martins em pauta

domingo, 14 de abril de 2019

A última e mais perigosa jogada de Gilmar Mendes

Domingo, 14 de Abril de 2019


O ministro Gilmar Mendes efetivamente acredita no seu poder de persuasão sobre os seus pares.

De fato, durante muitos anos Gilmar manteve sob seu controle o Supremo Tribunal Federal (STF). Nunca ninguém ousou enfrentá-lo.

Justiça seja feita, o primeiro a peitá-lo foi Joaquim Barbosa, que chegou a dizer que não temia os jagunços de Gilmar.

Tempos depois, inexplicavelmente e precocemente, Barbosa pediu aposentadoria e deixou o STF.

Porém, até pela notável impopularidade angariada, o todo poderoso, ao longo do tempo, vem experimentando um inevitável processo de enfraquecimento.

Presentemente, com inimigos por todos os lados, inclusive dentro do próprio tribunal, desmoralizado perante a opinião pública, Gilmar certamente percebeu que sua cabeça está na iminência de ser colocada a prêmio.

Diante disso, pressentiu que necessita de um fato novo para, talvez, serenar os ânimos, sair do foco.


Esse fato novo está bem claro. É soltar Lula e criar uma verdadeira balbúrdia nacional, esculhambando com o país e com as instituições.

Para tanto, o novo pedido de Habeas Corpus do meliante petista, que seria realizado no plenário virtual, com cada ministro votando de maneira isolada, a pedido de Gilmar será levado à sessão presencial da 2ª turma, formada pelo próprio Gilmar, Celso de Mello, Ricardo Lewandowski, Cármen Lúcia e Edson Fachin, o relator.

Gilmar Mendes acredita que presencialmente tem mais condições de persuadir os seus pares.

Não duvidem, ele vai trabalhar com todas as suas forças para soltar Lula, revertendo a condenação no caso do tríplex.

Caso isto aconteça estará estabelecido o caos.

É o que ele quer.

Otto Dantas

Articulista e Repórter
otto@jornaldacidadeonline.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055