martins em pauta

domingo, 24 de fevereiro de 2019

Opositores denunciam duas mortes perto da fronteira com o Brasil; feridos são tratados em Roraima

Domingo, 24 de Fevereiro de 2019

Apesar do clima pacífico do lado brasileiro da fronteira com a Venezuela, há relatos de que ao menos 2 venezuelanos morreram e 31 ficaram feridos em confrontos entre forças do regime de Nicolás Maduro e manifestantes favoráveis ao opositor Juan Guaidó na cidade de Santa Elena de Uairén neste sábado, 23.

As mortes teriam ocorrido durante intervenção da Guarda Nacional Bolivariana (GNB) contra um grupo de manifestantes na cidade que pedia a liberação da passagem dos caminhões para que a ajuda humanitária possa chegar ao país. O Parlamento venezuelano, único órgão controlado pela oposição, afirmou que no total há 4 mortos nos confrontos desde sexta-feira na região da fronteira entre Venezuela e Brasil.

“O que ocorre na fronteira com o Brasil não é uma repressão comum. O que ocorre em Santa Elena é um massacre contra o povo indígena, já contabilizamos 4 mortos e mais de 20 feridos de bala”, afirmou o deputador venezuelano opositor Juan Andrés Mejía. Ainda não há confirmação oficial sobre o número de mortos e feridos do lado venezuelano da fronteira.

A ONG de defesa dos direitos humanos Foro Penal, crítica ao governo Maduro, também afirmou que as ações na cidade deixaram mortos e feridos. “Os dois mortos são resultantes da repressão de militares durante distúrbios em Santa Elena de Uairén. Ambos morreram por impactos de bala, um deles na cabeça”, declarou Olnar Ortiz, ativista da ONG na região.

A agência Reuters informou que um relatório do hospital em Santa Elena de Uairén lido por um médico a um de seus repórteres descreve duas mortes e o atendimento a pelo menos uma dúzia de feridos.

No começo desta tarde, uma ambulância venezuelana passou duas vezes pela fronteira trazendo cinco feridos com arma de fogo para um hospital de Pacaraima. O estado de todos eles é grave, segundo a Secretaria Estadual de Saúde de Roraima, por isso serão tratados na capital do Estado, Boa Vista. O veículo já voltou para Venezuela e, segundo militares brasileiros, deve trazer mais feridos para o hospital brasileiro.

Carla Servita, médica venezuelana que mora em Santa Elena e participou dos traslados, afirmou que duas pessoas morreram neste sábado após confrontos na cidade venezuelana, onde comércios estão fechados e os soldados da GNB e do Exército patrulham as ruas. “(A situação) está horrível, todos os comércios estão fechados e a guarda (GNB) está na rua”, disse ao Estado.

Associated Press/Estadão Conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055