martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

sábado, 9 de maio de 2020

Cantor Netinho convoca carreata pró-Bolsonaro em Salvador no Dia das Mães

Sábado, 09 de Maio de 2020


Foto: Divulgação

Defensor ferrenho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o cantor Netinho utilizou as redes sociais para convocar uma carreata pró-Bolsonaro em Salvador, domingo (10), no Dia das Mães. 

“Olá, soteropolitanos que apoiam Jair Bolsonaro. Quero convidar vocês mais uma vez para a nossa mega carreata deste domingo, dia 10 de maio, dia das mães. Vamos fazer uma mega carretada para mostrar nosso apoio a Jair Bolsonaro”, afirmou.

No entanto, Netinho alertou para o uso de máscaras durante o evento e garantiu que não haverá aglomeração. 

“Uma manifestação pela democracia, criada pelo povo. Não tem nenhum político e ninguém vai ver político fazendo campanha e discurso. A orientação é que todos usem máscaras e que ninguém saia dos carros. Não faremos nenhum tipo de aglomeração. Passearemos pela cidade, fazendo nossa carreata e buzinando. Depois vamos almoçar com as mães, lembrando que chegando em casa, tira a roupa, toma banjo, se limpa todo, para dar um beijo na mãe, pois esse vírus existe”, acrescentou.

A concentração da carreta será no Centro Administrativo da Bahia (CAB), a partir das 9h, no domingo (10). O encerramento está previsto no Morro do Cristo, na Barra.

RN tem 1.919 casos de coronavírus e 87 óbitos, 6 deles confirmados nas últimas 24h. Suspeitos são 6.696

Sábado, 09 de Maio de 2020


Imagem: Freepik

A Secretaria de Estado e Saúde Pública (Sesap) divulgou os números atualizados do coronavírus no Rio Grande do Norte neste sábado (8).

Com o registro de 98 novos infectados, o total de casos confirmados é de 1.919. No boletim da sexta-feira eram 1.821.

O número de óbitos chega a 87, com 6 confirmações a mais que as registradas no boletim ontem. Foram dois em Natal e outros quatro nas cidades de Mossoró, Apodi, Canguaretama e Grossos. Outros 39 óbitos estão sob investigação.

Os casos suspeitos são 6.696, enquanto ontem este número era de 5.704.

Recuperados são 662.

Fonte: Blog do BG

VÍDEO: Com mais de 50 casos confirmados de coronavírus, manhã deste sábado em Assu tem grande circulação de pessoas no centro da cidade

Mesmo com a prisão na sexta-feira de um homem diagnosticado com coronavírus que estava na fila de um banco na cidade de Assu e assim descumprindo a quarentena, a população da cidade parece não ter se dado conta da gravidade da situação em relação à pandemia.
Vídeo da manhã deste sábado (8) mostra uma intensa circulação de pessoas na rua São João, centro da cidade. Apesar do uso de máscaras, observa-se bastante gente caminhando nas ruas e calçadas. Ainda é possível ver uma viatura da Polícia Militar passando pelo local.
De acordo com dados da Sesap do dia 8 deste mês, a cidade de Assu tem 55 casos suspeitos, 53 casos confirmados, três óbitos confirmados por coronavírus e outros dois em investigação.
OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Zanoni
    Por isso o lockdown é necessário. Um povo que não se autogoverna, mesmo diante da pandemia, tem que ser governado, professora Fátima.
    • Ricardo
      Todo o mundo de máscara. Deixe que as pessoas se governem e assumsm os riscos. Essa gripe está deixando os aspirantes a ditador muito excitados.
    • fran
      Você nem saber o que está dizendo, idiota!
      Lockdown quem deve fazer é sua vó.
      O povo livre!
      FIQUE DENTRO DE CASA VOCÊ, PALHAÇO!

Número de casos no RN sobe e secretário recomenda respeito ao isolamento social para evitar aumento de internações e colapso no sistema

Sábado, 09 de Maio de 2020


Imagem: reprodução/YouTube

O secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia, na coletiva de imprensa para atualização dos dados da Covid-19 no Rio Grande do Norte, realizada neste sábado (09), na Escola de Governo, foi enfático ao recomendar que a população permaneça em casa. “Já havíamos alertado que o relaxamento do isolamento social, o descumprimento dos decretos, refletiria em mais casos confirmados, suspeitos e óbitos. Esse fato também se reflete na situação de internação”, disse.

Atualmente, o RN 285 leitos ocupados, sendo 161 na rede pública e 124 na rede privada. Desse total, 143 pacientes estão em estado crítico e 104 em observação. Cipriano informou que hoje pela manhã havia fila de pelo menos 10 pacientes aguardando leitos, mas a Sesap já autorizou a transferência para a rede privada, de acordo com a pactuação, caso não seja possível atendê-los na rede pública.

O secretário alertou que, se as medidas de controle e contenção não forem obedecidas, o sistema poderá entrar em colapso a qualquer instante. “Com aglomerados em filas e no comércio, sem as medidas adequadas de higiene, o vírus será propagado cada vez mais, pois já é comprovado que ele permanece em ambientes físicos por muito tempo”, alertou.

Cipriano informou também que foram abertos 10 novos leitos no Hospital São Luiz, mais 5 no Hospital Regional Tarcísio Maia e mais 10 no Hospital Rafael Fernandes, em Mossoró. Em Natal e Região Metropolitana, está havendo limitação para abertura de novos leitos, devido à falta de equipamentos, além de trâmites burocráticos, mas uma das soluções para ampliar o número de leitos na Capital está sendo a transferência de pacientes do Hospital Giselda Trigueiros para outras unidades hospitalares, liberando esses leitos para pacientes em estado de observação. “A gente volta a alertar para que a população obedeça às medidas de contenção”, pontuou.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lucianobrito
    Qual foi o tempo que o sistema de saúde do RN esteve bom, sempre foi precário só agora ele está se colapsando tá de brincadeira. Falta de vergonha na cara dos gestores passado e o atual tá indo na mesma desgraça.
  2. Soraya
    Lockdown urgente, está esperando o que?
    • Mito
      Que você deixe de ser funcionária pública e venha produzir para se sentir útil e saber o que é ter um comércio fechado.
  3. António pires Cunha
    Esse secretário está mais perdido do que cego em tiroteio.
    O Dr. Petrônio não deixa ele falar.

Sem vagas em cemitérios públicos, prefeitura de Natal contrata Morada da Paz para enterrar e cremar mortos pela Covid-19

Sábado, 09 de Maio de 2020

Imagem: reprodução

A Prefeitura de Natal vai contratar o Cemitério e Crematório Morada da Paz para prestação de serviços de sepultamentos e cremação de humanos, suprindo as necessidades da secretaria municipal de Saúde para o setor funerário diante da pandemia.

A dispensa de licitação foi publicada no Diário Oficial do Município (DOM) desta sexta-feira (8) e o contrato terá o valor total de de R$ 1.453.600,00 milhão, pago de acordo com o quadro de mortalidade no município. Segundo o extrato, o modelo “dispensa de licitação” se baseia no decreto estadual de calamidade pública publicado em 19 de março de 2020.

Não há detalhes sobre o valor unitário por sepultamento ou cremação. A agência Saiba Mais procurou o secretário George Antunes para detalhar os termos do contrato, mas ele não atendeu as ligações nem responder a mensagem.


Imagem: reprodução/publicação registrada no diário oficial de sexta (08 de maio 2020).

Em março, a secretaria municipal de Serviços Urbanos, responsável pelos oito cemitérios públicos da capital potiguar, cogitava verticalizar os cemitérios para aumentar o número de vagas, conforme informado pela prefeitura na época.

Segundo um levantamento feito pela Tribuna do Norte, em Natal e Mossoró, os cemitérios públicos apresentam déficits de novas vagas e dependem de novos processos licitatórios para expansão. Em Natal, não há nenhuma vaga em nenhum dos oito cemitérios públicos.

Isso significa que, os óbitos decorrentes tanto da Covid-19, quanto de outros problemas de saúde que dependam de sepultamentos públicos, só poderão ser enterrados em vagas já existentes em jazigos familiares, por exemplo, ou ainda em vagas provisórias para transferência posterior.

Saiba Mais

Fonte: Blog do BG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Said
    Entendi,esse é um problema de gestão ao longos dos anos,a cidade cresceu bastante e os governantes não acompanharam esse crescimento em relação aos cemitérios,então esse não é um problema causado pelo números de mortes do Covid 19,e sim falta de gestão.

OCDE deve esperar fim da investigação sobre acusações de Moro para avaliar adesão do Brasil

Sábado, 09 de Maio de 2020


Foto: reprodução

A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) deve esperar o resultado final do inquérito que investiga acusações feitas pelo ex-ministro Sérgio Moro para avaliar a candidatura do Brasil como membro da instituição. “É mais importante ter todas as informações do que tomar decisões apressadas”, disse o chefe do grupo antissuborno da OCDE, o esloveno Drago Kos, em entrevista ao Estado.

A agência Bloomberg revelou nesta semana que a candidatura do Brasil estava ameaçada após Moro acusar o presidente Jair Bolsonaro de interferir na Polícia Federal. Ao Estado, Kos afirmou que o Brasil já iria se reportar à OCDE em junho, quando esperava um aval do setor anticorrupção no sentido de que os critérios para aderir à OCDE nesta área eram cumpridos no País. Agora, no entanto, Kos imagina que a decisão poderá ficar para outubro. “Como as próximas gerações de policiais federais, procuradores e juízes no Brasil saberão que podem trabalhar contra a corrupção? E é com isso que nos preocupamos.”, afirma Kos.

Abaixo, os principais trechos da entrevista:

A renúncia de personalidades como o juiz Moro não acontece com muita frequência. Então esse é um motivo para preocupação. Quando algo assim acontece, a saída de um nome mundialmente reconhecido como alguém que combate a corrupção, todos ficam com medo das consequências. O que isso significará? Como as próximas gerações de policiais federais, procuradores e juízes no Brasil saberão que podem trabalhar contra a corrupção? E é com isso que nos preocupamos. Se virmos que eles poderão continuar a fazer seu trabalho como antes, então não será um grande problema.Vejo uma oportunidade para o Brasil provar que, mesmo sem Moro, o País é capaz e tem o desejo de lutar contra a corrupção. Não temos pressa. Nós vamos esperar para ver o que o Brasil tem a dizer em junho. Se não tivermos a informação completa, nós vamos esperar até outubro. Mas nós iremos esperar todas as informações necessárias antes de avaliar a entrada do Brasil na OCDE.

O sr. Falou, na entrevista à Bloomberg, que a OCDE está perguntando às autoridades brasileiras “o que está acontecendo?”. O governo brasileiro ofereceu alguma resposta neste momento?

Essa pergunta será feita ao governo no final de junho, quando teremos o encontro de trabalho do grupo antissuborno. Normalmente, fazemos essa discussão pessoalmente, mas em razão da pandemia o encontro será online.

Nós só temos as informações publicadas na imprensa. Não temos os detalhes do procedimento que se segue a esses acontecimentos. Então, basicamente queremos do Brasil uma explicação do que aconteceu e que falem como os procedimentos estão andando e quais são as diferentes formas de lidar com o caso. Não será um interrogatório, será uma entrevista perguntando de fato o que aconteceu, o que está acontecendo agora com a investigação, quem está fazendo essa investigação e como isso pode terminar?

Eu não sei responder a essa pergunta porque não sei toda a extensão das alegações e também não sei quão profundamente essas investigações serão investigadas. O fato de os resultados da investigação não serem conhecidos até junho não significa que haja algo errado com essa apuração, e então perguntaremos a mesma coisa de novo no encontro de outubro.

Isso significa que se a investigação sobre as acusações feitas por Moro não estiver concluída em junho a OCDE esperará até outubro?

Depende. Eu diria que o mais provável é que vamos querer ver o resultado da investigação. Se não tivermos em junho, podemos esperar até outubro. Não estamos com pressa, é mais importante ter todas as informações do que tomar decisões apressadas. Faremos no nosso tempo, queremos ver realmente o que essa investigação vai mostrar. Estamos dispostos a esperar para ter essas informações.

O Sr. esteve no Brasil no ano passado, quando o STF vetou o compartilhamento de dados fiscais e bancários entre órgãos de investigação sem prévia autorização judicial (uma decisão liminar havia sido tomada em julho em um processo a pedido do senador Flávio Bolsonaro). Já havia uma preocupação com a rede de controle e combate à corrupção no País?

Temos dois tipos de missão, a de avaliação, e as de alto nível, somente para países onde vemos uma séria preocupação. Ano passado, o Brasil recebeu uma visita de alto nível, estávamos preocupados com o desenvolvimento das medidas anticorrupção e queríamos ver o que estava acontecendo. Algumas das nossas preocupações foram respondidas e, sobre o restante, vamos saber em junho. Nós fomos ao Brasil porque o Supremo Tribunal Federal tomou algumas decisões que poderiam ser interpretadas como contrárias ao combate à corrupção. Tivemos uma reunião muito produtiva com o Supremo, e imediatamente depois a Corte deu sinais positivos. Ainda havia algumas questões menores em aberto, mas não tão importantes quanto outras medidas que o Brasil já tomou. O Brasil já iria se reportar a nós em junho sobre os resultados finais da nossa visita no ano passado, estaria na agenda de uma forma ou outra, e agora vamos estender a agenda para abarcar a questão do Moro.

Estadão Conteúdo

Profissionais da saúde são 26% dos infectados pelo coronavírus no RN

Sábado, 09 de Maio de 2020

Foto: Reprodução/RPC

De acordo com o boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde Pública – Sesap com dados atualizados até o dia 7 de maio, os profissionais da área da Saúde representam 26% do total de 1.821 infectados pelo coronavírus no Rio Grande do Norte até a data do levantamento. No total são 475 pessoas, entre as mais diversas funções. Neste sábado (9), a Sesap divulgou o registro 1.919 casos no estado, mas não foi atualizado o número de trabalhadores da saúde contaminados.

Destes 475 profissionais, 161 (34%) deles são técnicos ou auxiliares de enfermagem, outros 70 (14,7%) são médicos e 49 (10,3%) são enfermeiros. O boletim ainda informa que há 843 casos suspeitos e 1.813 descartados.

Imagem: Reprodução

Evolução

Em 1º de abril, quando o RN registrava 92 casos confirmados, 37% deles eram de profissionais da saúde, ou seja, 34 pessoas.

Até 14 de abril eram 126 profissionais da área com coronavírus, 33,5% dos 376 casos que o RN registrou naquela data.

No dia 28 de abril, quando o número de casos confirmados de coronavírus no estado era de 857, os profissionais da área eram 26% dos contaminados, 224 trabalhadores da saúde.

Fonte: Blog do BG

MPF quer que Ministério da Saúde apresente dados sobre leitos e respiradores na rede particular

Sábado, 09 de Maio de 2020

Foto: A. Bâeta/Prefeitura de São Luís

Ministério Público Federal (MPF) fez recomendação ao Ministério da Saúde para que sejam coletadas e disponibilizadas informações sobre a taxa de ocupação dos leitos e a quantidade de respiradores pulmonares na rede privada de saúde. O MPF quer que o Ministério da Saúde, com base nessas informações, regulamente a requisição de leitos privados pelos gestores públicos, definindo critérios para avaliar a necessidade dos pedidos, bem como as regras de custeio e de acesso às vagas.

A recomendação foi expedida conjuntamente pelas Procuradorias da República em São Paulo e no Rio de Janeiro, Estados onde a incidência da covid-19 é aproximadamente 50% maior do que a nacional.

Segundo nota enviada pelo MPF, a requisição de bens e serviços da saúde privada em uma situação de pandemia como a atual está prevista na Constituição e nas Leis 8.080/90 e 13.979/20, além de ter sido recomendada pelo Conselho Nacional de Saúde.

O MPF lembra que, segundo dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e do Ministério da Saúde, 75,75% dos brasileiros não têm acesso a plano de saúde, enquanto metade dos leitos de UTI do País pertencem a estabelecimentos particulares (cerca de 15 mil).

“O levantamento de dados sobre a disponibilidade de leitos na rede privada se mostra ainda mais urgente diante das previsões de avanço da doença no Brasil e das experiências vivenciadas por outros países, como Itália e Espanha, que requisitaram o uso de equipamentos de saúde particulares”, afirmam os membros do MPF. Em maio, continua a nota, estima-se que a maioria dos estados brasileiros deva atingir a capacidade máxima de lotação de leitos de UTI do SUS.

O MPF recomenda que, no prazo de cinco dias, o Ministério da Saúde altere a portaria nº 758, de 9 de abril de 2020, para que o registro de internações hospitalares dos casos suspeitos e confirmados de covid-19 passe a ser obrigatório em todos os estabelecimentos de saúde públicos e privados, independentemente da prestação de serviços pelo SUS. “Entre as informações mínimas a serem fornecidas pelas unidades de saúde, também deverão ser incluídas a taxa de ocupação de todos os seus leitos (discriminando aqueles de clínica médica e de UTI, bem como os destinados ou não a pacientes com covid-19) e o número de respiradores pulmonares em uso, livres e em manutenção. As procuradoras pedem que os dados coletados sejam disponibilizados de forma transparente em sítio eletrônico na internet”, diz o texto do MPF.

Estado de Minas

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055