martins em pauta

terça-feira, 31 de dezembro de 2019

BRISANET LEVANDO O MUNDO ATÉ VOCÊ.

Resultado de imagem para martins em pauta, brisanet

MENSAGEM DE ANO NOVO DO VEREADOR CABECINHA E DO BLOG MARTINS EM PAUTA AOS LEITORES, COLABORADORES E AMIGOS

Quarta, 01 de Dezembro de 2019


Deus, em toda sua misericórdia e generosidade, nos concedeu mais um ano de vida. E a Ele devemos agradecer por tudo de bom, e pelo que não foi tão bom também.

Que nesta virada de ano seu coração se encha de gratidão e esperança, pois um novo ano vai começar, e certamente receberá ainda mais bênçãos de Deus.

Que a Palavra do Senhor acompanhe você em cada dia deste novo ano que está chegando.

Que na alegria e na tristeza você saiba demonstrar que merece a confiança que Deus depositou em você, e sua fé seja diariamente fortalecida. Feliz Ano Novo!



Grande nome do axé music, percussionista Tony Mola morre nos Estados Unidos

Terça, 31 de Dezembro de 2019 

Foto: Reprodução / Facebook

O percussionista baiano Tony Mola morreu, nesta segunda-feira (30), após sofrer um infarto fulminante, em Nova York, nos Estados Unidos, onde vivia atualmente. 

A informação foi divulgada pelo colunista Osmar Marrom e confirmada por amigos, como Luiz Caldas, com quem Tony já trabalhou junto com a banda Acordes Verdes, formada ainda por Carlinhos Brown, Alfredinho Moura, Cesinha, Carlos Marques, Paulinho Caldas e Silvinha Torres. “Mola! Vá com Deus meu irmão. Te amo”, se despediu Luiz Caldas, em suas redes sociais. 


Além de ter tocado com o “rei do Fricote”, lançando o que viria ser o axé music, Tony Mola integrou ainda a Banda Eva, o Cheiro de Amor e o Bragadá.

Manchas de óleo voltam a aparecer no litoral do Ceará

Terça, 31 de Dezembro de 2019 


por Diego Garcia | Folhapress
Foto: Reprodução / G1

Resíduos de óleo foram encontrados novamente no litoral do Ceará nesta segunda-feira (30), após aproximadamente dois meses longe na região. As manchas apareceram nas praias de Caetanos de Cima, no município de Amontada, e na praia de Apiques, em Itapipoca.

De acordo com o Ibama, amostras do material foram enviadas para análise no Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira (IEAPM), a fim de verificar o tipo do óleo.

A Marinha do Brasil informou que militares, membros da Defesa Civil e voluntários estão sendo mobilizados para ajudar no recolhimento dos vestígios de óleo. 

Segundo o Ibama, até a última sexta (27) haviam 980 pontos atingidos pelos resíduos, em contaminação que atingiu todos os estados do Nordeste, mais praias do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Membros do Turismo Comunitário de Caetanos de Cima disseram à Folha de S.Paulo que foi a segunda vez que o petróleo chegou na cidade e em praias vizinhas. Dessa vez, as manchas chegaram em maior quantidade, segundo as pessoas ouvidas pela reportagem.

A comunidade de Caetanos de Cima, litoral oeste do Ceará, é formada por pescadores e agricultores.

As primeiras manchas de óleo foram vistas há quatro meses no litoral do Nordeste, no estado da Paraíba, em 30 de agosto. As cidades afetadas na ocasião foram Conde e Pitimbu, que ficam a cerca de 40 km uma da outra. 

As análises do óleo, realizadas pela Petrobras, Marinha e universidades do Nordeste, indicaram que o material tem assinatura venezuelana, uma mistura de três campos de exploração no país. 

Em resposta, o governo de Nicolás Maduro negou que seja responsável pelo desastre ambiental.

Arroba do boi gordo cai 15%, e preço da carne deve diminuir em janeiro

Terça, 31 de Dezembro de 2019


Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O preço da carne, vilã da cesta básica nos últimos meses, deve começar a cair nas próximas semanas, segundo informou em nota o Ministério da Agricultura. O motivo é que o preço da arroba do boi gordo registrou queda média de 15% no mês de dezembro, segundo o Ministério da Agricultura.

“Esse recuo interrompe a alta de 28,5% contabilizada ao longo dos últimos seis meses nos principais mercados do país”, disse a pasta, em nota.

“Em Mato Grosso do Sul, o recuo foi de R$ 220 para R$ 190.”

A avaliação do diretor do Departamento de Comercialização e Abastecimento, Sílvio Farnese, é de que o cenário indica uma acomodação dos preços no atacado, com reflexos positivos no varejo no curto prazo.

Para ele, o comportamento dos preços se deve à regulação do mercado, com melhor equilíbrio entre a oferta e a procura.

“Para o consumidor, a redução dos preços deverá ser sentida nas próximas semanas, com a renovação de estoques por parte dos supermercados. Na última semana, já foi observada queda no valor de cortes de traseiro, que têm cotações mais elevadas e mais sensíveis às variações de demanda. Um exemplo é a alcatra que teve a maior desvalorização, com 4,5% de queda no preço nos últimos sete dias”, afirma a pasta na nota.

A tendência para os próximos meses, segundo Farnese, é de estabilização dos preços. “Não há margem para aumentos futuros”, disse.

R7, com Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luis
    Kkkkkkk, tomaram o pirulito da baca do petralha, era só o que eles falavam esse aumento da carne.

Juiz nega pedido de liminar de Lula contra faixa de ‘Lula ladrão’

Terça, 31 de Dezembro de 2019

Foto: Divulgação

O juiz Fernando Machado Carboni negou o pedido de liminar feito pelos advogados de Lula para proibir o empresário Luciano Hang de patrocinar o sobrevoo de aviões com mensagens críticas ao petista no litoral de Santa Catarina. A informação é do NSC.

Na decisão, o juiz afirma que, na condição de pessoa pública, Lula “está sujeito a críticas por parte da população”.

As faixas contém dizeres como “Lula cachaceiro, devolve o meu dinheiro” e “Lula ladrão, seu lugar é na prisão”.

Luciano Hang não admitiu publicamente o financiamento das faixas, que desde a semana passada sobrevoam o litoral catarinense. Em 1º de dezembro, no entanto, informou nas redes sociais que pagaria pela ação de propaganda e divulgou sugestões de frases a serem usadas nas faixas.

O Antagonista, com NSC

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro
    Arre ! Foi só cachaceiro e ladrão? Manda ele expulsar como fez com um jornalista. A verdade dói, e a sua amante, em cima de um palanque, cheirou ele e disse é cachaça…kkkkk
    Ele não gosta dos dois adjetivos por qual razão? Primeiro ele bebe igual a um ex da Rússia Yeltsin, depois roubou que nem presta, quer que chamem ele de madame?
    E esse envelopadinho chinfrim que o defende não cansa de passar vergonha, difícil.
  2. Luis
    Deveria ter uma aqui também, inclusive pra passar no campus universitário
  3. Luis
    Kkkkkkk, meu presente 2019/20

Estados, municípios e DF receberam nesta terça repasses da cessão onerosa

Terça, 31 de Dezembro de 2019


Foto: Agência Brasil

Estados, municípios e o Distrito Federal receberam nesta terça-feira (31) os R$ 11,73 bilhões relativos aos repasses do bônus de assinatura do leilão do excedente de petróleo da cessão onerosa, realizado em novembro. No leilão, o governo arrecadou R$ 69,96 bilhões pelos campo de Búzios e Itapu, duas áreas do pré-sal da Bacia de Campos.

A partilha só foi possível porque o Congresso aprovou uma emenda à Constituição que excluiu do teto federal de gastos o repasse aos entes locais.

Pelo acordo, ficou determinado que 15% do valor arrecadado com o leilão seria repassado aos estados e ao Distrito Federal, de acordo com percentuais estabelecidos na Lei nº 13.885/2019. Outros 15% ficaram para ser distribuídos aos municípios, de acordo com os coeficientes que regem a repartição de recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

A legislação ainda previu que 3% dos recursos seriam repassados aos estados confrontantes à plataforma continental, mar territorial ou zona econômica exclusiva onde estejam geograficamente localizadas as jazidas de petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos fluídos. Neste caso, o valor foi repassado ao estado do Rio de Janeiro, onde estão localização as áreas que foram leiloadas.

A União recebeu R$ 23,69 bilhões e a Petrobras teve direito a R$ R$ 34,42 bilhões, a título de ressarcimento da empresa por uma disputa com a União que já durava cinco anos e que impedia a exploração de volumes excedentes de petróleo e gás nas áreas concedidas na Bacia de Campos.

De acordo com o Ministério da Economia, os recursos devem ter forte impacto fiscal nos contas dos entes subnacionais. Os valores devem ser aplicados para reduzir o déficit previdenciário de estados e municípios e/ou para a realização de investimentos. Fica vedada a utilização dos recursos para outras despesas, como remuneração do funcionalismo público.

“Essas condicionalidades são importantes para garantir que os entes federativos utilizem pelo menos parte da receita extraordinária para mitigar um de seus principais elementos de desestruturação das finanças públicas, o déficit previdenciário, bem como, eventualmente, aumentar os investimentos públicos. Desta forma, será possível aos estados e municípios optarem por reduzir seus passivos previdenciários ou por alocar mais recursos em investimentos para melhorar a prestação de serviços públicos”, informou a pasta.

Agência Brasil

A surpreendente fuga do empresário brasileiro Carlos Ghosn de prisão domiciliar no Japão para o Líbano




O ex-presidente da Nissan, o brasileiro Carlos Ghosn, viajou ao Líbano após fugir do Japão, onde é acusado de crimes financeiros.

Num comunicado, Ghosn disse que não fugiu da Justiça, mas sim “da injustiça e da perseguição política”. O advogado Junichiro Hironaka, que representa o brasileiro, afirmou que está “estupefato” com a notícia e que não falou recentemente com seu cliente.
Não está claro como Ghosn conseguiu deixar o país, já que ele estava impedido de viajar para o exterior e sob supervisão da Justiça.
O brasileiro, que tem um patrimônio estimado em US$ 120 milhões, era uma das figuras mais poderosas da indústria automotiva até ser preso em novembro de 2018. Ele nega ter cometido qualquer irregularidade.
O caso dele atraiu atenção internacional e os vários meses em que ficou na prisão levou a um questionamento sobre o sistema judicial japonês. O executivo de 65 anos nasceu no Brasil, é descendente de libaneses e passou parte da infância e juventude em Beirute, capital do Líbano, antes de completar os estudos em Paris.
Ele possui passaportes francês, brasileiro e libanês. Mas seu advogado disse a repórteres em Tóquio, nesta terça (31), que a equipe de defesa de Ghosn ainda está com os documentos dele.
“Eu nem sei se conseguiremos contato com ele. Não sei como vamos prosseguir a partir de agora”, disse Hironaka.
O Líbano não tem acordo de extradição com o Japão. Ghosn foi liberado da prisão em abril após pagar US$ 9 milhões em fiança e sob várias restrições que tinham como objetivo impedir que ele saísse do país.
O que diz o comunicado de Carlos Ghosn
O executivo brasileiro divulgou um breve comunicado depois que várias agências de notícias publicaram a informação de que ele teria viajado ao Líbano.
Ele confirmou que embarcou para o país do Oriente Médio e disse que “não vai mais ser mantido refém pelo viciado sistema de justiça japonês, em que a culpa é presumida, a discriminação é desenfreada e direitos humanos básicos são negados”.
“Agora eu posso finalmente me comunicar livremente com a imprensa e espero começar a fazer isso na próxima semana.”
Ghosn tem repetidamente negado qualquer irregularidade desde que foi preso pela primeira vez. Os advogados dele acusaram o governo japonês de conspirar contra seu cliente, dizendo que o processo teve “motivações políticas”.
A esposa de Ghosn, Carole Ghosn, disse à BBC News em junho que autoridades tentaram “intimidar e humilhar” o casal.
Como o executivo conseguiu fugir do Japão é uma incógnita. Ghosn tinha que observar diversas restrições por determinação da Justiça desde que foi solto sob fiança.
Ele era monitorado por um sistema de vídeo em sua casa e tinha limitações para uso de celular e computador. Teve também que entregar os passaportes a seu advogado e necessitava pedir permissão a um juiz para passar mais de duas noites fora de casa.
De acordo com a agência de notícias japonesa Kyodo News, os termos da fiança não haviam sido modificados.
Vergonha e questionamentos no Japão
O correspondente da BBC News em Tóquio, Rupert Wingfield, diz que a fuga de Ghosn deixou na capital japonesa um sentimento de embaraço e muitas perguntas sem resposta.
Como uma figura tão conhecida, que teve de entregar seus passaportes, conseguiu deixar um país que não tem fronteira terrestre com nenhum outro?
A imprensa japonesa especula que Ghosn pode ter usado um outro passaporte, com nome diferente.
Promotores haviam alertado que, se o executivo fosse solto, havia um risco de fuga, devido ao seu amplo patrimônio e múltiplas cidadanias.
Que acusações Ghosn enfrenta?
Ghosn já foi considerado o “herói” do sucesso da Nissan e se tornou até personagem de revista em quadrinhos no Japão. Mas sua queda foi tão notável quanto sua ascensão.
Ele passou 108 dias sob custódia, após ser preso em Tóquio em novembro de 2018. A Nissan demitiu Ghosn três dias depois disso.
Promotores alegam que o executivo fez um pagamento multimilionário a um distribuidor da Nissan em Omã. A empresa japonesa, por sua vez, acusa Ghosn de desviar dinheiro da companhia para enriquecimento próprio.
Ele também é acusado pelos investigadores de ter reportado ao fisco remuneração menor do que a que recebia. Ghosn nega todas as acusações.
Época Negócios

WhatsApp deve liberar 6 funções muito aguardadas em 2020; entre elas, avisar quando alguém tira print da conversa

Foto: Aline Batista/TechTudo
WhatsApp disponibilizou diversas atualizações ao longo de 2019 para inserir novas funções no app, como o desbloqueio por digital no Android e o suporte ao Memoji no iPhone (iOS). No entanto, ainda há recursos disponíveis em rivais, como o Telegram, que são aguardados por usuários e podem chegar ao mensageiro em 2020.
Além do Modo Escuro, que está em desenvolvimento e deve chegar em breve ao app, a possibilidade de editar mensagens enviadas, organizar figurinhas em categorias ou mesmo esconder o status “online” das conversas são ajustes bastante desejados e aguardados, mas que não têm previsão de lançamento. Confira a seguir uma lista do TechTudo com as funções mais aguardadas para o WhatsApp em 2020.
1. Editar mensagens enviadas
A função de editar mensagens após o envio é muito utilizada no Telegram e bastante aguardada por usuários do WhatsApp. O recurso possibilita corrigir erros percebidos apenas depois de enviar a mensagem ou simplesmente escrever de uma forma mais qualificada. No concorrente russo, o conteúdo é sinalizado com a palavra “editado” para que as pessoas saibam que a frase foi modificada.
2. Modo Escuro
O Modo Escuro, recurso que deixa a interface baseada em tons de preto ou cinza-escuro, virou moda e já chegou a diversos apps, como Instagram, Twitter e Messenger, além do Android 10 e do iOS 13. O tema tem por objetivo deixar a tela mais confortável para utilização à noite ou em locais com pouca luz. O WhatsApp está desenvolvendo o dark mode e já deu várias pistas do seu lançamento, inclusive um bug que ativava a função temporariamente.
3. Esconder o status “online” das conversas
O WhatsApp permite desativar o “visto por último” das conversas no app, mas alguns usuários desejam também a possibilidade de esconder o status “online”. A principal alegação está ligada à privacidade, já que qualquer pessoa com o seu número pode ver se você está usando o app no momento. Não há previsão para que o WhatsApp disponibilize uma opção para ocultar o “online” dos chats.
4. Avisar quando alguém tira print da conversa
Um eventual aviso de print nas conversas, a exemplo do que ocorre no Snapchat, poderia deixar usuários do WhatsApp divididos. Porém, o recurso é aguardado por um grupo de pessoas que deseja saber quando um contato captura a tela do chat. Não há previsão para que o mensageiro passe a exibir essa informação.
5. Apagar mensagens a qualquer momento
O WhatsApp deixa apagar mensagens para todos em até cerca de uma hora após o envio. Entretanto, no Telegram, o recurso pode ser utilizado sem limite de tempo, possibilidade bastante desejada por alguns usuários do mensageiro mais utilizado do mundo.
6. Organizar figurinhas
O WhatsApp permite o envio de figurinhas nas conversas, mas usuários ainda desejam a possibilidade de organizar os stickers por categorias personalizadas. Os adesivos seriam separados por pastas para permitir que sejam encontrados com mais facilidade. Atualmente, é possível criar um pacote separado em aplicativos de terceiros, além de ser possível favoritar as figurinhas mais utilizadas.
Globo, via Techtudo

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055