martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

sábado, 29 de agosto de 2020

Tiro não veio da polícia e a Esquerda se cala sobre mãe morta por traficantes. E agora Fachin?


A Ana Cristina, 25 anos, levou dois tiros de fuzil que partiram de traficantes que estavam em guerra em uma comunidade da Região Central do Rio, foi só uma entre as dezenas de vitimas que o tráfico está fazendo neste exato momento autorizado pelo senhor e seus 10 asseclas.

Era de se esperar.

Com a decisão do ministro Luís Edson Fachin de proibir as operações policiais nas favelas e morros do Rio de Janeiro, a bandidagem iria e está fazendo a festa. E infelizmente, temos mais uma vitima de bala perdida, mas como é impossível que o tiro tenha sido dado por um policial, a mídia se cala.

Caro senhor Luís Edson Fachin, no futuro, quando o senhor já ter trilhado o caminho de todo o homem, seus descendentes irão fazer a mesma coisa que os herdeiros de Roberto Marinho fizeram, virão a publico dizer que não concordaram com sua decisão, e pedirão perdão por todas as vitimas.

A Ana Cristina que levou dois tiros de fuzil que partiram de traficantes que estavam em guerra em uma comunidade da Região Central do Rio, foi só uma entre as dezenas de vitimas que o tráfico está fazendo neste exato momento autorizado pelo senhor e seus 10 asseclas.

Mulheres estão sendo estupradas, alemães estão sendo justiçados no famoso micro-ondas de pneu, descontentes estão abandonando suas casas sob as ordens dos 'donos das favelas'.

Ana Cristina da Silva, de 25 anos, não voltará mais para seu filho, e o senhor tem responsabilidade por isso. Como aqui na Terra não existe ninguém para julgar o senhor, eu te entrego nas mãos do SENHOR, Ele te ensinará o que é JUSTIÇA.

Agora senhor Fachin, a droga rola solta. Agora só falta vocês aí do Supremo Tribunal Federal proibir a Polícia Rodoviária Federal de fazer operações nas estradas em busca da droga esperada nas favelas, faculdades e raves. Afinal de contas para que serve o habeas corpus coletivo decretado para que a vagabundagem negocie em paz se sua maconha e cocaína não está chegando no morro?

Agora que o diálogo estava voltando a ficar “cabuloso”?

Até parece que o vocês aí desse que já foi o Supremo Tribunal Federal acabam de dar uma nova interpretação segundo a Constituição ao milenar principio do Direito Natural que até estes dias era um dos sustentáculos do estado democrático de direito.

As faculdades nos ensinaram que o Nullum crimen sine lege significa que não há crime sem lei, ou seja, é imprescindível que a conduta delituosa tenha sido definida como tal pelo Estado.

Isso já era, Fachin e os demais garantistas dos direitos dos manos, estupraram o latim e decidiram que agora Nullum crimen sine lege significa:

There is no crime, fuck the law.

Não há crime... a lei? Ora a lei...

Em um país onde a alma mais honesta é o Lula, a gente consegue ser mais maquiavélico do que o Maquiavel:

Aos amigos? TUDO. Aos inimigos? A lei.

Aos traficantes, aos corruptos, aos antifas, ao Adélio, ao Renan... Tudo. Aos traficantes, o salvo conduto. Aos corruptos, os habeas corpus das madrugadas. Aos antifas, a blindagem contra qualquer investigação. Ao Adélio, um delegado amestrado. Ao Renan... Bem, o Renan, é o Renan. Ao Renan TUDO ao cubo.

Ao presidente Bolsonaro, aos seus ministros, eleitores, e apoiadores, não apenas a Lei, mas os rigores da lei.

E se não existir lei? Fuque-se, o Supremo Tribunal Federal legisla e criminaliza.

Mas uma hora a conta chega. A corda estica. O povo não aguenta. E o bicho pega.

Parece que o STF e outras pessoas neste país que estão querendo ver o circo pegar fogo. Não estão nem aí se alguém vai se queimar, ou se todos vão se queimar. Loucura.

A brincadeira agora é ladrão-ladrão. Não adianta ligar para o 190. Pode fechar o Disque-Denúncia. Se estiver em uma situação de risco agora, é melhor você ligar para o Batmam, ou para o Supermam.

Denilson Faleiro de Souza. Advogado.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Bolsonaro deve prorrogar auxílio por mais 4 meses, com valor de R$ 300

Sábado, 29 de Agosto de 2020

Foto: reprodução

O governo deve prorrogar o auxílio emergencial até dezembro deste ano, com quatro parcelas de R$ 300, valor defendido pelo presidente Jair Bolsonaro, segundo apurou o Estadão com fontes das alas política e econômica do governo.

O anúncio do Renda Brasil, programa social que substituirá o Bolsa Família e será a marca social do governo Bolsonaro, ficará para um segundo momento para que o ministro da Economia, Paulo Guedes, tenha mais tempo para encontrar espaço para acomodar o novo gasto dentro do teto, que limita o avanço das despesas à inflação.

O presidente quer um plano que não inclua a revisão ou a extinção de outros benefícios, como o abono salarial, uma espécie de 14º salário pago a trabalhadores com carteira com salário até R$ 2.090 e que custa cerca de R$ 20 bilhões ao ano. O abono é considerado ineficiente pela equipe econômica, mas a proposta foi rejeitada pelo presidente em reunião na terça-feira, 25. No dia seguinte, em viagem a Minas Gerais, Bolsonaro avisou que não vai “tirar de pobres para dar a paupérrimos”.

Na primeira referência pública de Guedes às críticas do presidente, o ministro – que chegou a ser alvo de rumores de que pediria demissão – disse que tomou um “carrinho” de Bolsonaro nesta semana. “Ainda bem que foi fora da área, senão era pênalti”, brincou Guedes em uma live organizada pelo setor do aço. Ontem, o ministro e Bolsonaro se encontraram fora da agenda oficial dos dois.

Técnicos discutiam ontem uma revisão no seguro-defeso, pago a pescadores artesanais no período de reprodução dos peixes, quando a pesca é proibida. Para acabar ou restringir o programa, que tem um custo de R$ 2,5 bilhões por ano e é sempre criticado por ter alto índice de fraudes, é preciso aprovar um projeto de lei – o que exige menos apoio do que os três quintos necessários para mudar a Constituição e mexer no abono. No entanto, governos anteriores também fracassaram nas tentativas de modificar o seguro-defeso.

Enquanto não aponta a fonte do novo programa, a ideia do governo é que a extensão do auxílio seja uma transição para um “pouso suave” no novo Renda Brasil. Os técnicos da área econômica continuam debruçados sobre as alternativas para liberar espaço no Orçamento para o Renda Brasil e não desistiram nem mesmo de tentar convencer o presidente a propor alguma mudança no alcance do abono salarial atual. A ideia é tentar emplacar a mesma alteração proposta na reforma da Previdência, que restringia o abono a quem ganha até um salário mínimo (R$ 1.045). A medida também foi rejeitada pelo Congresso.

Ontem, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que quem dá o “timing” sobre temas como a prorrogação do auxílio emergencial e a criação do Renda Brasil é a política. Segundo ele, a equipe econômica tem simulações prontas sobre os gastos que os benefícios vão acarretar.

“Eu sempre repito que o timing quem dá é a política. Nós temos as simulações todas preparadas, agora o timing, o nível de auxílio emergencial, de Renda Brasil, tudo isso são decisões políticas”, afirmou Guedes na portaria do ministério. Ele foi questionado se o Renda Brasil começaria a ser pago já no início do ano que vem. “Talvez antes, talvez no começo do ano que vem”, respondeu.

Sobre o auxílio emergencial, o ministro disse que “a gente sabe que R$ 600 é muito e R$ 200 é pouco”. “Estamos tentando acertar os números. Mas está tudo claro, tudo tranquilo.”

O auxílio emergencial foi criado originalmente para durar três meses (tendo como base os meses de abril, maio e junho). Depois, o governo prorrogou por duas parcelas (julho e agosto) por meio de decreto. O valor de R$ 600 foi mantido em todo esse período. Para mexer no valor, será preciso editar uma Medida Provisória (MP), que tem vigência imediata.

Estadão Conteúdo

Número de beneficiários de programas do governo quadruplicou em 2020

Sábado, 29 de Agosto de 2020

Foto: Sérgio Lima/Poder360

O número de pessoas em situação de vulnerabilidade social e que recebem algum benefício do governo federal quadruplicou em 2020. Passou de 20,57 milhões para 85,29 milhões do ano passado para cá, segundo dados do Portal da Transparência.

O levantamento foi feito com pessoas que recebem o auxílio emergencial, o Bolsa Família, o BPC (Benefício de Prestação Continuada), o Peti (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil) e o Seguro-Defeso.

Em 2019, eram assistidas por algum desses benefícios 10,8% da população brasileira. A proporção passou para 44,8% neste ano.

Quase a totalidade dessa alta está relacionada ao auxílio emergencial, que é o pagamento do governo às pessoas em situação de vulnerabilidade no período de pandemia de covid-19. São 65,2 milhões de beneficiados somente com esse programa.

O auxílio supera o número de trabalhos com carteira assinada em 25 Estados. Também publicou que o número de beneficiários do Bolsa Família é maior do que a quantidade de empregos formais em 10 Estados.

Os dados revelam grande dependência da população brasileira por auxílios do governo federal, que, por sua vez, são custeados com recursos públicos –arrecadados pela União.

O desembolso do governo federal com os programas de assistência disparou de R$ 97,96 bilhões em 2019 para R$ 162,35 bilhões em 2020 (segundo os dados mais atualizados). O aumento de gastos se dá num momento em que o governo estuda a criação do Renda Brasil, que pretende englobar o Bolsa Família e outros seguros assistenciais.

De acordo com os dados públicos, mais de a metade da população de 15 Estados brasileiros recebe algum benefício do governo federal. Todos são do Norte ou Nordeste. Destacam-se Roraima (66,2%), Amapá (63,7%), Acre (60,7%) e Pará (60,6%). Em Santa Catarina, só 29,1% dos moradores são beneficiários de algum programa.

Valor médio por beneficio

O governo gastou R$ 1.926, em média, por favorecido em 2020 com os benefícios. Os contemplados do Amapá são os que recebem maior quantia na média: R$ 2.116. Em Santa Catarina está o menor valor médio (R$ 1.747).

O BPC (Benefício de Prestação Continuada) é o que pagou o maior valor médio por favorecido em 2020: R$ 6.038. O auxílio contempla 4,8 milhões de brasileiros e é com base no salário mínimo.

As regiões Norte e Nordeste concentram os maiores valores pagos:

Poder 360

INSEGURANÇA: Criminosos invadem granja, atiram, fazem família refém e agridem homem em Macaíba

Sábado, 29 de Agosto de 2020

Foto: Ayrton Freire/Inter TV Cabugi

Pelo menos cinco criminosos invadiram uma granja, fizeram um casal e suas duas filhas reféns, e ainda agrediram o dono do imóvel. O caso durante a madrugada deste sábado (29),em Macaíba, na região metropolitana de Natal. Os bandidos ainda chegaram a disparar armas de fogo dentro da casa assustar os moradores e forçar a abertura de uma porta. Na fuga, levaram uma caminhonete da família. A matéria completa está no G1-RN.

Na última semana BLOGDOBG já havia alertado para a onda de assaltos à granjas em diversos municípios do Estado (relembre aqui). A sensação de insegurança é enorme entre os proprietários de granjas e outras propriedades rurais. Vários têm se queixado sobre a dificuldade de manter funcionários porque não se sentem seguros para trabalhar.

Ceará libera volta de creches e educação infantil privada na capital a partir de 1º de setembro

Sábado, 29 de Agosto de 2020

Foto: reprodução

A reabertura de creches e escolas particulares de ensino infantil em Fortaleza, com atividades presenciais, começará no dia 1º de setembro. O anúncio foi feito pelo governador Camilo Santana durante transmissão nas redes sociais na tarde desta sexta-feira, 28.

Decisão é tomada após série de reuniões com setores da educação e Comitê Científico. Será autorizada presença de 30% das crianças. Cinemas e teatros também estão autorizados a voltar a funcionar, cumprindo limite de 35% da capacidade.

A definição sobre os estudantes das outras séries, do ensino fundamental e médio, fica para semanas seguintes. Escolas e creches públicas ainda não reabrirão.

Eventos com até 100 pessoas também estão autorizados, a partir do dia 14 de setembro.

As aulas presenciais foram suspensas em 16 de março, um dia após a confirmação dos três primeiros casos de Covid-19 no Estado do Ceará.

Entidades que representam profissionais da educação são contra o retorno presencial, justificando que abertura das escolas pode contribuir para uma segunda onda de contaminação do vírus no Ceará. O Sindicato dos Professores e Servidores da Educação e Cultura do Estado e Municípios do Ceará (Apeoc) entregou, nesta sexta-feira, 28, ofício à Secretaria da Educação (Seduc) solicitando o não retorno das aulas presenciais no estado.

As escolas particulares têm feito pressão pela reabertura. Na semana passada, o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Ceará (Sinepe-CE) realizou carreata para pedir retorno das aulas presenciais. A entidade defende que a rede privada está preparada para o retorno desde julho.

O Povo

CORONAVIRUS: RN registra 61.506 casos confirmados e 2.241 óbitos, sendo 04 nas últimas 24 horas

Sábado, 29 de Agosto de 2020

Imagem: reprodução

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números parciais do coronavírus neste sábado, 29. Os casos confirmados são 61.506.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 2.241 no total, dos quais 04 deles ocorridos de fato nas últimas 24 horas, outros 03 ocorridos em dias anteriores foram registrados depois da confirmação de exames.

Há 224 mortes em investigação e em outros 488 óbitos está descartado o coronavírus como causa. Os casos suspeitos são 26.281 e os descartados somam 113.876.


Fonte: Blog do BG

Padre celebridade gastou R$ 367 milhões para comprar 106 propriedades rurais

Sábado, 29 de Agosto de 2020

Padre Robson ficou famoso por suas celebrações na TV e como líder da Basília do Pai Eterno, em Trindade (GO) Foto: Reprodução

A Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) comprou ao menos 106 propriedades rurais como fazendas, sítios e chácaras entre os anos de 2010 e 2019. Para as aquisições, a entidade criada pelo padre Robson de Oliveira Pereira, de 46 anos, gastou R$ 367,6 milhões neste período. As terras foram adquiridas principalmente em Goiás, onde vive o pároco, mas também há registros de compras em Mato Grosso e São Paulo.

Os valores aplicados nesses negócios foram provenientes de doações feitas pelos fiéis à Afipe, associação fundada para cuidar dos interesses do Santuário do Divino Pai Eterno, em Trindade. Robson foi presidente da entidade até semana passada, quando se afastou do cargo em meio a uma série de denúncias apresentadas pelo Ministério Público de Goiás (MP). O pároco é suspeito de utilizar os recursos dos donativos para fins pessoais.

As aquisições dessas terras foram negócios fechados, sobretudo, com pagamento à vista. De acordo com dados que constam em um relatório das movimentações financeiras da Afipe, que Época teve acesso, 99 fazendas foram quitadas em uma única parcela. Apenas sete propriedades rurais foram pagas a prazo.

A primeira terra comprada pela Afipe foi a Fazenda Boa Vista do Ribeiro, localizada em Guapó, município localizado a 36 quilômetros de Goiânia. Os documentos mostram que a aquisição ocorreu no dia 23 de setembro de 2010, ano em que o padre Robson divulgou o projeto para construir uma nova basílica em Trindade, cidade que se tornou destino de romaria de peregrinos católicos. A propriedade custou R$ 400 mil em valores da época.

Os gastos com fazendas cresceram ano após ano, assim como aumentavam os donativos para a Afipe. No fim de 2010, a entidade totalizou R$ 8,6 milhões investidos em áreas rurais. O valor saltou para R$ 76,5 milhões em 2015 e chegou ao máximo dois anos depois.

Em 2017, o montante gasto pela entidade na compra de propriedades rurais chegou a R$ 115,1 milhões. A fazenda São Domingos, situada em Caiapônia, foi uma das responsáveis pelo alto valor gasto com imóveis rurais naquele ano. A propriedade custou R$ 92,9 milhões e foi paga à vista pela Afipe.

Naquela altura, o padre Robson foi vítima de um crime de extorsão, quando teve o computador e celular hackeados. Segundo o MP, o pároco foi chantageado ao longo de 2017 “para que não divulgassem imagens e mensagens eletrônicas com informações pessoais, amorosas e profissionais que levassem a prejudicar sua imagem”.

O Padre Robson chegou a transferir mais de R$ 2 milhões das contas bancárias da Afipe para os criminosos. Após a condenação da quadrilha de extorsão, o padre passou ser investigado por uso indevido das doações dos fiéis. Para o MP, o pároco é suspeito de ter cometido crimes de apropriação indébita, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos, sonegação fiscal e associação criminosa.

Época

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Guilherme

    Conheço várias pessoas que contribuíam mensalmente pagando boleto. Pagavam para ajudar na construção da nova igreja e agora souberam que compravam fazendas com o dinheiro.

    • Antonio Turci

      Nunca confiei nesse padre. Sempre achei que havia algo de falso na aparência dele.

Corpos carbonizados são encontrados em cidade do interior do RN

Sábado, 29 de Agosto de 2020

Foto: reprodução

Dois corpos carbonizados foram encontrados na Fazenda Irapuru, no município potiguar de Tanguará, neste sábado 29.

Segundo populares, os corpos foram encontradas próximos da carcaça de um veículo, que também estava queimado.

Até o momento as identidades dos mortos não foram identificadas como também a causa do incidência ainda não foi descoberta.

Com informações de Agora RN

Renda Brasil deve propor que empresas doem a famílias carentes

Sábado, 29 de Agosto de 2020


Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O governo quer permitir que empresas doem recursos a famílias carentes no âmbito do programa Renda Brasil, que substituirá o Bolsa Família e será a marca social da gestão Jair Bolsonaro. A ideia do Ministério da Cidadania é dar às companhias que aderirem à iniciativa o chamado “Selo Cidadania” como reconhecimento – não haveria incentivo financeiro ou subsídio.

A proposta consta em um documento enviado pela Cidadania ao Ministério da Economia em 13 de agosto e foi confirmada pela reportagem com fontes que participam das discussões.

“No eixo de envolvimento do setor privado, o programa busca o apoio de particulares e empresas que possam ajudar os brasileiros em situação de vulnerabilidade para que alcancem a verdadeira cidadania”, diz o documento obtido pelo Estadão/Broadcast.

Segundo apurou a reportagem, a ideia é usar inteligência artificial para permitir que a empresa escolha doar para famílias de determinado perfil ou localidade, mas sem revelar dados pessoais dos beneficiados. A proposta é justamente mencionada em documento da área de TI (Tecnologia da Informação) da pasta para ilustrar os projetos do setor.

No passado, o governo Luiz Inácio Lula da Silva tentou apostar na doação de empresas para lançar o programa Fome Zero, que tinha como slogan “O Brasil que come ajudando o Brasil que tem fome”. A iniciativa, porém, não deu resultados concretos e foi criticada inclusive pelo Banco Mundial, um dos principais organismos multilaterais que mantém um olhar para as questões de pobreza e desigualdade.

Quatro eixos

O mesmo documento do Ministério da Cidadania traz uma ilustração do que seria a proposta do Renda Brasil, dividida em quatro eixos: primeira infância, renda cidadã, prêmios por méritos e emancipação cidadã.

Selo Cidadania

Uma fonte da área econômica confirmou o esquema como a proposta inicial em estudo dentro do governo, mas informou que pode haver ajustes após o presidente Jair Bolsonaro pedir modificações no desenho do Renda Brasil. Bolsonaro também vetou a extinção de outros benefícios, como o abono salarial, para liberar recursos ao novo programa, o que pode acabar limitando algumas das iniciativas planejadas.

No eixo de emancipação cidadã, o governo prevê a criação da Carteira Verde e Amarela Digital (barateando para as empresas o custo de contratação de pessoas com menores salários, com redução de encargos), a capitalização (regime de aposentadoria em que cada trabalhador tem a própria poupança e não apenas contribua para um fundo comum, como ocorre hoje com o INSS) e seguro-desemprego privado.

O texto não detalha como seria o funcionamento dessas propostas, nem os valores dos benefícios – o Orçamento do programa tem sido justamente o ponto mais sensível das negociações.

Segundo apurou a reportagem, há estudos dentro do Ministério da Economia para um seguro-desemprego privado, mas sem definição. No ano passado, em entrevista ao Estadão/Broadcast, a Superintendente da Superintendência de Seguros Privados (Susep), Solange Vieira, defendeu a migração do seguro desemprego para a iniciativa privada. “Por que não podemos pensar no seguro desemprego como um produto privado? (O seguro-desemprego) representa cerca de 1% do PIB e uma gestão privada certamente poderia ser mais eficiente”, disse à época.

Ainda de acordo com o documento, no eixo da primeira infância estaria um auxílio às famílias com crianças de 0 a 2 anos e o programa Criança Feliz, que apoia famílias com crianças de 0 a 6 anos.

No eixo da renda cidadã, há o chamado benefício cidadania, um benefício variável (como no Bolsa Família, que também tem um benefício variável para famílias em condição de extrema pobreza), condicionalidades de educação (a partir de 6 anos, como incentivo à assiduidade escolar), condicionalidades de saúde (da gestação até os 7 anos) e um benefício à primeira infância.

No eixo prêmios por méritos, há a previsão de um bônus por desempenho escolar ou bom desempenho em esportes, além de um incentivo à iniciação científica. A previsão desses benefícios nos planos do governo para o Renda Brasil foi revelada pelo Estadão na semana passada.

R7

Estudo sobre a Covid-19 no Brasil estima que para cada diagnóstico confirmado há 6 casos não notificados

Sábado, 29 de Agosto de 2020

Foto: reprodução

O Estudo de Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil (Epicovid19-BR), coordenado pela Universidade Federal de Pelotas e financiado pelo Ministério da Saúde, é a maior pesquisa populacional em andamento no mundo a estimar a prevalência de coronavírus. As três primeiras etapas, realizadas de 14 a 21 de maio, 4 a 7 e 21 a 24 de junho, entrevistaram quase 90 mil pessoas.

Os dados inéditos permitiram conhecer o comportamento do vírus no Brasil. Para cada diagnóstico confirmado pelas estatísticas, o estudo estimou que existem ao redor de seis casos reais não notificados. De cada cem infectados, um vai a óbito.

A pesquisa documenta que, em um mês, a prevalência dobrou na população: os percentuais passaram de 1,9% (1,7 – 2,1%, pela margem de erro), na primeira etapa, para 3,1% (2,8 -4,4%), na segunda, e alcançaram 3,8% (3,5 – 4,2%), na última etapa. Nesse mesmo intervalo, o distanciamento social (percentual de pessoas que ficam sempre em casa) caiu de 23,1% para 18,9%.

Os pesquisadores ainda identificaram a existência de “várias epidemias” em curso simultâneo no país, com diferenças entre as regiões brasileiras e desigualdades entre grupos étnicos e socioeconômicos. Enquanto, no Norte, 10% da população, em média, têm ou já teve coronavírus, no Sul, esse percentual está em torno de 1%. Em todas as fases da pesquisa, os 20% mais pobres apresentaram o dobro do risco de infecção em comparação aos 20% mais ricos. Além disso, indígenas tiveram um risco cinco vezes maior do que os brancos. “Mostramos que os pobres e os indígenas são os grupos mais vulneráveis, que requerem ainda mais atenção de políticas de saúde pública”, diz Hallal.

Sintomas mais apresentados pelos brasileiros

A pesquisa também estimou que crianças têm a mesma chance de adultos para contrair o vírus e, diferente do que cogitava inicialmente a ciência mundial, aproximadamente 90% dos casos apresentam sintomas. Os cinco mais frequentes, relatados por cerca de metade dos entrevistados com anticorpos para a Covid-19, foram dor de cabeça (58%), alteração de olfato ou paladar (57%), febre (52,1%), tosse (47,7%) e dor no corpo (44,1%).

“Pessoas com perda de olfato e paladar, por exemplo, poderiam ser testadas e isoladas em caso de diagnóstico positivo, já que este sintoma foi cinco vezes mais frequente entre os casos positivos comparados aos negativos”, completa.

Como funciona a pesquisa

O estudo inclui a cidade mais populosa de cada uma das 133 regiões intermediárias do país, que são divisões do território nacional definidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A seleção das residências e das pessoas que serão entrevistadas e testadas ocorre por meio de um sorteio aleatório, utilizando os setores censitários do IBGE como base.

Durante a visita, os pesquisadores coletam uma gota de sangue da ponta do dedo do participante, que será analisada pelo aparelho de teste em aproximadamente 15 minutos. Em caso de resultado positivo, os profissionais comunicam a Vigilância Em caso de resultado positivo, os profissionais comunicam a Vigilância Epidemiológica local.

O Epicovid19-BR tem aprovação da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa e cumpre todos os requisitos de segurança necessários, para proteger os pesquisadores e a população.


Flordelis pede ajuda “pelo amor de Deus” mas é ignorada

Sábado, 29 de Agosto de 2020



Na madrugada desta sexta-feira (28), a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) fez um desabafo e pediu ajuda a colegas no grupo de WhatsApp da bancada feminina no Congresso. No texto, ela afirmou que é inocente e que não teve envolvimento na morte de seu marido, pastor Anderson do Carmo. A informação foi dada pelo site O Antagonista.

Flordelis virou ré após a Justiça aceitar a denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) que apontou que a parlamentar era a mandante do assassinato do marido. Anderson foi morto em junho de 2019 após levar mais de 30 tiros na porta de casa.

A deputada, no entanto, não pode ser presa por causa da imunidade parlamentar. O caso deve ser decidido pela Câmara dos Deputados na próxima semana.

Ao enviar o pedido de ajuda no grupo da banca feminina, Flordelis disse que uma de suas filhas escreveu as mensagens encontradas em seu celular “se fazendo passar por mim para conseguir o que ela queria”.

A deputada pediu às colegas que não deixam ser mandato ser cassado e disse que vai “conseguir provar a minha inocência e que vocês não se arrependerão de me ajudarem”.

Ela ressaltou ainda que está “vivendo com quase a metade do meu salário porque tive que pegar empréstimo minha casa é financiada está no nome de terceiros porque a onze anos atrás não tínhamos como financiar uma casa “.

Flordelis também apontou que depende “de cestas básicas para comer com meus filhos porque pago financiamento da minha casa luz água gás remédios”.

Por fim, a parlamentar disse que “se caçarem meu mandato estão me tirando o direito de lutar porque vou para prisão”.

De acordo com O Antagonista, o pedido da parlamentar não havia sido respondido até o início da tarde.

Veja a íntegra da mensagem de Flordelis:

“Boa noite a todas
Estou aqui para pedir ajuda
Estou sendo denunciada por coisas que não fiz
Não matei meu marido e não mandei matar
Fui indiciada por mensagens que não escrevi
Minha filha confessou em juízo que pegou meu celular e escreveu e enviou as mensagens se fazendo passar por mim para conseguir o que ela queria
Vou enviar no domingo o depoimento dela
Minha outra filha também me pediu perdão porque fez a mesma coisa
Eu não sabia que meu marido estava fazendo coisas que serão reveladas e provadas nos próximos dias não sabia mesmo 😭😭😭😭😭😭😭
Querem caçar meu mandato venho aqui pedir a vocês pelo amor de Deus não deixem que façam isso comigo eu juro que vou conseguir provar a minha inocência e que vocês não se arrependerão de me ajudarem
Estão dizendo que mandei matar por poder e dinheiro
Que poder?
Que dinheiro?
Vou enviar meu extrato bancário pra vocês
Estou vivendo com quase a metade do meu salário porque tive que pegar empréstimo minha casa é financiada está no nome de terceiros porque a onze anos atrás não tínhamos como financiar uma casa
Ainda pago esse financiamento
Meu marido morreu e sua conta estava no vermelho
Também fui vencedora e tem políticos se aproveitando da situação para tentarem me destruir
Ganhei a reforma da minha casa porque estava cheia de vazamentos e hoje dependo de cestas básicas para comer com meus filhos porque pago financiamento da minha casa luz água gás remédios
Eu não fui julgada nem condenada fui indiciada denunciada pela promotoria tenho direito de lutar para provar minha inocência mas se caçarem meu mandato estão me tirando o direito de lutar porque vou para prisão
Não gosto de criticar veículos de imprensa, mas o veículo em questão tem narrativa e sensacionalismo e mentiras
Me deixem solta para lutar e isso só será possível com a não cassação do meu mandato
Eu vou conseguir fazer justiça a verdadeira justiça pela morte do meu marido porque nada justifica terem matado ele
Me ajudem”.


Mulher é presa após cortar barriga de amiga grávida e roubar bebê

Sábado, 29 de Agosto de 2020

O corpo de uma mulher identificada por Flavia Godinho Mafra, que estava grávida, foi encontrado com marcas de tijoladas e cortes na barriga provocados por estilete. O cadáver foi encontrado na manhã desta sexta-feira (28) em uma empresa de cerâmica desativada em Canoinhas, na Grande Florianópolis.

Segundo um site de notícias do Globo, a suspeita é que uma amiga da vítima,Rozalba Grimm, tenha feito uma emboscada para cometer o assassinato e ficar com a recém-nascida. Ferida, a bebê foi levada a um hospital pelo marido da suspeita. Ambos foram presos.

A vítima estava desaparecida desde a tarde de quinta-feira (27). Segundo o delegado Paulo Alexandre Freisleben da Silva, ela teria sido levada até o local do crime pela suspeita, que é amiga da vítima.

"Ela disse que estava grávida e teria perdido a criança há dois ou três meses, mas não comunicou aos familiares, inclusive nem teria falado para o marido, que estaria muito empolgado com a gravidez dela. Ela disse que iria fazer um chá de bebê e convidou a vítima para participar", explica.

No entanto, a amiga acabou levando a vítima até a cerâmica desativada e a atingiu com tijoladas na cabeça. O estilete foi encontrado no local do crime

"Depois, com um estilete cortou a barriga dela para tirar o bebê. A ideia dela era matar a mulher e ficar com a criança", explicou o delegado.

O delegado disse que o bebê foi levado pela suspeita para o Hospital e Maternidade Maria Sartori Bastiani, onde a mulher investigada teria informado que teve um parto espontâneo. 

O delegado afirmou que foi o companheiro da suspeita que acabou lavando o recém-nascido até o hospital. A Polícia Militar foi acionada pela equipe médica, que desconfiou dos cortes profundos no corpo do bebê. 

Flavia estava grávida de 38 semanas e era diabética.

Via Portal do Holanda

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055