martins em pauta

terça-feira, 21 de novembro de 2017

PGR pede que Geddel continue preso: 'Sucessividade de práticas delituosas’

Terça, 21 de Novembro de 2017 

Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil


A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu a manutenção da prisão do ex-ministro Geddel Vieira Lima. Na manifestação, feita em um recurso apresentado pela defesa do peemedebista, em que pede a revogação da prisão preventiva, o órgão aponta a “sucessividade de práticas delituosas” cometidas por ele. Ainda de acordo a peça, assinada pelo vice-procurador-geral Luciano Mariz Maia, a prisão de Geddel é necessária para preservar a ordem pública. A manifestação ainda contesta argumentos usados pela defesa do ex-ministro. “O fato de ter havido mais de um pedido de prisão preventiva, ao contrário de revelar verdadeira fixação contra o peticionário, só reforça que o agravante tem ousado desafiar a ordem pública sucessivamente, ainda nos dias atuais (segundo semestre de 2017), mediante a prática de crimes graves como obstrução de justiça e lavagem de dinheiro”, afirma Maia. Ainda de acordo com o vice-procurador-geral, Geddel tem demonstrado “propensão” a cometer crimes reiteradamente. “Portanto, se houve, em intervalo pouco superior a 02 (dois meses), mais de um pedido de prisão preventiva em face de GEDDEL, isso foi correspondente à sua demonstração in concreto de propensão à reiteração de prática criminosa, notadamente a correlacionada às investigações contra si ora em curso, jamais uma verdadeira fixação na persecução criminal em face dele”, sustenta. Geddel foi preso no dia 5 de setembro, após a apreensão de R$ 51 milhões em um apartamento em Salvador. O caso, inicialmente investigado na primeira instância, foi deslocado para o Supremo Tribunal Federal (STF) após o surgimento de indícios de participação do deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), irmão de Geddel, na prática do crime.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055
Ocorreu um erro neste gadget