martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

domingo, 28 de agosto de 2022

A Globo e a construção de uma identidade artificial

 Domingo, 28 de Agosto de 2022

Três fatores impulsionam e aceleram essa mudança brutal  que levam a um estado de colapso, de ruína acompanhada de decadência e degradação.

O primeiro é o advento da disrupção digital e a explosão das mídias sociais como fenômeno de geração de conteúdo e fonte primária de informações disponíveis a toda sociedade.

O segundo a pulverização e divisão dos negócios entre muitos herdeiros e o despreparo dos sucessores de Roberto Marinho para lidar e planejar taticamente a estratégia da empresa para este novo cenário.

E o terceiro e não menos importante, foi a ruptura do duto de abastecimento financeiro que a Globo tinha com o Governo Federal e empresas públicas rompido drasticamente pela gestão do Presidente Bolsonaro.

Cada uma dessas variáveis pode ser analisada de forma bem ampla.

Contudo, a mais contundente delas é a terceira. Ou seja: o fim da mamata do dinheiro fácil.

O socorro de caixa rápido para o giro diário secou!

É isso que teve influência direta na linha editorial dos veículos da emissora.

A grana vinda na moleza representava um significativo percentual nos resultados econômicos para a família e seus bandos de chupins.

Agora são muitas galinhas para poucos ovos. Ou muitos bezerros gulosos para quase nenhuma teta.

E para a Globo o mais fácil é tentar reverter o quadro de curto prazo, ao invés do trabalhoso processo de reorganização gerencial e estratégico dos negócios.

Então, escolheu a rota suicida do tudo ou nada.

Tudo é eleger Lula para que as coisas possam voltar a ser o que eram já que tentaram garrotear o Capitão que não se rendeu ao bombardeio absurdo de 40 meses.

Nada é a manutenção de Bolsonaro.

Através de personagens subordinados, servis, submissos que cumprem o papel de pau de arrasto, tais como Willian Bonner e Renata Vasconcellos, a Globo põe o bloco na rua e desce a lenha no Presidente com o objetivo de eleger Lula.

Erram feio. Não se ligaram que perderam a relevância, a dimensão, a autoridade e já não são mais úteis.

O fervor impulsivo em busca do retorno da receita fácil, esbarra numa parede de resistência da base social atenta e participativa que acredita no Chefe de Estado e quer sua reeleição.

E esse círculo de derrotas da Globo vai chegar ao ponto do desespero e do medo, já que todos os que estão dentro do bonde desgovernado descendo a ladeira, são uma casta que vai perder os privilégios.

E essa é uma história que se repete no Brasil e no mundo, já que outros impérios de comunicação, com enredos mais ou menos parecidos, também derreteram.

É só lembrar dos Diários Associados de Assis Chateaubriand Bandeira de Melo, do Jornal do Brasil, do Jornal do Comércio, Gazeta Mercantil, das Redes Tupy e Manchete, entre muitas outras.

A subserviência servil dos âncoras e comentaristas subordinados agindo como lacaios se torna compreensível.

É gente acostumada a pensar que ainda tem alguma importância, quando estão fazendo papel de idiotas.

 O mesmo enredo é seguido pelo chamado "consórcio de mídia".

Na verdade esse grupo forma uma ilha que se apega numa miragem e hoje navega desgovernada tentando nos fazer crer nas suas ilusões e fantasias.

É a construção de uma identidade artificial e de uma realidade alterada, de ficção, motivada pelo desespero.

Não vai sobrar pedra sobre pedra, já que não há mal que dure sempre, nem teta que não seque!

Lá vem a Globo descendo o morro da vó Salvelina...

Foto de Luiz Carlos Nemetz

Luiz Carlos Nemetz

Editorialista do Jornal da Cidade Online. Advogado membro do Conselho Gestor da Nemetz, Kuhnen, Dalmarco & Pamplona Novaes, professor, autor de obras na área do direito e literárias e conferencista. @LCNemetz


Fonte: Jornal da Cidade Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055