martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

sábado, 17 de dezembro de 2022

Herança maldita: Pau que nasce torto morre torto

Sábado, 17 de Dezembro de 2022




Em um churrasco à noite, em 30/04/2004, com o PTB, Lula afirmou que a herança que recebeu do antecessor, Fernando Henrique Cardoso, é "para lá de maldita". Num discurso de cerca de 50 minutos, Lula atacou duramente FHC, declarando que recebeu o país em condições muito piores do que pôde falar publicamente. Logo ele, que recebera um país com inflação debelada e índices macroeconômicos civilizados. Continuou o mestre da mistificação:

"Mas agora já saímos da UTI e estamos andando pelo hospital sem ajuda da enfermeira". A herança [do governo FHC] não é maldita, é para lá de maldita", concluiu.

Foi a este sacripanta, Lula, que FHC (junto com seus ex-ministros, Pedro Malan, Edmar Bacha e Armínio Fraga) declarou apoio, no segundo turno das últimas eleições presidenciais. Definitivamente, não consigo entender certas pessoas, mormente os políticos brasileiros, quer pela falta de memória, quer pela ausência de dignidade pessoal. Sim, porque recomendar o voto em um corrupto, condenado em dois processos por corrupção e lavagem de dinheiro em todas as instâncias cabíveis, não pode ser outra coisa senão falta de dignidade pessoal.

Pois este salafrário, Lula, o Fura Teto, voltou à carga mesmo antes de assumir o controle do galinheiro (digo, do dinheiro dos brasileiros) - o que só fará, se o fizer, em janeiro de 2023 – e afirmou que está recebendo, do atual governo, uma “herança maldita”. Trata-se do antigo uso do cachimbo que deixa torta a boca suja de Lula.

Herança maldita é o que sobrou dos escombros da economia brasileira, quando o PT foi alijado do poder em 2016. Herança maldita é o que a súcia lulopetista – a tal Equipe de Transição – está preparando para o Brasil futuro.

O Ibovespa, índice que reúne as maiores empresas listadas na bolsa de valores brasileira, perdeu R$ 156,269 bilhões em valor de mercado em um só dia - quinta-feira (10/12) -, depois de um discurso do irresponsável Lula, criticando políticas de controle fiscal. Ou seja, em um dia o Grande Larápio fez o Brasil ficar mais pobre em R$ 156,269 bilhões. (Cálculo feito pela consultoria TradeMap.) O cálculo considera a variação no valor de mercado de cada uma das companhias que integram o índice. Em dois dias de quedas seguidas, as perdas totais do Ibovespa chegaram a R$ 247,8 bilhões. O Mercado percebeu o abismo que Lula, o Fura Teto, e seus cúmplices estão cavando e se retraiu. Isto antes mesmo de Lula ter recebido a chave do cofre dos contribuintes. Os próximos capítulos prometem ser medonhos. Isto sim, é herança maldita mesmo, que Lula et caterva preparam para o cidadão brasileiro no futuro próximo.

A indecente “flexibilização” da Lei das Estatais - criada em 2016 para proteger nossas empresas da praga do aparelhamento político – proposta por Lula, o Fura Teto, visa permitir, segundo o Globo desta sexta-feira (16/12), o aparelhamento político de nossas empresas em mais de 700 cargos. Uma dessas nomeações em perspectiva, que causa arrepios ao Mercado, é a de Aloísio Mercadante – manjada figura petista – para, nada mais, nada menos, o BNDES. Objetivos? Até os paralelepípedos de minha rua conhecem:

1. Retomar os financiamentos a ditaduras ‘mui amigas’ e governos de esquerda da América Latina: Venezuela, Cuba, Nicarágua, Equador, Argentina, ...  

2. Voltar a financiar os “campeões” nacionais, desde que haja um substancioso retorno (suborno) por vias travessas aos bolsos e cofres de partidos e ‘cumpañeros’ do “Querido Líder”, Lula, o ‘Princeps Corruptorum”, das democracias ocidentais. Esta real herança maldita que Lula prepara para os brasileiros tem de ser obstada, e por quaisquer meios. Em nome de uma ‘democracia’ que o STF/TSE já desmontaram, é hipocrisia, ou covardia, ou as duas coisas ficar inerte ante este assalto que Lula, o Fura Teto e seu bando preparam para o Brasil.

Já a Petrobrás, a joia da coroa para os urubus do bando lulopetista, perdeu R$ 117,6 bilhões em valor de mercado desde o anúncio, por Alexandre de Moraes, da ‘vitória’ de Lula, no segundo turno das eleições. Esta última atualização foi feita em 14/12/2022. Ou seja, a Petrobras ficou, em poucos dias, R$117,6 bilhões mais pobre. Vamos colocar esses números em perspectiva: o orçamento federal de 2023 reserva R$ 149,8 bilhões para a saúde. Este valor representa 60% das perdas totais do Ibovespa (R$ 247,8 bilhões) em dois dias. Uma tragédia lulopetista! Para o ensino superior e pesquisas, o orçamento federal reserva R$ 17,1 bilhões, ou seja, 14,49 vezes menos do que as perdas do Ibovespa em dois dias! Eis aí o começo trágico da enorme e real herança maldita, talvez pior do que a de 2016, que a simples expectativa de poder de Lula e seus asseclas produz na economia do Brasil. Isto é só o começo, claro. Ou as forças responsáveis deste país acordam da letargia constitucional em que estão, ou o Brasil vai mesmo, mais uma vez para o buraco criado por Lula, PT et caterva. E agora, tudo indica, o buraco será bem mais fundo.

Lula ao acusar o atual governo de estar deixando uma herança maldita, comporta-se, mais uma vez, como o exímio farsante que sempre foi. Ele conta sempre com a legião de ignorantes e oportunistas que o apoiam. A ignorância é o grande pasto preferencial em que se alimenta a escória política de uma nação. Esses eleitores, se o Grande Farsante disser que pau é pedra, acreditarão. E é a eles que Lula sempre se dirige, mentindo sempre e seguindo a orientação do guru de seu bando, Vladimir Ilyich Ulianov, vulgo Lenin: “Acuse os adversários do que você faz, chame-os do que você é.”

O bom desta história é que o Ministério da Economia não ficou calado e, em tempo, mostrou, em uma nota, mais esta farsa do Grande Larápio, ex-presiário, solto e feito presidente-eleito por uma Corte Suprema de dar vergonha. Para ajudar na divulgação daquela nota esclarecedora, coloco aqui o seu link:

https://www.gov.br/economia/pt-br/canais_atendimento/imprensa/notas-a-imprensa/2022/dezembro/esclare...

Foto de José J. de Espíndola

José J. de Espíndola

Engenheiro Mecânico pela UFRGS. Mestre em Ciências em Engenharia pela PUC-Rio. Doutor (Ph.D.) pelo Institute of Sound and Vibration Research (ISVR) da Universidade de Southampton, Inglaterra. Doutor Honoris Causa da UFPR. Membro Emérito do Comitê de Dinâmica da ABCM. Detentor do Prêmio Engenharia Mecânica Brasileira da ABCM. Detentor da Medalha de Reconhecimento da UFSC por Ação Pioneira na Construção da Pós-graduação. Detentor da Medalha João David Ferreira Lima, concedida pela Câmara Municipal de Florianópolis. Criador da área de Vibrações e Acústica do Programa de Pós-Graduação em engenharia Mecânica. Idealizador e criador do LVA, Laboratório de Vibrações e Acústica da UFSC. Professor Titular da UFSC, Departamento de Engenharia Mecânica, aposentado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9 9151-0643

Contato : (84) 9 9151-0643