martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

segunda-feira, 21 de junho de 2021

Senadora Kátia Abreu abre fogo e “exige” demissão de Salles, mas esconde interesses inconfessáveis

Segunda, 21 de Junho de 2021

Em política brasileira, temos visto que, aqueles que mais apontam os dedos para criticar os adversários são sempre os primeiros a cometer os crimes que denunciam. Assim é com a senadora Kátia Abreu (PP-AL) que, em recente pronunciamento no Senado Federal, cobrou dos Congressistas a demissão imediata do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, medidas duras por parte da Casa para o que chamou de uma “bússola doida nos levando para o caos”.

“O que o Senado Federal vai fazer? Vamos ficar esperando de braços cruzados se o presidente Jair Bolsonaro vai demiti-lo ou não? Sei que é prerrogativa dele, mas não podemos mais aceitar”, ameaçou a senadora acusada de tráfico de influência pelo ex-Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, durante a defesa da compra do 5G, tecnologia chinesa, pelo Governo Federal
"Ministro, se o senhor fizer um gesto em relação ao 5G, será o rei do Senado", denunciou Araújo. 
Kátia Abreu continua perseguindo a saída de Ricardo Salles do Ministério do Meio Ambiente e disse que o procedimento normal seria que ele fosse afastado do cargo, enquanto as investigações sobre susposto tráfico de madeira não terminam.
“O ministro foi acusado de tráfico de madeira, de proteger empresas, o sigilo telefônico e bancário foi quebrado e ele está com o telefone entregue à PF”, alegou.

E acrescentou que a temática do meio ambiente é uma das mais sensíveis para o Brasil no exterior.

“Por muito menos, nós tiramos, ajudamos e apoiamos a retirada de um chanceler (Ernesto Araújo) que estava afundando o Brasil em cima de um iceberg. Nós estamos com outro ministro que também é uma bússola doida, igual uma biruta de aeroporto, nos levando para o caos”, acusou.

O discurso da ex-Ministra da Agricultura do Governo Dilma Roussef (PT) seria muito convincente, se não fosse contraditório. É que Kátia, em 2009, foi eleita “Miss Desmatadora” pelo Greenpeace, cujo legado, inclusive, tem passado de mãe para filho. O senador Irajá Silvestre (PSD-TO) que é o filho mais velho da senadora, foi o campeão de desmatamento na Câmara dos Deputados, em 2018, quando era deputado.

O Ruralômetro cruzou dados com base em informações do Ibama e comprovou que, dos 513 deputados federais eleitos em 2014, cinco foram autuados e multados por infrações ambientais. Irajá foi o “campeão” do ranking, destruindo a maior área.

Irajá, já tinha sido autuado pelo Ibama, em 2010, por desmatar vegetação de preservação permanente, sem permissão ou licença ambiental, em área equivalente a 75 campos de futebol. O crime ambiental aconteceu na Fazenda Aliança, que herdou da mãe, e que se dedica ao cultivo de eucalipto, no interior de Tocantins.

A família de Kátia Abreu tem um interesse “especial” no Ministério do Meio Ambiente, já que, para consolidar as plantações de eucalipto que produzem, é necessário devastar grandes áreas de vegetação. Por isso, o filho mais velho da senadora, assim que tomou posse como deputado, em 2015, elaborou projeto que atendia explicitamente aos seus problemas como empresário rural que pratica crimes ambientais. O Projeto de Lei 2163/2011, de sua autoria, propõe o fim dos estudos de impacto e do licenciamento ambiental para empreendimentos agropecuários, florestais ou relacionados ao reflorestamento.

Agora, sim, é possível entender por que motivo Kátia Abreu deseja tanto ver Ricardo Salles fora do Ministério.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055