martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

domingo, 18 de abril de 2021

As “almas sebosas”, o bem e o belo invertidos

 Domingo, 18 de Abril de 2021

“Pensei comigo mesmo com que meios, com que trapaças, com quantas artes diversas, com que habilidade um homem aprimora a sua inteligência para enganar outro e com estas variações o mundo se faz mais belo”. (FRANCESCO VETTORI, AMIGO E CONTEMPORÂNEO DE MAQUIAVEL, INÍCIO DO SÉC. XVI).

Se você meditar sobre as palavras que abrem o texto descobrirá que o autor, Francesco Vettori, criou um novo conceito para aquilo que nós chamamos de bem e de belo.

O bem é o conjunto de princípios fundamentais de determinada sociedade referentes à vida e à dignidade das pessoas, preconizados como propícios ao desenvolvimento e ao aperfeiçoamento moral, quer dos indivíduos, quer da comunidade ou aquilo que atende às aspirações essenciais da natureza humana.

O belo é o que tem formas e proporções esteticamente harmônicas, tendendo a um ideal de perfeição; que tem beleza ou o que produz uma viva impressão de deleite e admiração, ou ainda que provoca uma sensação de serenidade ou de aprazibilidade, de elevado valor moral, sublime.

Note que Francesco Vettori elogia “os meios, as trapaças.... artes diversas...as habilidades ...desse modo um homem aprimora a sua inteligência para enganar outro e com estas variações o mundo se faz mais belo”. A arte da trapaça, para o autor, é um bem. É isso que aperfeiçoa o ser humano. É a trapaça que aprimora sua inteligência para formular ardis com a finalidade de enganar o outro, faze-lo acreditar em algo que é falso, errado, induzi-lo ao deslize, a burla, ao logro, a mentira, isso torna o mundo mais belo.

Três prodígios de nosso país: o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes e Arthur Lira, Presidente da Câmara, criticaram duramente o uso da Lei de Segurança Nacional. Magnânimos querem a sua extinção. A lei de Segurança Nacional não é boa, não é um bem, não é bela e nem sublime, segundo os luminares. Os três, estranhamente, usam o conceito de Francesco Vettori.

A lei de Segurança Nacional, segundo os três, serve perfeitamente para punir e trancafiar um Deputado Federal. A lei nesse caso é um bem, pois também puniu e mantém o jornalista Oswaldo Eustáquio preso, “acusado de “impulsionar o extremismo do discurso de polarização e antagonismo”. A LSN é muito boa e torna o mundo melhor. Nesse caso da aplicação da lei, o bem que a lei provoca, para as três sumidades brasileiras, está em que seu emprego atende a seus interesses.

Como ficou bonito o mundo, quando a lei monstruosa e que deveria ser extinta, foi aplicada! A grande mídia e seus influenciadores; os partidos de esquerda que tomaram uma sova e não se conformam com o fato de terem perdido as eleições; os “artistas e intelectuais”; as ONGS, mantidas com dinheiro estrangeiro; os “especialistas” que aparecem todos os dias na Tv explicando o inexplicável, todos os que foram derrotados por Jair Bolsonaro, radiantes de felicidade, aplaudiram e festejaram a aplicação da Lei de Segurança Nacional punindo indevidamente o deputado e o jornalista. Um alento para a nação dos “canhotas”.

Nesse mundo onde habitam as criaturas do bem e do belo como os colunistas Ruy Castro, da Folha de S. Paulo, e Ricardo Noblat, da revista Veja que pedem o “suicídio do Presidente” e o jornal Folha de S. Paulo que através do “jornalista” Schwartsman torce pela morte de Bolsonaro, vivem ainda youtubers, deputados, presidentes de partidos da oposição, influenciadores digitais de todos os tipos, candidatos a presidente derrotados nas últimas eleições, apresentadores de televisão, os “artistas e intelectuais” de esquerda e toda corriola que o povo brasileiro rejeitou, todos xingam e caluniam o Presidente diariamente, chamando-o de genocida.

Todos os que vivem nesse mundo idealizado por Francesco Vettori, concordam que a LSN é um bem e é bela, pois puniu um Deputado e um Jornalista que apoiam Jair Bolsonaro.

Então o ministro da Justiça e Segurança Pública requisitou a abertura de um inquérito policial para "apurar a conduta" dos jornalistas pelas idiotices publicadas. Todos seriam punidos pela Lei de Segurança Nacional, junto com o youtuber. A boa e bela lei agora se virava contra seus apoiadores.

O mundo que era bom e belo tornou-se tétrico, medonho. A lei que era um alento para nação “canhota” tornou-se uma aberração. Horrorizados todos aqueles que defendiam a bendita lei se viraram contra ela. É golpe, gritaram. É a ditadura que se instala!

O que querem essas pessoas? O que pretendem? Já extorquiram o estado durante 24 anos (8 do PSDB/16 do PT/PMDB com o esquema da tesoura de Lênin).

Lutam por uma nação melhor? Não, pois durante 23 anos esses que gritam, cinicamente e se apresentam como salvadores da pátria, são os mesmos que tiveram a oportunidade de melhorar o país e o entregaram a Jair Bolsonaro com 13 milhões de desempregados.

Então o que querem?

Querem poder. Querem de volta suas mordomias.

Suas “almas sebosas” se movimentam fazendo o “mal” parecer um “bem/belo”, quando assim lhes convém e o mesmo “bem/belo” se torna um “mal” quando seus interesses são contrariados.

O conceito de Vettori direciona suas vidas. É preciso não esquecer. É necessário compreender que todos aqueles que gritam como “bezerros desmamados” contra o governo Jair Bolsonaro, já estiveram no comando da nação e sangraram o país sem dó e nem piedade.

  • Fonte: Jornal da Cidade Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055