martins em pauta

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Médicos esclarecem falsas informações de suposto sumiço de bebê em Maternidade de Mossoró-RN

Quarta,16 de Agosto de 2017



Os obstetras Luís Dalama e Manoel Nobre rebateram na manhã desta terça-feira, 15, as ilações e falsas informações veiculadas nas redes sociais e também em “sites”, reportando suposto desaparecimento de um bebê durante o parto no Hospital Maternidade Almeida Castro.

“O que aconteceu foi seguinte. Ultrassonografia é ume exame complementar. Ela tem a possibilidade de não está correspondendo a realidade. Ela chegou aqui na noite de quinta-feira, 10, com dores, dizendo que tinha uma gravidez gemelar”, diz Manoel Nobre.

Manoel Nobre, que é capitão da PM, continuou: “Foi feita uma ultrassonografia aqui no hospital e ficou constatado que só tinha um feto e o feto estava quase entrando em sofrimento. Foi preciso fazer uma cesariana de urgência”, acrescenta o médico obstetra.

“O doutor Luís Dalama foi quem fez a ultrassonografia e deu o diagnóstico com a gravidez único. E eu fiz o procedimento cirúrgico. Eu que fiz a cesariana desta mulher juntamente com o esposo dela, para ser testemunha do ato cirúrgico”, informa Manoel Nobre.

Foi mostrado ao mesmo que só tinha um feto dentro da cavidade uterina. Foi mostrada a ele, a ela, e a todos os profissionais de saúde que estavam na sala de cirurgia”, destaca o médico obstetra Manoel Nobre, ao lado do colega obstetra Luís Dalama.

“Antes da cirurgia foi conversado com a mesma, com a paciente, e conversado com o esposo dela. Eu e Luís Dalama orientamos que ele participasse do ato cirúrgico dentro da sala de cirurgia. Se tivesse mais alguém da família certamente eu teria colocado. Exatamente para tirar este tipo de dúvida”, explica o médico com mais de 25 anos de experiência.

“Isto acontece muito. Chega paciente as vezes do interior aqui, dizendo que tem uma gravidez única e é dois e vice e versa. E sempre a gente bota familiares dentro da sala de cirurgia como testemunha. Acho que é a maneira mais fácil de ser resolvida”, diz Manoel Nobre, que é o delegado do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte.

“Eu acho que esta paciente deve ter tido esta gravidez, com a expectativa de ter gemelar, deve ter, de certa forma, achado que teve dois. E na realidade só tinha um feto. O hospital se responsabiliza por esta situação. E fui eu que fiz o procedimento e digo a vocês com toda certeza que só tinha um feto dentro do útero da mulher”, conclui Manoel Nobre.

Sobre a prisão do marido da paciente, o médico explicou que aconteceu exatamente porque ele dizia que havia assistido o parto e testemunhou o nascimento de uma menina e a mulher gritava que se tratava de duas meninas. “Eles discutiram com relação a isto”, disse.

O jornalista Vilcemar Alves falou sobre as ilações veiculadas nas redes sociais que coloca em cheque os profissionais e a maternidade. O médico obstetra Luís Dalama disse que é preciso lembrar que é aqui o fim de toda gestação. É aqui que vamos descobrir estas situações, de erros, de um mal pre-natal, de condução equivocada no pré-natal, entendeu?”, diz.

“Agora, o que aconteceu com esta paciente. A gente lamente muito, a gente pensa nesta situação psicológica dela. Mas infelizmente a gente tem que dizer para ela que havia apenas um feto. Foi um equívoco que aconteceu infelizmente e não foi aqui que aconteceu. Aqui foi a solução”, destaca o médico Luiz Dalama.

Texto Cezar Alves/Imagens Fim da Linha

Fonte: Fim da Linha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055
Ocorreu um erro neste gadget