martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

Funcionários de jornal 'esquerdista' entram em greve por salários atrasados

Quinta, 10 de Dezembro de 2020

O jornalista e comentarista político, Rodrigo Constantino, usou o Twitter para dizer que estava “preocupado” por saber que o jornal que ele processa por fake news, o Correio Braziliense, não está conseguindo nem pagar o salário dos seus funcionários.

“Pôxa, então, não terão condição de pagar eventual indenização por essa fake new?”, comentou.

Confira:

Os jornalistas do Correio Braziliense decidiram paralisar as atividades nesta terça-feira (08). Os funcionários do jornal mais tradicional de Brasília afirmam que a empresa só pagou 40% dos salários de novembro e prometeu pagar o restante até a próxima sexta-feira, dia 11.

Esses acordos extrajudiciais entre empregados e patrões são comuns quando as empresas estão de mal a pior, economicamente. O problema é quando os meses e o parcelamento se tornam mais frequentes porque a dívida vira uma “bola de neve”. Este foi o caso do Correio, cujos atrasos salariais têm sido, cada vez mais corriqueiros.

O sindicato da categoria já havia notificado a empresa sobre a situação de penúria dos colaboradores. Por isso, no dia 3 de dezembro, os trabalhadores decidiram pela greve; já que o atraso salarial envolvia também a primeira parcela do 13º.

O Correio Braziliense ainda tentou evitar que a situação constrangedora viesse à público, mas os funcionários não quiseram acordo, decidiram verbalizar e, em momento oportuno, decidirão se manterão a greve ou aceitarão a promessa de receber parcelado até o dia 11.

O jornal de Assis Chateaubriand foi inaugurado junto com a capital federal, na década de 60. Além do Correio, o grupo Chateaubriand possui diversos jornais, emissoras de rádio e de televisão e empresas espalhadas pelo país.

Mas, atualmente, é conhecido mesmo pela “veia esquerdista” e o “editorial vermelho” que fazem constantes críticas ao Governo Bolsonaro.

Será que o Correio Braziliense era mais um dos jornais que recebiam verba dos Governos Federais anteriores e, hoje, não conseguem arcar com as despesas com o seu próprio rendimento?


Fonte: Jornal da Cidade Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055