martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

sexta-feira, 30 de julho de 2021

Um programa de domingo (veja o vídeo)

 Sexta, 30 de Julho de 2021

“Numa época de mentiras universais, dizer a verdade é um ato revolucionário”. George Orwell.

O voto é secreto, mas apuração dos votos tem que ser pública.

Por que meia-dúzia de juízes, só e somente eles, podem contar os votos?

A contagem dos votos deve ser pública e qualquer cidadão tem o direito de examinar se o processo foi legal, se foi honesto.

Uma eleição será limpa e honesta se for bem fiscalizada. Quanto mais olhos para averiguar a contagem de votos, melhor. Ninguém precisa, para isso, de noções específicas de informática. Tudo deve ser acessível ao cidadão que votou e quer que seu voto seja respeitado.

Mas com as atuais urnas eletrônicas acontece isso: o eleitor aperta um botão e a urna eletrônica, horas mais tarde, expele um resultado.

O cidadão comum, neste caso, “não tem meios para apurar possíveis erros de programação ou manipulações propositais efetuadas nas urnas”.

Então aparece o Supremo Barroso e determina que todos nós brasileiros creiamos nele, acreditemos em suas urnas de primeira geração, ultrapassadas, que não permitem recontagem e são rapidíssimas para contar votos.

Quer nos fazer crer que rapidez na apuração significa ausência de fraudes na eleição.

Ele sabe que está transgredindo a lei, pois a apuração é um fato público. A apuração deve ser à vista de todos. E a recontagem, se qualquer dos candidatos exigir, deve ser feita, voto a voto, secção a secção. Eis um exemplo:

Recentemente os eleitores peruanos votaram para escolher o presidente de seu país. A candidata que tirou em segundo lugar acreditou que foi roubada. Os votos foram criteriosamente recontados. Durou um mês a recontagem. Ninguém morreu. O país não parou. Ao contrário, com a recontagem, todos se acalmaram e esperaram, pacientemente, o resultado. Ganhou o candidato de esquerda. Pronto! O país todo aceitou o vencedor. Assim deve ser uma eleição. Contagem e recontagem pública de votos para que o país permaneça unido.

Eis o chamado das Deputadas Bia Kics e Carla Zambelli:

“Dia 1° de agosto, o Brasil inteiro estará nas ruas por eleições transparentes, pela aprovação do voto impresso auditável. Estarei na Av Paulista às 14h. ESPERAMOS VOCÊS!” #Dia01VaiSerGIGANTE

Zezé di Camargo também convoca:

“Dia 1º de agosto vai ter uma manifestação no Brasil inteiro, para o povo mostrar, principalmente para o Congresso, que o povo quer o voto auditável, sim. Eles ficam confundindo a cabeça de vocês, falando que é um retrocesso, que vai voltar lá atrás, não vai voltar nada”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055