martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

terça-feira, 30 de agosto de 2022

A importância de nossas eleições para o mundo (ouça o podcast)

Terça, 30 de Agosto de 2022

Segundo o Político e Escritor Benjamin Disraeli (1804 – 1881), ex-primeiro-Ministro inglês, “Existem Três espécies de Mentiras: 

Mentiras; Mentiras Deslavadas e...Estatísticas”

Este artigo é o segundo de 5 até as próximas eleições (leia o anterior, se não leu) que vai tratar da importância de nossas eleições, não apenas para o Brasil, mas também para o Mundo.

Se desejar ouvir o podcast ele está acessível mediante link no final da página.

Dito isso, vamos em frente...

Com base na afirmação de BENJAMIM DISRAELI, a que servem as Estatísticas?

Em geral, no que podemos observar ao redor do Planeta e não apenas no Brasil (e vimos isso nas eleições Americanas), as estatísticas (e são muitas) podem servir para:

Corroborar e colaborar com os interesses de quem as contrata;
Produzir o chamado “efeito manada”, segundo a “ideia” de que os eleitores indecisos “tendem” a votar nos “líderes” das pesquisas (e isso tem ocorrido na América Latina, menos no Brasil: acho que, por aqui, estamos mais maduros);
Criar uma certa “desilusão” nas pessoas para que estas sejam incitadas a abster-se de votar ou votar nulo ou em branco quando as pesquisas dão vantagem a um candidato indesejável ao eleitor ou quando eleitores, influenciados por pesquisas são levadas e desiludir-se com a própria política;
Tentar “Legitimar” uma eventual fraude, algo que vimos acontecer em várias partes do mundo, como foi o caso dos graves indícios de fraude que vimos nas últimas eleições Americanas, onde o Presidente eleito acreditem, foi o mais popular da história, mesmo que isso jamais fosse evidenciado nas RUAS ou na presença de público em seus comícios, mas que sempre aparecia como líder nas pesquisas, algo bem parecido ao que vemos no Brasil.
E é claro, quando se apresentam mais adequadas às leituras coerentes com fatos do ambiente, podem servir para orientar o planejamento e as ações de pessoas e empresas, com base nos indicadores projetados dos candidatos e seus programas.

Como ferramenta, podemos dizer que as estatísticas seriam parte do processo informacional como falei, mas não é o que vemos no Brasil onde o grau de assertividade ou discrepância entre pesquisas, parece “desmentir totalmente a realidade dos fatos”, daquilo que vemos através de nossa simples observação cotidiana em que incontáveis fatores não as corroboram e geram um clima de suspeição, fortalecidos por antecedentes de erros grotescos nas eleições de 2018.

Mas não se iludam: as pesquisas são apenas uma pequenina ponta de um iceberg monumental que esconde um aparato gigantesco montado para dominar politicamente e economicamente o Brasil, como parte de um projeto maior de poder e controle cada vez mais global.

Pessoalmente não me guio por nenhuma pesquisa, mesmo que entenda que quando bem-feitas e fidedignas possam representar uma ferramenta útil. Vale frisar que para a velha mídia que se assumiu militante de esquerda, mesmo que existem vários institutos (e até o mês passado já tínhamos pesquisas eleitorais sendo realizadas por cerca de 13 Institutos) tem como estratégia divulgar aquelas pesquisas que apresentam resultados “favoráveis à esquerda”, me refiro a Institutos como DATAFOLHA E IPEC (que é o IBOPE de roupa nova) dentre outros que, muitas vezes, a própria mídia ou grupos de interesses contratam. 

Certamente você não verá a “grande” velha mídia destacar resultados de Institutos como 6Sigma, Modalmais/Futura, Brasmarket... apenas para sitar 3 Institutos respeitáveis onde os resultados são diametralmente opostos aos que a mídia busca enfatizar naquelas que divulgam sistematicamente, como um “cavalo de batalha”, obviamente empenhadas em manipular e conduzir a opinião pública.

Fazendo uma comparação simples entre pesquisas para Presidência entre  DATAFOLHA (18/08) onde Lula apresenta 47% das intenções de votos contra 32% de Bolsonaro e BRASMARKET (24/08) onde Lula apresenta 32% e Bolsonaro 41% vemos uma disparidade de 24% pontos percentuais o que seria tecnicamente IMPOSSÍVEL. Por outro lado, o que vemos nas Ruas corroboraria qual dos dois Institutos? É obvio que o segundo jamais será publicado pela grande mídia militante de esquerda, não é?

A VERDADE DAS RUAS E DAS REDES

Algum de vocês, sinceramente acredita em pesquisas que contrariam frontalmente a Popularidade dos principais candidatos no Brasil, vista das Ruas?

Ou que seja possível acreditar que o Biden, com base na sua votação, represente o mais popular presidente da História Americana?

Sem dúvida é uma estratégia “manjada”, mas é global...o Brasil é apenas a “bola da vez” e representa a mais importante fronteira para o domínio da “esquerda Socialista” no Continente  (onde socialismo e Comunismo são a mesma coisa)  onde 8 de 12 países já são dominados por regimes socialistas e alguns, recentemente.

Aliás, isso faz parte de um plano que a esquerda tem chamado de “integração da América Latina” e sim, estamos falando de uma integração sem dúvida: do Totalitarismo; da corrupção e do crime organizado a serviço de interesses globais, algo que como vemos não está dando muito certo, já que onde a esquerda entra vemos uma devastação das economias e o empobrecimento da População. Isso representa uma “Bomba Relógio” em curso que potencialmente pode “incendiar” o Continente.

Em última análise, estamos falamos em soberania e, nesse aspecto, o Brasil se afigura como a JOIA DA COROA da Estratégia Socialista (local, Continental e Global) e por isso se encontra sob ataques ferozes do Establishment que foi profundamente afetado em seus interesses com a eleição de Bolsonaro. Desde então, a “cruzada” para destituir Bolsonaro, só não foi levada a cabo por dois fatores: pelo apoio militar que o Presidente evidencia e pelo monumental apoio popular, que só faz crescer e que vai se espalhar pelo planeta, como veremos: Bolsonaro se tornou um Fenômeno Global de Popularidade e é sinônimo da Luta e Resistência do Conservadorismo contra o Socialismo.

Neste exato momento, a esquerda Brasileira e Global, junto com a mídia nacional e  internacional, trabalham incansavelmente para “desconstruir a imagem de Bolsonaro e do Brasil”: a ideia é mesmo manipular os desatentos ao redor do planeta e isso tem método e objetivos claros, mas o jogo está longe de acabar: parece que o PLANO A da esquerda não será tão fácil como imaginavam ou como o foi nos EUA ou outros Países da A. Latina.

Mais uma vez: por detrás disso temos do Metacapital globalista à “nova rota da seda” promovida pela China, que recomendo pesquisar ou ler em alguns de meus artigos... e não é difícil ligar os pontos e entender essa estratégia que não é nada nova onde os atores dessa estratégia são os mesmos de um Governo Global distribuído em “Filiais Controladas” ao redor do mundo. 

Mas voltando às estatísticas, já que representam um fator importante nas próximas eleições de Outubro...

Alguns desses institutos e a mídia militante, de mãos dadas, tem sido usadas em todo o Planeta e no Brasil não é diferente, para “alavancar” os partidos de esquerda e seus interesses. A eles, associam-se BIG TECHS, Judiciário, Cultura e outras instâncias que se configuram, cada dia mais, como grupos de esquerda, algo nada aleatório.

Tratamos aqui de um Plano em curso no Planeta, mediante um aparelhamento que se produziu, na maioria dos lugares, ao longo de décadas e se intensificou consideravelmente a partir dos anos 80 e que no Brasil se apresentou na constituição de 1988 onde o Establishment se feria representar, como certa vez afirmou José Sarney. Me refiro a uma constituição que tornou o País ingovernável e fortaleceu um ambiente onde a coalizões foram o estopim para na monumental CORRUPÇÃO que se instalou no País.

Na  América Latina (integrantes do chamado “Foro de São Paulo”, organização Internacional de Esquerda fundada por Lula em 1990), a dominação DOS PARTIDOS DE ESQUERDA SOLIALISTA, sempre movida pela busca de poder e controle (falamos de dinheiro e poder e não de ideologias) associa-se aos GRUPOS DE INTERESSE que os financiam para acessar, indiretamente o controle. 

Neste momento, esse movimento que se alastrou pelo continente, por ignorância ou pela desilusão, já que a abstenção tem sido forte aliada do movimento, foi responsável pela “tomada do poder” da Esquerda na Argentina; na Bolívia;  no Chile; na Colômbia; na Venezuela; no Peru; no Suriname e na Guiana, restando o Equador; o Paraguai, o Uruguai e o BRASIL a serem dobrados pelo “Sistema”: como disse o Zé Dirceu, “tomando o poder...que é diferente de vencer as eleições”... E nesse caso, uma revolução sem armas, mas com as “canetas” e o aparelhamento que detém o poder, entranhado no próprio Governo e na Política em Geral que só pode ser modificado a longo prazo, mas que começa por eleições.

 Não me parece que esse COMPLÔ DESCOMUNAL para retomada do GOVERNO NO BRASIL, agora com vistas a consolidar um movimento TOTALITÁRIO de GLOBALIZAÇÃO, seja algo tão simples como o tem sido nos países vizinhos, e sobre isso farei uma análise mais profunda no próximo artigo.

2018 COMO O EMBRIÃO DA RESISTÊNCIA NO BRASIL

Mesmo com uma abstenção superior a 21% (além de algo em torno dos 10% de Brancos e Nulos), fato que não deve se repetir em 2022, por várias razões sobre as quais falarei mais, vimos o movimento CONSERVADOR ganhar corpo no BRASIL: algo que também ocorre em outros países ao redor do mundo só que no BRASIL foi algo inusitado e surpreendente, para quem não lê a história e só enxerga o que se apresenta na superfície.

Se por um lado as Redes Sociais (Tias e Tios do Zap) e a “lava Jato” foram um fenômeno que não se repetirá da mesma forma que se apresentou em 2018 temos,  mesmo que as principais Redes ( BIG TECHS)  tenham se posicionado como partidos de Esquerda (no Brasil e no Mundo), não conseguiram conter uma verdadeira onda Conservadora que se alastrou pelo nosso país a partir do período pré-eleitoral de 2018 como vimos.

E o que eu quero dizer?

Que a partir da “Derrocada das Ideologias de Esquerda”, que tem como referência as “pautas socialistas”, principalmente após a queda do Muro de Berlim e a “quebra” da União Soviética, surgiram novas formas da esquerda se organizar para manter ou retomar o poder. Algo como Social-Democracia e Esquerda “Progressista”, por exemplo, onde a ideia central continua a ser o predomínio do Estado sobre os Indivíduos, concentrando o PODER E A RIQUEZA.

Mesmo que isso tenha dado certo a partir do Movimento das “Diretas” e até a destituição da Dilma, por uma série de razões geopolíticas e fenômenos sociais, não conseguiu sustentar sua hegemonia no Brasil, mesmo que o ESTABLISHIMENT tenha se mobilizado de forma FURIOSA e não meça esforços para DESTITUIR a Direita Conservadora de viés Liberal no Brasil.

Quando um Governo de Direita Conservadora com viés Liberal assume o Executivo com a “péssima ideia” de Gerir Tecnicamente o ESTADO, sem lotear ministérios e buscando diminuir o tamanho do Governo, tirando-o  das costas da Economia e da Sociedade e, com isso, extirpando a corrupção generalizada que vimos, é claro que o ESTABLISHMENT se vê “ferido de Morte” nos seus interesses. 

Um Estado que assume o papel de facilitador da estrutura e das condições que permitem um crescimento sustentável e capas de atrair investimentos o que é diametralmente oposto ao que a ESQUERDA faz. Isso é visto como uma inadmissível ameaça pela esquerda acostumada a sugar e distribuir recursos para seus PARCEIROS, escravizando e empobrecendo os países onde se instalam e aparelham todas as instituições.

Só para entender:

Porque o ESTABLISHIMENT elege a ESQUERDA para REPRESENTA-LOS NO PODER?

É Simples: 

Porque os “Presidentes” populistas de esquerda e seus partidos não são gestores e nem tem a intenção de gerir nada, ou seja, são vagabundos parasitas em busca de luxo, poder e riqueza material. Alguns até acreditam ser “deuses” com o poder de vida e de morte sobre as pessoas e nesse caso, me refiro à psicopatia dos perfis que caracterizam a maioria desses ditadores.

 Servir ao “script” do Establishment que sim, nos bastidores assumem verdadeiramente a gestão do País, representa a vida fácil que adquirem ao assumir o poder e me refiro ao poder visível e não ao poder real.  

Em outras palavras, a grande maioria dos políticos e partidos de esquerda se apresenta como representante de interesses outros que financiam suas campanhas para manter o controle da economia a partir do controle dos mandatários associados (isso envolve Presidência e suas bases nas casas Legislativas). Um poder invisível que é exercido nas profundezas, mas que hoje em razão das Redes, perdeu a invisibilidade e se apresenta a cada dia mais, à luz do dia. E mesmo que as REDES venham se empenhando em censurar e camuflar, parece que já é tarde demais, depois do acidente produzido por elas em 2018.

Como dizia o Poeta Drummond: “TINHA UMA PEDRA NO CAMINHO”.

Tem uma pedra no caminho é não é apenas BOLSONARO, que se tornou sim, um importante LÍDER GLOBAL e que tem o respaldo IMPRESSIONANTE E CRESCENTE de uma POPULAÇÃO cada dia mais GLOBAL. Um Movimento Conservador Global, já visível no Horizonte, tem como  epicentro o BRASIL E OS BRASILEIRO que já sacaram o que é a ESQUERDA e o que ela pretende e representa para a Humanidade e não apenas para o Brasil ou A. Latina, mas é o Brasil que se encontra no Front dessa Batalha Vital de uma guerra Global.

A NOVA ORDEM ECONÔMICA MUNDIAL 

A Esquerda como falei, é desde sempre, PARASITA DO ESTADO, tem como único objetivo o controle e o poder, sendo que o controle é repassado ao Establishment, me refiro às Famílias Poderosas (dinastias); aos Monopólios; aos Oligopólios e às Facções Criminosas que são os verdadeiros PATRÕES. Nesse aspecto, se vemos os Movimentos Geopolíticos a partir da década de 60, não é difícil entender do porquê a LINHA IDEOLÓGICO SOCIALISTA DA ESQUERDA teve que ser reformulada face a um novo modelo de comunicação que foi influenciado principalmente pelo surgimento da Internet na década de 90. 

Foi assim que surgiram termos “fofinhos”, “politicamente correto” e isso não parou mais, dando início a uma nova era de “doutrinação” e manipulação social: mais do mesmo, agora numa nova linguagem. Esse é o berço sim, das NARRATIVAS DE ESQUERDA que muitos pensam haver surgido nos últimos anos, como podemos verificar nas distopias Admirável Mundo Novo (1931) e 1984 (1948) que citei no artigo anterior e que se somam ao Marxismo Cultural de Antônio Gramsci (1891 – 1937), Filosofo e fundador do Partido Comunista Italiano e que inspirou o Aparelhamento da Cultura e dos meios acadêmicos no Brasil à partir da década de 70, além da Ideologia de gênero, cujos pilares foram estabelecidos pelo “sexólogo” John W. Money, também na década de 70. 

Como afirmei: nada é aleatório ou imediato e sim, um processo em que múltiplos fatores, como parte de uma Conspiração que vai alicerçando um conjunto de “ideologias” capazes de mudar a realidade e os valores de uma sociedade.  

As REDES (Big Techs) apenas aceleraram os processos, para o bem e para o mal, ou seja, produziram o veneno e também o antídoto que permite combater a ação peçonhenta da Esquerda e seus interesses nefastos.

É nesse contexto que surgem as ELEIÇÕES BRASILEIRAS onde o ESTABLISHMENT tenta desesperadamente destituir BOLSONARO, entenda-se o CONSERVADORISMO LIBERAL e seus seguidores, que ameaçam a SUBVERSÃO, entre aspas mesmo, da base política que dá sustentação ao APARELHAMENTO DE ESQUERDA no BRASIL.

Enfim, as eleições Brasileiras, representam o risco que as FORÇAS GLOBALISTAS enxergam como o mais importante entrave que representa o BRASIL, mas que pode se alastrar, como uma onda CONSERVADORA DESCOMUNAL ao redor do PLANETA, algo já visível no horizonte como falei: ALGO QUE PASSA A SER UMA TEMERIDADE para o SISTEMA.

CONTINUA...

Link para a versão PODCAST, CLIQUE AQUI!

Foto de JMC Sanchez

JMC Sanchez

Articulista, palestrante, fotografo e empresário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055