martins em pauta

sábado, 27 de abril de 2019

FILHO ENCONTRA CORPO DO PAI NAS ÁGUAS DO RIO MOSSORÓ.

Sábado, 27 de Abril de 2019



Jair Soares da Silva 49 anos de idade, que estava desaparecido foi encontrado morto nas águas do Rio Mossoró, na manhã deste sábado 27 de abril de 2019.

A viatura do Centro encontra-se isolando a área na Barragem existente após as pontes que liga o Alto São Manoel para o Centro. 

As informações da Polícia Militar, é que Jair estava desaparecido à cinco dias, e seu filho teria recebido uma informação que teriam matado ele de faca e jogado o corpo no Rio. 

O filho passou a procurar e o encontrou na manhã deste sábado. 

As suspeitas foram confirmadas, depois dos procedimentos realizados no local, pelas equipes da Delegacia de Plantão e do Instituto Tecnico-Cientitico de Pericia, Itep. Jair Soares da Silva foi mesmo assassinado a golpes de faca peixeira ou facão .

Mossoró contabiliza 50 mortes violentas em 2019.


Mais imagens


Fonte: Passando na Hora

Bando de corruptos

Sábado, 28 de Abril de 2019

“O Brasil é governado por um bando de malucos, afirma Lula na prisão” é a manchete sensacionalista de hoje (27) da Foice de São Paulo.

Longe do que afirma o ‘Princeps Corruptorum’, o execrável Lula - o político mais corrupto das democracias ocidentais em todos os tempos - o Brasil não é governado por um bando de malucos. Muito ao contrário, possui uma equipe de governo capaz de fazer inveja ao mundo civilizado. O que estraga é a Câmara presidida por Rodrigo Maia, e o Senado, presidido por Davi Alcolumbre, ambos encalacrados com processos no STF.

Mas o Brasil – que não é hoje presidido por um bando de malucos - já foi governado por um bando de corruptos, a maior parte do partido de Lula e já condenados e/ou presos pela Justiça a maioria dos seus membros, inclusive ele próprio, o repugnante canalha Lula. Isto ocorreu exatamente no governo deste verme moral, o entrevistado da Foice que, ao longo de oito anos, criou e gerenciou os dois maiores escândalos de corrupção, antes jamais vistos pelas democracias ocidentais.

Esta entrevista, após autorização da dupla petista Toffoli/Lewandowski, havia sido aberta - num gesto de salutar democracia - à toda a mídia pelo Superintendente da Polícia Federal no Paraná, delegado Luciano Flores Pires.

O petista e cria de Lula, Ricardo Lewandowski, sabedor do gesto democrático de Pires, baixou Portaria impedindo o resto da imprensa brasileira de participar da entrevista, limitando a mesma à Foice de São Paulo.

O que seria uma entrevista, transformou-se em “entrevista”, certamente algo adrede preparado com a assessoria da Foice de São Paulo, antigamente “um jornal a serviço do Brasil”, transformado hoje em “um jornal a serviço do lulopetismo e das esquerdas corruptas, em geral”.

Uma vergonha para o País, por certo, tanto a autorização da entrevista quanto, pior, a sua restrição à Foice. O Brasil certamente é o único país do mundo democrático em que um preso, condenado em três instâncias judiciais, é autorizado a dar entrevista. Pena que Marcola não seja filiado ao PT. Se o fosse, certamente haveria ‘juízes’ no STF dispostos a conceder-lhe direito de entrevista pela Foice de São Paulo.

Vergonha para o País? Sim, mas como vergonha é palavra que Lewandowski e Toffoli não têm em seus dicionários – se é que usam dicionário, duvido – os dois são incapazes deste sentimento profundamente humano e só reconhecido em pessoas de bem: a vergonha.

Fico também sabendo de que a mesma entrevista negada à mídia nacional – e restrita à Foice de São Paulo – fora também aberta ao jornal de esquerda espanhol El País. A que ponto de subversão dos valores democráticos e morais fomos levados por alguns membros do STF – lá colocados por presidentes de moralidade duvidosa (como Temer), ou mesmo bandidos confirmados judicialmente, como Lula.

Tem absoluta razão o ministro Barroso ao verbalizar, como o fez no dia 25 na Universidade de Colúmbia, a vergonha que é nosso STF Tabajara:
"A pergunta que me faço frequentemente é por que o STF está sob ataque, por que está sofrendo esse momento de descrédito. Bem, o que acho que está acontecendo é que há uma percepção em grande parte da sociedade e da imprensa brasileira de que o STF é um obstáculo na luta contra a corrupção no Brasil. Eles sentem que o Supremo frequentemente protege a elite corrupta."

E põe obstáculo nisso. Esses obstáculos na luta contra a corrupção têm nome e sobrenome. Destaques para Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski, vergonhas da Nação brasileira.

Como se já não bastasse, conclui Barroso:
"Uma corte que repetidas vezes toma decisões com as quais a sociedade não concorda e não entende, aí se tem um problema. Porque autoridade depende de confiança e credibilidade. Se você perde isso, a força é a única coisa que resta".

Concordo plenamente, QUE A FORÇA É A ÚNICA COISA QUE RESTA.

Já deixara isto claro em meu último artigo publicado neste jornal.

Se estas bandalheiras jurídicas, que chegam à suprema vergonha de conceder a um condenado em Terceira Instância o direito a entrevista – restrita a um único jornal nacional e a um estrangeiro – não nos resta opção outra que a força do povo, representada agora pelo único estamento oficial do Estado brasileiro que entende de honra: as Forças Armadas.

Jamais em minha vida advoguei a quebra da Constituição pela força.

Nem em 1964, diante da balbúrdia que visava transformar o Brasil numa Cuba, desejei uma quebra da Constituição. Mas lá as Forças Armadas evitaram o pior, como aprendi com o tempo, pelo único caminho então possível.

Entre a bandalheira reiterada por este Supremo Tabajara e o boicote oportunista e vergonhoso do Congresso às reformas, que não são de Bolsonaro, são do Brasil - e sem as quais o País quebra - e a ruptura constitucional para uma limpeza geral e um grande salto à frente, opto, finalmente e com muita dor, por este último.

Não gosto deste remédio, já falei, como não gosto de quimioterapia para debelar um câncer. Mas quando se está diante da opção: morte, ou quimioterapia, eu optei, no passado já distante, pelo caminho doloroso desta última, que, ao final, salvou minha vida.

Chega de corrupção protegida pela Corte Suprema bichada que, ao contrário do que faz, deveria combate-la.

Chega desta política safada de “articulação”, palavra que substitui “chantagem”, tão insistentemente recorrida por Rodrigo Maia, alcunha “Botafogo” no Departamento de Propina da Odebrecht.

É preciso um basta a esta bandalheira, mesmo que por processo doloroso como uma quimioterapia, que o Brasil não mais aguenta o câncer político-jurídico de que padece.


Engenheiro Mecânico pela UFRGS. Mestre em Ciências em Engenharia pela PUC-Rio. Doutor (Ph.D.) pelo Institute of Sound and Vibration Research (ISVR) da Universidade de Southampton, Inglaterra. Doutor Honoris Causa da UFPR. Membro Emérito do Comitê de Dinâmica da ABCM. Detentor do Prêmio Engenharia Mecânica Brasileira da ABCM. Detentor da Medalha de Reconhecimento da UFSC por Ação Pioneira na Construção da Pós-graduação. Detentor da Medalha João David Ferreira Lima, concedida pela Câmara Municipal de Florianópolis. Criador da área de Vibrações e Acústica do Programa de Pós-Graduação em engenharia Mecânica. Idealizador e criador do LVA, Laboratório de Vibrações e Acústica da UFSC. Professor Titular da UFSC, Departamento de Engenharia Mecânica, aposentado.

Fonte: Jornal da Cidade Online

MARTINS-RN: LIXO E MATO TOMAM CONTA DAS RUAS DO BAIRRO LAGOA NOVA PRINCIPAL ENTRADA DA CIDADE SERRANA

Sábado, 27 de Abril de 2019


O populoso Bairro de Lagoa Nova, localizado na entrada da cidade de quem vem pela serra dos Picos, é mais um que está sendo desprezado pela gestão Olga Fernandes, que tenta a todo custo maquiar para os turistas e visitantes que faz uma administração exemplar, Além de tentar passar que a cidade de Martins é uma das mais bem cuidadas da região. Mas acontece,  que a prefeita esquece que a população está atenta aos desmandos de sua administração.

O vereador Francisco Avelino de Carvalho "Cabecinha-PHS" que no desempenho de sua função, está atento a esse tipo de falta de despeito com as comunidades, e foi lá  constatou, fotografou e passou dados  ao Blog Martins em Pauta.com que mostra a real situação de desprezo que se encontra o Bairro a exemplo de outros, inclusive o centro da cidadede. 

Veja as fotos, o lixo e mato tomando conta das ruas.











Bandidos é morto na praça quando assaltava com uma arma de brinquedo em Fortaleza

Sábado, 27 de Abril de 2019


Um bandido de apenas 20 anos morreu baleado quando praticava assaltos na Zona Sul de Fortaleza. O crime ocorreu no meio da tarde desta quarta-feira (24), na Praça da Vila Peri, bem próximo da Avenida Cônego de Castro. O assaltante usava uma arma de brinquedo para render as vítimas, mas acabou sendo baleado e tombou sem vida.

Era por volta de 15 horas, quando o assaltante passou a atacar transeuntes nas proximidades da Pracinha da Vila Peri. De repente, surge um homem numa motocicleta que dispara tiros contra o ladrão. O bandido ainda tenta fugir, cambaleando alguns metros, até cair morto próximo a um banco da praça. O atirador fugiu sem que fosse identificado.

Populares testemunharam o crime e ligaram para o Samu. Logo, uma ambulância compareceu ao local e os socorristas atestaram o óbito.

Com a chegada ao local de patrulhas da Polícia Militar, e das equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e da Perícia Forense do Ceará (Pefoce), o morto foi identificado. Tratava-se de Fabrício Taveira Alves, 20.

Brinquedo

Moradores da área onde ocorreu o crime informaram que os assaltos ali são constantes, principalmente contra as pessoas que estão nos pontos dos ônibus e nas cercanias da Praça da Vila Peri.

O corpo do assaltante foi encaminhado à Pefoce e a arma falsa que ele usava (simulacro) foi recolhida pela Polícia.


(Fernando Ribeiro)

FOTOS: Polícia Civil prende foragido suspeito de praticar homicídios no RN e PB

Sábado, 27 de Abril de 2019


 
Fotos: Divulgação/Polícia Civil

Policiais civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR), com o apoio da Polícia Civil de Patos-PB, prenderam em flagrante, na manhã desta sexta-feira (26), José Maria Alves, conhecido como “Zé Maria”, de 41 anos. Além da autuação em flagrante, foi dado cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido pelo Juízo da Comarca de Campo Grande/RN.

A ação teve início após informações de que um foragido da Justiça estaria morando em Pium, no município de Nísia Floresta. No momento em que os policiais chegaram ao local informado, “Zé Maria” se passou pelo irmão, apresentando um documento falso, mas foi identificado e detido. José Maria é suspeito de participação em diversos homicídios no Alto Oeste potiguar e no estado da Paraíba.

Após uma busca, foi encontrado o documento original com o nome verdadeiro do suspeito, um revólver calibre 38, seis munições intactas e a quantia de R$ 600,00. O homem foi conduzido à sede da DEICOR em Natal e autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo de uso permitido, receptação e uso de documento falso.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Fonte: Blog do BG

PÉ DO HOMEM QUE MORREU QUEIMADO NA CIDADE DE ALCÂNTARAS CONTINUA NO LOCAL E FAMÍLIA SOLICITA A PRESENÇA DO PESSOAL DO IML DE SOBRAL

Sábado, 27 de Abril de 2019

O homem morreu queimado dentro de um veículo na última sexta-feira (19), uma equipe do IML recolheu o corpo, porém, quando saíram populares perceberam que o pé da vítima havia ficado no local. Agora a família solicita que a equipe do IML retorne e recolha o pé do homem para o Instituto médico legal de Sobral. REVEJA A MATÉRIA


(O Sobralense)

Nem o PT suporta Rosário e a coloca fora da discussão da Reforma da Previdência

Sábado, 27 de Abril de 2019


A deputada Maria do Rosário teria armado barraco dentro da própria bancada do PT.

Ela exigia ser indicada para uma das vagas do partido na Comissão Especial da Reforma da Previdência.

Mesmo nas hostes partidária, o comportamento da parlamentar gaúcha tem sido considerado insuportável.

No frigir dos ovos, Rosário não ficou nem como suplente.

O PT indicou Gleisi Hoffmann (Paraná), Carlos Veras (Pernambuco), Jorge Solla (Bahia) e Henrique Fontana (Rio Grande do Sul).

Os suplentes serão Paulo Teixeira (São Paulo), José Guimarães (Ceará), Rubens Otoni (Goiás) e Pedro Uczai (Santa Catarina).


Fonte: News Atual



Kajuru agora mira Alexandre de Moraes: “Já foi até advogado de cooperativa do PCC” (Veja o Vídeo)

Sábado, 27 de Abril de 2019


Sem se esquecer de Gilmar Mendes, o aguerrido senador Jorge Kajuru está agora centrando fogo no ministro Alexandre de Moraes.

Nesta sexta-feira (26) em entrevista ao jornalista Allan dos Santos, o parlamentar se referiu ao ministro como “advogado da cooperativa do PCC”.

Kajuru ainda lembrou que as 52 páginas do pedido de impeachment proposto pelo jurista Modesto Carvalhosa contra Gilmar Mendes é de deixar qualquer um “estarrecido”.
Veja o vídeo:
da RedaçãoFonte: Jornal da Cidade Online

Lula começa a entrevista com escandalosa mentira (Veja o Vídeo)

Sábado, 27 de Abril de 2019


A entrevista do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concedida na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba nesta sexta-feira (26) é digna de uma grande comédia.

O corrupto e lavador de dinheiro não mudou nada. O mesmo discurso, a mesma fanfarronice e a mesma ‘ignorância’ com relação à realidade dos fatos.

A tática de atacar o ex-juiz Sérgio Moro e o Procurador da República Deltan Dallagnol, desprezando inclusive que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) esta semana confirmou na íntegra a sentença condenatória do meliante.

Esse mesmo STJ, atendendo a um pedido do próprio Lula, diminuiu sua pena dando-lhe a possibilidade de conseguir o semiaberto ou a prisão domiciliar em outubro.

Porém, o infame, em sua primeira declaração diz o seguinte:
“Fico preso cem anos. Mas não troco minha dignidade pela minha liberdade”.

É um mentiroso contumaz. É uma mentira deslavada.

Faz discurso para a militância, enquanto a defesa adota a tese de admissão do crime de corrupção para conseguir a absolvição no crime de lavagem de dinheiro.

Quanto aos dois jornalistas, pura e abominável mediocridade. Foram até Curitiba apenas para fazer palanque para um notório ‘ladrão’.

Veja o vídeo:

Otto Dantas

Articulista e Repórter
otto@jornaldacidadeonline.com.br

E agora Alexandre de Moraes, vai mandar prender o ministro Barroso?

Sábado, 27 de Abril de 2019


Caso o ministro Alexandre de Moraes resolva levar a sua ‘tirania’ ao pé da letra, terá que determinar, imediatamente, no mínimo uma ação de busca e apreensão nos endereços do ministro Luís Roberto Barroso.

Em palestra nesta quinta-feira (25) na Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, Barroso detonou o Supremo Tribunal Federal (STF), asseverando que a Corte vive um momento de descrédito porque alguns de seus colegas atuam como obstáculo no combate à corrupção no Brasil.
"A pergunta que me faço frequentemente é por que o STF está sob ataque, por que está sofrendo esse momento de descrédito. Bem, o que acho que está acontecendo é que há uma percepção em grande parte da sociedade e da imprensa brasileira de que o STF é um obstáculo na luta contra a corrupção no Brasil", pontuou o magistrado.
Na sequência, o ministro foi ainda mais incisivo:
"Eles sentem que o Supremo frequentemente protege a elite corrupta".
E foi mais adiante:
"Uma corte que repetidas vezes toma decisões com as quais a sociedade não concorda e não entende, aí se tem um problema. Porque autoridade depende de confiança e credibilidade. Se você perde isso, a força é a única coisa que resta".
Entre as pessoas que aplaudiam na plateia, uma figura se destacava. O juiz Marcelo Bretas.
E os ataques prosseguiram:
“Alguns ministros mostram mais raiva de procuradores e juízes que estão fazendo um bom trabalho do que de criminosos que saquearam o país".
"Tudo o que o STF pode retirar da Vara Federal de Curitiba, onde o combate à corrupção está funcionando bem, ele [Supremo] o fez".
E agora Moraes?
E agora Toffoli?
da RedaçãoFonte: Jornal da Cidade Online

Entidade “laranja” recebia verbas da Caixa e do BNDES para repasse ao MST

Sábado, 27 de Abril de 2019


É de comezinho conhecimento que o MST se chafurdou na grana durante os governos do PT.

Porém, o grupo ‘fora da lei’ não tem sequer CNPJ.

Como o dinheiro era repassado?

Uma entidade denominada Abrapo (Associação Brasil Popular) teria sido usada para receber verbas oriundas do BNDES e da Caixa Econômica Federal, para o MST.

Proposta já em trâmite na Câmara Federal pede que o TCU investigue a Abrapo.

O parecer do deputado Carlos Jordy (PSL) enfatiza o seguinte:
“Os bancos públicos, nos governos do PT, torraram dinheiro da sociedade para patrocinar terroristas do MST. Essa fiscalização do TCU, em parceria com o Poder Legislativo, pode resultar na correção de eventuais irregularidades e malversação de recursos públicos.”
Aos poucos todos os mistérios vão se dissipando...
da Redação
Fonte: Jornal da Cidade Online

Existe uma tendência ao obscurantismo por parte do Judiciário, diz Bretas

Sábado, 27 de Abril de 2019


por Marina Dias | Folhapress

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil


Responsável pelo braço da Operação Lava Jato no Rio, o juiz Marcelo Bretas fez nesta quinta-feira (25) críticas veladas a ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e defendeu a liberdade de imprensa ao dizer que hoje há uma "tendência ao obscurantismo" por parte de integrantes do Poder Judiciário.

Durante palestra na Universidade Columbia, em Nova York, o juiz afirmou que é preciso garantir o trabalho dos jornalistas e que "fechar as cortinas" não lhe parece um bom remédio quando o assunto é acesso a processos ou informações que envolvem o Judiciário.

"Existe uma tendência ao obscurantismo por parte de alguns operadores do Direito que sustentam que a imprensa não deve ter acesso a tudo, não deve divulgar, não deve ter liberdade para acessar decisões", afirmou. "É preciso garantir liberdade da imprensa, seja aquilo que legalmente pode ser noticiado, porque uma sociedade democrática não sobrevive sem acesso público ao que está acontecendo com a coisa pública. Infelizmente no Brasil hoje existe uma tendência de se obscurecer, de fechar as cortinas, o que me parece que não é um bom remédio".

A declaração do juiz -que já protagonizou embates públicos com ministros do STF- acontece no momento em que a corte é foco de uma crise cujo epicentro está no inquérito das fake news, instaurado pelo presidente do Supremo, Dias Toffoli, para investigar críticos a integrantes da corte.

Na semana passada, o relator do caso, ministro Alexandre de Moares, chegou a determinar a retirada do ar de uma reportagem contra Toffoli -depois recuou- nos sites O Antagonista e Crusoé. A medida foi criticada dentro e fora do Supremo, classificada por especialistas como censura.

O juiz do Rio também aproveitou palestra de quase quarenta minutos para direcionar ataques ao ministro Gilmar Mendes, porém sem citá-lo nominalmente, e criticar São Paulo como um estado em que, segundo sua avaliação, as investigações da Lava Jato não avançam. O juiz estava sentado à mesma mesa que Gianpaolo Smanio, procurador do Ministério Público de São Paulo, que falaria logo depois.

"Se quisermos continuar investindo no combate à corrupção e levar isso a um grau ainda superior, precisamos, ao contrário do que tem sido feito em algumas áreas da Justiça, como por exemplo São Paulo, acho que devemos centralizar os casos, acho que a ideia é criar forças tarefas e centralizar os julgamentos para não se perder experiência".

Para Bretas, a Justiça Federal tem "inimigos poderosíssimos" e é preciso "não se acovardar" num ambiente em que, nas suas palavras, "os cães ladram e a caravana segue". "Sou muito entusiasta do trabalho que a Justiça vem fazendo. Temos inimigos poderosíssimos, alguns aos quais devo respeito ou, pelo menos, obediência, com relação às decisões. Às decisões, né, porque entrevista em jornal e palestra é outra coisa. Mas tenho a impressão de que estamos no caminho certo, temos visto os cães ladrarem e a caravana segue".

Bretas e Gilmar já protagonizaram diversos embates públicos. O ministro do STF foi responsável por conceder diversos habeas corpus que libertaram presos por operações comandadas pelo juiz no Rio e já acusou Bretas, inclusive, de abuso de autoridade por demorar para soltar um deles -o empresário Felipe Picciani, filho do presidente afastado da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani.

Responsável por decretar a prisão do ex-presidente Michel Temer -revertida quatro dias depois por decisão do desembargador Antonio Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região- Bretas é criticado por sua relação com políticos e também por se manifestar fora dos autos.

O juiz discursou após fala do ministro do STF Luís Roberto Barroso, que afirmou que a corte está sob ataques e vivendo um momento de descrédito justamente porque a sociedade tem olhado para ela como um obstáculo ao combate à corrupção no país.

MAURÍCIO VALEIXO
Também durante palestra na Universidade Columbia, o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, afirmou que está no DNA da instituição não interferir em investigações que estão em andamento, mas que não teme nenhum recuo no combate à corrupção no país.

"Está no DNA da PF proibir qualquer tipo de interferência. Não existe espaço para que eu possa interferir em qualquer investigação. Não existe espaço para que eu possa interferir."

Segundo ele, as instituições hoje funcionam para combater a corrupção e que isso está consolidado no Brasil. "Não temo recuo. Posso falar com muita tranquilidade que as outras instituições estão funcionando para enfrentar a corrupção".

Ex-superintendente da PF do Paraná e próximo do ministro Sergio Moro (Justiça), Valeixo não quis comentar a decisão da PF de tentar interferir na entrevista que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concederá aos jornais Folha de S.Paulo e El País nesta sexta (26). Nesta quinta, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski decidiu proibir a presença de jornalistas que não sejam dos dois veículos na entrevista.

Ao organizar o encontro com Lula, o superintendente da PF no Paraná, Luciano Flores Lima, havia decidido autorizar a presença na entrevista de jornalistas de outros veículos, citando a necessidade de respeitar "direitos constitucionais relativos ao livre exercício da profissão e liberdade de imprensa".

Lima havia argumentado em ofício também que precisava dar "publicidade de atos administrativos que não estiverem sob necessidade de sigilo". A Folha de S.Paulo e o El País conseguiram no STF o direito de promover a entrevista, que havia sido barrada no ano passado pela juíza federal de primeira instância Carolina Lebbos, responsável por administrar o dia a dia da pena do ex-presidente.

STJ libera retomada de obras de transposição do Rio São Francisco

Sábado, 27 de Abril de 2019


Foto: Divulgação


O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, liberou a retomada das obras do eixo norte da transposição do Rio São Francisco. O pedido de liberação foi feito pela Advocacia-Geral da União (AGU). A obra havia sido suspensa pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), a pedido de um dos consórcios inabilitados para realizar a obra.

A AGU entrou com o pedido de suspensão de segurança no STJ contra decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) que havia suspendido o contrato referente ao eixo norte, após um dos consórcios inabilitados para realizar as obras ter requerido a paralisação da execução do contrato relacionado ao empreendimento. Segundo Noronha, a suspensão da execução do trecho final da obra provocaria "elevados custos sociais e econômicos", afrontaria o interesse público e ensejaria "grave lesão" à ordem, à saúde e à economia públicas.

“Levando em consideração a importância das obras do eixo norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco, sob o prisma regional e nacional, para a mitigação de situações adversas experimentadas no Nordeste brasileiro, conclui-se que a manutenção da decisão impugnada, além dos elevados custos sociais e econômicos, afronta o interesse público e enseja grave lesão à ordem, à saúde e à economia públicas”, frisou. Noronha ainda destacou que a suspensão da transposição inibe a plena execução de contrato celebrado para a execução de obras no eixo norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco com bacias hidrográficas no Nordeste setentrional – o que prejudicaria a região social e economicamente, afetando inclusive o abastecimento de água das pessoas que vivem no local.

A decisão do TRF1 é de 2016 e já havia sido suspensa em 2017 pela então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia. No entanto, em 2018, após análise de recurso, o atual presidente do STF, ministro Dias Toffoli, tornou sem efeito aquela suspensão, entendendo que caberia ao STJ deliberar sobre o assunto, por se tratar de matéria infraconstitucional. AGU afirmou que a obra visa abastecer parte da região Nordeste, incluindo a cidade de Fortaleza, com aproximadamente 4,5 milhões de pessoas. A paralisação afetaria o abastecimento de água em várias outras cidades.

Paulo Guedes diz que cortará preço do gás pela metade 'em benefícios dos mais pobres'

Sábado, 27 de Abril de 2019 

Foto: Reprodução / G1


O ministro da Economia, Paulo Guedes, pretende que em no máximo 60 dias, providências sejam tomadas para reduzir o preço do gás natural na metade.

Juntamente com o economista Carlos Langoni, após uma reunião sobre o assunto Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (26), Guedes garantiu que vai vencer a resistência da Petrobrás, com o suporte do presidente da estatal, Roberto Castello Branco.

"A ideia é levar para as famílias brasileiras pela metade do preço. Reindustrializar o País com energia barata é muito atraente para nós", disse Guede ao Estadão.

"São medidas muito simples, de uma simplicidade franciscana", comentou Langoni, alertando que as medidas envolvem a ANP e o Cade.

Segundo Guedes, já na próxima segunda-feira, 29, terá reunião com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, para por em ação o projeto.

FOTOS: Após fortes chuvas e destruição, obra recupera RN 041, que interliga a BR-304 ao município de Santana do Matos

Sábado, 27 de Abril de 2019

Fotos: Elisa Elsie

A governadora Fátima Bezerra visitou nesta sexta-feira (26) a RN-041, rodovia que interliga a BR-304 ao município de Santana do Matos na Região Central do Rio Grande do Norte. A cabeceira de uma ponte foi destruída há cinco dias, quando um volume de chuvas acima do previsto causou o rompimento de três pequenos açudes.

O Governo do Estado tomou as providências para repor o aterro através do Departamento de Estradas de Rodagens (DER), com a mobilização de 10 homens, três tratores e três caminhões-caçamba. A ligação com a cidade de Santana do Matos já foi restabelecida.

A governadora Fátima Bezerra disse, durante a visita, que o governo nada mais fez do que o seu papel. “O governo é para cuidar, atender e respeitar as pessoas. A maior alegria que o sertanejo tem é a chuva”. Fátima destacou a atuação integrada dos órgãos e secretarias, sob a coordenação da Defesa Civil Estadual, em sintonia com o governo federal e prefeituras da região.

A reposição do aterro foi a primeira etapa, mas o trabalho de reconstrução da rodovia, continua. “Estamos concluindo a etapa de erosão, pois a enxurrada danificou cerca de 350 metros da estrada. É a fase de recuperar o aterro e logo que seja possível, recuperaremos o acesso a Santana do Matos por completo”, explicou o diretor do DER, Manuel Marques. O acesso à ponte está liberado no sistema pare-siga.

O Prefeito de Santana do Matos, Edivaldo Júnior, destacou a importância da mobilização do governo do Estado para resolver o problema causado pelas chuvas. “O Estado respondeu com a celeridade e a urgência que a situação exigia”, e agradeceu em nome dos prefeitos da região. A prefeita de Fernando Pedroza, Sandra Jaqueline, lembrou que a pronta intervenção de vários órgãos do governo evitou uma grande tragédia.

NOVA ETAPA

O secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, João Maria Cavalcanti, enfatizou que logo que tomou conhecimento da situação na região Central, a Governadora demandou e todas as secretarias de gestão de águas iniciaram uma força-tarefa. A equipe da Semarh continua trabalhando na barragem São Miguel II em Fernando Pedroza. O coordenador de Gestão de Recursos Hídricos da Semarh, Carlos Nobre, explicou que nesta sexta (26), eles iniciaram a segunda etapa para diminuir o risco da barragem. “De maneira controlada vamos abrir mais 30 metros do vertedouro, e essa água desce numa velocidade que não vai causar transtornos para os açudes Novo Angicos e Pataxó, em Ipanguaçu.

A governadora Fátima Bezerra destacou o espírito público dos prefeitos da região, que logo entraram em contato com o Governo para resolver a situação. “Vidas humanas para nós importam, fazemos tudo com responsabilidade”.

Fonte: Blog do BG

Justiça indefere pedido de multa de R$ 38 milhões do Ministério do Trabalho para empresas Guararapes

Segunda, 27 de Abril de 2019

Sentença do juiz titular da 7ª Vara do Trabalho de Natal, Alexandre Érico Alves da Silva, indeferiu o dano moral coletivo de R$ 38 milhões, bem como a formação de vínculo direto e a responsabilização solidária do gupo Guararapes. Declarou apenas a responsabilidade subsidiária pelas verbas porventura inadimplidas.

“Vencemos apesar de todos os obstáculos enfrentados. E, a sentença demonstra a idoneidade da empresa e a responsabilidade com o trabalhador norte-rio-grandense”. (Advogado Erick Pereira).

A ação civil pública do Ministério Público do Trabalho(MPT) visava que a gigante têxtil, dona da Riachuelo, se responsabilizasse quanto aos direitos trabalhistas de empregados das facções de costura terceirizada.

Desde 2017, a ação milionária contra a Guararapes gerou manifestações de empresários, políticos e funcionários de pequenas fábricas no Rio Grande do Norte.


Fonte: Blog do BG

Brasil é governado por um bando de maluco, diz Lula em 1ª entrevista na prisão

Sábado, 27 de Abril de 2019

Foto: Marlene Bergamo/Folhapress

O ex-presidente Lula afirmou nesta sexta-feira (26), em entrevista exclusiva concedida à Folha e ao jornal El País, que o Brasil está sendo governado por “um bando de maluco”.

Depois de uma batalha judicial na qual a entrevista chegou a ser censurada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), decisão revista na semana passada pelo presidente da corte, Dias Toffoli, o petista enfim recebeu os dois veículos, em uma sala preparada pela Polícia Federal na sede do órgão em Curitiba, onde está preso desde abril do ano passado.

Os agentes explicaram aos jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas presentes que ele seria colocado em uma mesa a uma distância de 4 metros de todos. Ninguém poderia se aproximar.

Segundo a PF, eles estavam cumprindo um protocolo de segurança comum a todos os presos.

Em duas horas e dez minutos de conversa, o ex-presidente falou da vida na prisão, da morte do neto, do governo de Jair Bolsonaro, das acusações de corrupção que sofre e da possibilidade de nunca mais sair da prisão.

“Não tem problema”, afirmou, ele quando questionado sobre a possibilidade. “Eu tenho certeza de que durmo todo dia com a minha consciência tranquila. E tenho certeza de que o [procurador Deltan] Dallagnol não dorme, que o [ministro da Justiça e ex-juiz Sergio] Moro não dorme.”

Reservou ao ex-magistrado, o primeiro que o condenou pelo caso do tríplex de Guarujá, algumas de suas principais ironias. “Sempre riram de mim porque eu falava ‘menas’. Agora, o Moro falar ‘conje’ é uma vergonha”, afirmou. Lula disse também acreditar que “Moro não sobrevive na política”.

Já sobre o presidente Jair Bolsonaro, não foi tão taxativo. Apesar de várias críticas, afirmou que “ou ele constrói um partido sólido, ou não perdura”.

Lula disse que a elite brasileira deveria fazer uma autocrítica depois da eleição de Bolsonaro. “Vamos fazer uma autocrítica geral nesse país. O que não pode é esse país estar governado por esse bando de maluco que governa o país. O país não merece isso e sobretudo o povo não merece isso”, afirma.

E comparou o tratamento que a imprensa dá a ele com o que reserva ao atual presidente da República.

“Imagine se os milicianos do Bolsonaro fossem amigos da minha família?”, questionou, referindo-se ao fato de o filho do presidente, Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), ter empregado familiares de um miliciano foragido da Justiça em seu gabinete quando era deputado estadual pelo Rio.

O ex-presidente chorou quando falou da morte do neto Artur, de 7 anos, vítima de uma bactéria, há um mês: “Eu às vezes penso que seria tão mais fácil que eu tivesse morrido. Eu já vivi 73 anos, poderia morrer e deixar o meu neto viver”.

Lula disse ainda que, se sair da prisão, quer “conversar com os militares” para entender “por que esse ódio ao PT”, já que seu governo teria recuperado o orçamento das Forças Armadas.

Disse que acompanha a briga de Bolsonaro com o vice-presidente, o general Hamilton Mourão. Mas afirmou que era “grato” ao general “pelo que ele fez na morte do meu neto [defender que ele fosse ao velório], ao contrário do filho do Bolsonaro [Eduardo]”, que afirmou no Twitter que Lula queria se vitimar com a morte do menino.

Afirmou que o país tem hoje “o mais baixo nível de política externa que já vi na vida”. E disse, em tom de brincadeira, que o ex-chanceler de seu governo, Celso Amorim, tem uma dívida por ter deixado o atual chanceler, Ernesto Araújo, seguir carreira no Itamaraty.

Questionado sobre Fernando Henrique Cardoso (PSDB), disse que o ex-presidente poderia “ter um papel de grandeza e mais respeitoso com ele mesmo, não comigo”.

O ex-presidente falou ainda da necessidade de diálogo entre partidos de esquerda. E comentou o episódio em que o senador Cid Gomes (PDT-CE), irmão de Ciro Gomes, afirmou em um encontro do PT: “Lula está preso, babaca!”. O petista disse que não ficou chateado pois está mesmo preso. “Isso é uma verdade. Só não precisava chamar os outros de babaca”, disse, rindo.

Lula foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá. Ele está preso desde abril de 2018, depois de ter sido condenado pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), a segunda instância da Justiça Federal.

Na última terça-feira (23), em decisão unânime, a Quinta Turma do STJ reduziu a pena do ex-presidente e abriu caminho para ele saia do regime fechado ainda neste ano. O tribunal manteve a condenação do petista, mas baixou a pena de 12 anos e 1 mês de prisão para 8 anos, 10 meses e 20 dias.

O petista já foi condenado também no caso do sítio de Atibaia (SP) —a 12 anos e 11 meses pela juíza Gabriela Hardt, na primeira instância em Curitiba, pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção. O caso, porém, ainda passará pela análise do TRF-4.

O pedido de entrevista com o ex-presidente passou por um vaivém de decisões judiciais. Em julho de 2018, a juíza federal Carolina Lebbos, responsável pela execução da pena de Lula, barrou a realização da entrevista, afirmando não haver previsão constitucional que dê ao preso direito de falar com a imprensa.

Após reclamação ao STF (Supremo Tribunal Federal) feita pela Folha, o ministro Ricardo Lewandowski autorizou em 28 de setembro que a entrevista fosse realizada em Curitiba. A liminar, porém, foi derrubada no mesmo dia pelo ministro Luiz Fux, também do Supremo. Ele julgou pedido do partido Novo, que alegava que o PT apresentava Lula como candidato à Presidência da República, desinformando os eleitores. ​

O petista foi impedido de concorrer na eleição presidencial devido à Lei da Ficha Limpa, que barra candidaturas de condenados em segunda instância, e acabou substituído por Fernando Haddad, também do PT.

Ao suspender a entrevista, Fux determinou ainda que, caso já tivesse sido realizada, sua divulgação estaria censurada. A liminar de Fux foi revogada no último dia 18 pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli.

Já nesta quinta-feira (25), véspera da entrevista, a Polícia Federal tentou modificar a decisão do STF, permitindo que jornalistas de outros veículos assistissem à entrevista, conduzida pela Folha e pelo jornal El País, autores da ação judicial no Supremo.

Lewandowski, no entanto, barrou a presença de jornalistas que não sejam da Folha e do El País e considerou a iniciativa da PF uma “franca extrapolação dos limites da autorização judicial em questão”.

Folha de São Paulo


OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Quando era por um bando de ladrões, parece que não incomodava…
  2. Marinho Jr.
    Ainda bem que é um bando de malucos… Fico imaginando se fosse mais um bando de Ladrões petralhas.

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055