martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

quarta-feira, 9 de dezembro de 2020

Após fala de Mourão, ministro Fábio Faria diz que 5G será tratado entre ele e Bolsonaro

Quarta, 09 de Dezembro de 2020


Foto: Sérgio Lima/Poder360 17.06.2020

O ministro Fábio Faria (Comunicações) afirmou nesta 3ª feira (8.dez.2020) que as tratativas para o leilão do 5G no Brasil serão feitas entre ele e o presidente Jair Bolsonaro. Disse ainda que nunca tratou do tema com o vice-presidente Hamilton Mourão.

“Esse é 1 tema que será tratado entre mim e o presidente da República até porque o vice-presidente Mourão está com o conselho da Amazônia, que demanda muita atenção e muito trabalho. Então, acho que ele não vai ter tempo também de tratar do tema do 5G que está sendo bem tratado aqui no ministério”, disse depois de reunião com representantes de empresas de telecomunicação.

A declaração foi feita em resposta a questionamentos de jornalistas sobre o posicionamento de general Mourão sobre o assunto. Na 2ª feira (7.dez), Mourão defendeu a participação da empresa chinesa Huawei no certame.

“Esse é 1 assunto que será tratado aqui no ministério das Comunicações. Até hoje eu nunca recebi 1 pedido de audiência ou de convidar para eu ir lá também falar com o vice-presidente sobre esse tema”, completou o ministro.

O ex-deputado federal falou depois de conversar com os presidentes da Tim, Pietro Labriola; da Oi, Rodrigo Abreu; da Vivo, Christian Gebara; da Claro, José Félix; da Algar, Jean Borges; e da Conexis, Marcos Ferrari.

Disse que a reunião foi “muito profícua” e serviu para tirar dúvidas sobre o leilão previsto para o 1º semestre de 2021. Afirmou ainda que o certame será feito pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) de forma “técnica”.

IMPASSE INTERNACIONAL

A participação da Huawei na implantação de redes de 5G pelo mundo tem sido alvo de críticas e restrições encampadas, principalmente, pelo governo norte-americano.

O site do programa da gestão de Donald Trump para proteção de dados, Rede Limpa (Clean Network, em inglês), chama a empresa de “1 braço da vigilância o Partido Comunista Chinês”. A China, por sua vez, diz que a iniciativa é “discriminatória”.

No Brasil, um dos filhos do presidente da República, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), causou um incidente diplomático com o país asiático ao escrever o seguinte no Twitter:

“O governo @JairBolsonaro declarou apoio à aliança Clean Network, lançada pelo Governo@realDonaldTrump, criando uma aliança global para um 5G seguro, sem espionagem da China”.

A embaixada chinesa, por sua vez, classificou o ataque como inaceitável e afirmou que poderá esse tipo de fala pode ter “consequências negativas” para a relação dos 2 países.

Poder 360

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055