiguares??
    Imoral!!
  3. Cidadão De Verdade
    O Consórcio tem ajudado bastante o povo Potiguar, não vamos politizar a questão, o RN já foi muito ajudado pelo consórcio.
  4. Cabo Silva
    Nós sabemos porquê.

RN registra 489 novos casos de coronavírus e mais 29 óbitos; Total de mortes chega a 1.200 e infectados são 33.910

Sábado, 04 de Julho de 2020

Foto: Getty imagens/FPM

O Rio Grande do Norte registrou nas últimas 24 horas, 489 novos casos de coronavírus e 29 óbitos, de acordo com os dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), neste sábado (4).

Agora, no total são 33.910 infectados e 1.200 óbitos provocados pela Covid-19 no RN. Há 171 mortes sob investigação.

O número de suspeitos chega a 45.614, casos descartados são 53.465.

Fonte: Blog do BG

Bolsonaro diz em rede social que ministro da Educação “ainda não foi definido”

Sábado, 04, de Julho de 2020

Foto: reprodução

O presidente Jair Bolsonaro afirmou a um apoiador, em resposta a um comentário feito no Facebook, que “ainda não foi definido” quem irá substituir Carlos Alberto Decotelli no Ministério da Educação.

A afirmação foi feita na manhã deste sábado, 4, em resposta ao comentário de um seguidor que se disse “pasmo” com as descobertas feitas sobre o currículo de Decotelli. “O senhor indicou novo ministro da educação, em cinco minutos descobriram tanta coisa dele que fiquei pasmo, será que o governo não tem ninguém que possa fazer essas consultas antes para evitar tanta matéria para o Jornal Nacional”, escreveu o seguidor no Facebook.
Imagem: reprodução/Facebook

O presidente ainda não confirmou se o atual secretário de Educação do Paraná assumirá o MEC, apesar de o convite ter sido feito. “Ainda não foi definido o nome do futuro ministro da Educação. Um abraço”, respondeu Bolsonaro na publicação.

A indicação de Feder, anunciada na manhã desta sexta-feira (3), começou a balançar no final do dia devido à resistência de aliados próximos a Bolsonaro e de parte de sua base eleitoral.

Há apenas 1% de chance de o presidente Jair Bolsonaro manter a nomeação de Renato Feder para o comando do Ministério da Educação. É o que disse ao R7 uma fonte ligada ao presidente, destacando que esse 1% só existe porque o presidente “é imprevisível”.

O presidente Jair Bolsonaro também teria afirmado a parlamentares na manhã deste sábado (4), segundo a CNN, que não vai escolher o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, para o Ministério da Educação. “Está fora”, teria afirmado Bolsonaro a interlocutores. “Não tem ninguém ainda”.

Na conversa, de acordo com relatos, Bolsonaro brincou com o fato do nome de um indicado perder força quando sai na imprensa, ainda que favorito, porque passa por um raio-X.

Com informações de CNN, R7 e BR Político.

Noites de julho terão eclipse lunar e chuva de meteoros



Lua durante o eclipse lunar de 20/1/2019. Foto tirada em Southern Oklahoma, EUA (Foto: Public Domain Pictures/Sheila Brown)
Julho é mês de férias escolares, e na maior parte do país o tempo costuma ser favorável às observações astronômicas, com noites limpas e estreladas. Não faltam motivos para olhar para o céu. O nosso inverno é a melhor época para apreciar o esplendor da Via Láctea, a galáxia onde vivemos. Em localidades afastadas das luzes urbanas, pode-se ver seu brilho tênue atravessando o firmamento de horizonte a horizonte, dominado pelas constelações brilhantes de Escorpião e Sagitário. E para tornar o mês ainda mais especial, teremos eclipse lunar, chuva de meteoros, e as melhores oportunidades para observar Júpiter e Saturno. Um prato cheio para os entusiastas da Astronomia.
CALENDÁRIO CELESTE
Dia 5: Lua na Penumbra
Pelo segundo mês consecutivo, temos um eclipse lunar penumbral, com a Lua atravessando a região menos escura da sombra que a Terra projeta no espaço. Desta vez, os brasileiros poderão acompanhar o fenômeno na íntegra, mas não espere nada espetacular. Será perceptível apenas uma pequena diminuição no brilho do nosso satélite. É das 00h07 às 02h52, com máximo às 01h29 da madrugada.
Dia 14: A Noite de Júpiter
O maior planeta do Sistema Solar atinge sua oposição, termo astronômico que significa que o planeta fica oposto ao Sol na esfera celeste. É a melhor posição para observação, com o planeta mais alto no céu e também visível durante mais tempo. Júpiter pode ser visto na direção da constelação de Sagitário, brilhando mais que qualquer estrela.
Dia 20: O Senhor dos Anéis
Ao lado de Júpiter está Saturno, que também atinge a oposição este mês. Um pequeno telescópio irá mostrar seus delicados anéis e algumas de suas maiores luas, como Titã. Uma visão inesquecível.
Dia 28: Meteoros em Aquário
Fechando o mês está a chuva de meteoros Delta Aquarídeos do Sul, causada por detritos deixados pelo cometa 96P/Machholz. Os meteoros parecem se originar na constelação de Aquário, mas podem ser vistos por todo o céu. É um fenômeno que é melhor apreciado em locais de céu bem escuro. Olhe para o leste a partir das 21h. O melhor horário é a partir da 1h.
Galileu

Vitória! Brasil se aproxima de 1 milhão de curados da Covid

Sábado, 04 de Julho de 2020


Líder absoluto em número de recuperados da Covid-19, o Brasil se aproxima de 1 milhão de pessoas curadas da doença. Os dados são da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, referência em dados da pandemia.

Para se ter uma ideia, os EUA, que já passaram de 2,7 milhões de infectados, possui pouco mais de 780 mil recuperados.

Comparando um país com outro, o Brasil pode dizer que 64% de seus infectados já estão curados, enquanto que a taxa de recuperados nos EUA é de cerca de 28%.

Quanto ao número de óbitos, o Brasil também está lidando melhor com a doença do que a nação de Donald Trump. Aqui, temos 61,8 mil vítimas fatais da doença. Nos EUA este número mais do que dobra, com 129 mil mortos.

Se considerarmos a proporção das mortes, EUA e Brasil seguem no mesmo ritmo, com uma taxa de 4,6% e 4,1%, respectivamente.


(Pleno News)

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055