martins em pauta

sábado, 2 de dezembro de 2017

Casais felizes pra valer não ostentam amor nas redes sociais; outros 7 pontos também fazem a diferença

Sábado, 02 de Dezembro de 2017


Sabe aquelas pessoas que você olha e pensa “um casalzão desses, bicho”, com um misto de admiração e inveja? Atingir o mesmo grau de intimidade, cumplicidade e harmonia que eles não é uma tarefa difícil. Na verdade, o que esses casais mais prezam na vida é a descomplicação na hora de lidar com o relacionamento. Para terem um dia a dia mais leve, eles optam por não tomar várias atitudes. Veja alguns exemplos:

Não desrespeitam os espaços individuais um do outro

Em casais equilibrados, cada um tem seu momento de fazer suas coisas, se dedicar a um hobby, praticar o esporte que gosta, conversar com os amigos, etc. “Essa horinha da individualidade fortalece o par naquilo que ele mais gosta, mesmo que o outro não veja graça naquilo. As pessoas se escolhem para viver juntas, mesmo sendo muito diferentes uma da outra. É por isso mesmo que se escolhem, mas depois de um tempo acham complicado que o outro queira coisas diferentes. Casais felizes se respeitam como são e dão espaço um ao outro para que se desenvolvam como seres humanos”, explica a terapeuta de casais e de família Gisela Castanho, de São Paulo (SP).

Não precisam que um faça o outro feliz

Segundo Luciano Passianotto, psicoterapeuta e terapeuta de casais, de São Paulo (SP), casais felizes entendem que a felicidade está nas suas experiências individuais, sejam elas num bom livro, tocar violão, surfar, curtir seu trabalho, visitar um lugar diferente, experimentar uma nova comida, etc. “E, além de aproveitarem seus prazeres, entendem que o outro tem os seus, mesmo que isso signifique a abdicação de algum tempo juntos”, diz o especialista.

Não passar tempo remoendo o passado e desenterrando assuntos já resolvidos

Casais saudáveis e bem resolvidos não trazem para o presente histórias de outras relações ou desejos que possam atrapalham o momento. Sentir ciúmes do passado ou ficar contando para o par detalhes de romances anteriores é uma bobagem muito grande. O relacionamento atual tem determinadas qualidades; o anterior, outras qualidades. O mesmo vale para os problemas e defeitos dos parceiros. Pessoas maduras emocionalmente entendem que o melhor a fazer é desfrutar da escolha que fizeram no momento presente.

Não lavam a roupa suja em público

Não é novidade para ninguém que todo casal se desentende de vez em quando, mas brigar na frente de outras pessoas gera constrangimento para ambas as partes. “E, no fim das contas, além do motivo real do conflito, os dois acabam discutindo ainda mais por causa da vergonha pela exposição gratuita, gerando novas mágoas”, comenta a psicóloga Ellen Moraes Senra, especialista em terapia cognitivo-comportamental, do Rio de Janeiro (RJ). O melhor a fazer, segundo a “cartilha” dos casais felizes, é aguardar uma ocasião em que estejam a sós – e, de preferência, calmos – para acertar suas diferenças e chegarem a um acordo (porque fazer as pazes acintosamente em público só é bonitinho em comédias românticas, e olhe lá).

Não separam o dinheiro

Não existe o “seu dinheiro” e o “meu dinheiro”, e sim “o nosso dinheiro”. A despesa passa a ser conjunta, assim como os ganhos, pois os dois administram a casa juntos e dividem as contas de modo igualitário. E, como via de regra os casais felizes também sempre se vêem às voltas com objetivos em comum, provavelmente contam com um orçamento que permite economizar para tirar seus sonhos do papel.

Não desconfiam um do outro nem provocam ciúmes

“Se há maturidade emocional, o casal se sente seguro e vive com harmonia, alegria e sinceridade”, fala Sandra Samaritano, psicóloga e terapeuta de casais, de São Paulo (SP). “Já aquele casal que vive cobrando e se magoando, em que um dos dois ou ambos estão sempre ansiosos por causa de ciúmes, desgasta a relação em raivas e vinganças. Ao longo do tempo, as pessoas vão se distanciando ou adoecendo por ansiedade e angústia. A infelicidade de um provoca a infelicidade do outro e um círculo vicioso se instala, onde todos saem perdendo”, pontua Gisela.

Não boicotam os planos um do outro

Casais que vivem bem entendem as aspirações e os desejos alheios, compreendem seus planos e se dedicam, ajudando, quando possível, na conquista dos objetivos. “Os dois agem como se a realização de um seja uma concretização que vá gerar um progresso aproveitável a ambos e, portanto, ao relacionamento como um todo”, diz Luciano. Quando se apoia o sonho do outro, as relações são mais saudáveis.

Não precisam ostentar seu amor em redes sociais

Overpost de viagens ou passeios românticos, assim como textões com declarações de amor, não são muito a cara dos casais felizes de verdade. É claro que nem todo par que ostenta sua relação no Facebook ou no Instagram vive uma rotina bem diferente longe das redes sociais. A questão é que os casais 100% realizados não têm tanta necessidade de se expor e prefere manter seus momentos gostosos, literalmente, a dois. “As pessoas, às vezes, fazem isso para obter status ou aprovação de um meio no qual desejam ser inseridas, mas isso não é nem um pouco saudável. Em muitos casos aquelas pessoas mal conversam, não tem olho no olho. Casais felizes são pessoas com menos likes e mais beijos, abraços e sorrisos reais. Há mais privacidade, intimidade, toques reais, carinhos e muito mais”, afirma Lívia Marques, psicóloga organizacional e clínica, com foco em terapia cognitiva-comportamental, do Rio de Janeiro (RJ).

UOL 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055
Ocorreu um erro neste gadget