martins em pauta

quarta-feira, 20 de maio de 2020

E se Doria resolve seguir a linha do Dr. Norman Swan de que a transmissão do vírus pode acontecer através dos gases intestinais

Quarta, 20 de Maio de 2020

João Doria


Ontem, conversei com duas pessoas completamente aleatórias, com visões políticas bastante diferentes da minha.

Com uma delas, esquerdista por companhias, falei sobre o porquê da minha defesa sobre a inclusão da Hidroxicloroquina no protocolo do SUS e, ao longo da conversa, descobri que ela nem sabia do que se tratava o remédio. Achava que era uma medicação recém descoberta e que causava efeitos colaterais inclusive alucinógenos.

Com a outra, que se denomina "apolítica", estava falando sobre os efeitos da quarentena na economia e, no final, ouvi que ela tinha "perdido as esperanças de que, um dia, viveríamos em um país justo".

Nos dois casos, a constatação é a mesma: Nosso principal inimigo não é a esquerda; é a falta de informação. A esquerda se prolifera onde existe ignorância, como mofo na umidade.

A crise atual, causada pela "pandemia", é um exemplo perfeito disso. O sistema consegue manipular informações e causar pânico em quem não busca conhecimento além da grande mídia. E estes são a maioria da população. Com o pânico instalado, o povo passa a aceitar toda e qualquer arbitrariedade, em nome do "bem comum".

Há poucos dias, publiquei um texto onde me indignava com a obrigatoriedade do uso de máscaras. Fui rechaçado inclusive por pessoas da própria "direita", dizendo que a máscara é um equipamento para a segurança de terceiros. Logo depois, a OMS atualizou o protocolo sobre o uso dos EPIs, onde fala sobre o risco de auto-contaminação, de falsa sensação de segurança e de dificuldades respiratórias. Enfatiza que máscaras cirúrgicas e respiradores N95 devem ser priorizados aos profissionais de saúde e demais pessoas da linha de frente, bem como que as máscaras caseiras são ineficientes para a contenção do vírus.

Estamos sendo usados como cobaias em experimentos totalitários e a maioria não se dá conta. Se algum governador se apegar à linha do Dr. Norman Swan, que defende que a transmissão do Covid pode acontecer através dos gases intestinais, e decretar a obrigatoriedade do uso de um tampão anal em locais públicos, vai ter muita gente saindo de casa com uma rolha na bunda, aceitando ter que abaixar as calças para a "verificação das autoridades" e, ainda, se achando um cidadão modelo, por estar ajudando a "proteger o próximo".

Constantemente, a direita é taxada como intolerante, fascista e todos os demais adjetivos para denominar um regime autoritário.

Pergunto, então: Quando foi que algum direitista quis cercear direitos básicos do cidadão? Como uma ideologia que defende, acima de tudo, as liberdades individuais, pode ser autoritária?

Em contrapartida, quantas medidas já vimos, por parte da esquerda, tentando calar as vozes dissonantes? Não conseguiram com o Marco Civil da Internet, mas não desistem.

Tabata Amaral e Felipe Rigone, por exemplo, já deram entrada no PL 1429, que visa "regulamentar" as informações da Redes Sociais (incluindo Whatsapp), com o belo discurso de "fortalecimento da democracia através do combate às informações falsas".


Querem nos silenciar, mas é pelo nosso bem. Da mesma forma que nos desarmaram para nos proteger de nós mesmos; fecharam os comércios para a nossa segurança; nos proibiram de sair às ruas pelo nosso bem estar; algemaram mulheres sozinhas, manifestantes e epiléticos porque se importam com o "bem comum".

Enquanto nos mantivermos de braços cruzados, aceitando as verdades que nos impõe e aguardando o surgimento de um "salvador", os canalhas continuarão fazendo a festa às nossas custas, tirando-nos cada vez mais direitos, restringindo-nos cada vez mais a liberdade, enquanto agradecemos a benevolência do "papai Estado", que tanto cuida de nós.
LAVEM AS MÃOS E ABRAM OS OLHOS!
"Ser reacionário é ser vivo. Só um cadáver não reage aos vermes que o corroem." (BERNANOS, George)

Felipe Fiamenghi

O Brasil não é para amadores.
Fonte: Jornal da Cidade Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055