martins em pauta

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Os três cenários que aparecerão no Congresso com a votação do pacote anticrime de Moro

Quinta, 28 de Fevereiro de 2019

 Votação mostrará quem é quem no Congresso



Para entendermos melhor essa polêmica, é necessário esclarecermos dois pontos importantes:
- 1° Que CAIXA 2 JÁ É CRIME, porém é previsto no CÓDIGO ELEITORAL
- 2° Que um ministro não tem o poder de, sozinho, retirar um crime do código eleitoral e transformá-lo num crime mais grave do CÓDIGO PENAL.


SE MORO NÃO TEM ESSE PODER, QUEM TEM?

Os deputados! Eles são os nossos representantes no debate que decidirá se CAIXA 2 passará de CRIME ELEITORAL para um CRIME PREVISTO NO CÓDIGO PENAL.

Moro sempre deu declarações em que deixava claro que achava o crime de Caixa 2 tão grave quanto a corrupção, contudo, ao apresentar o PACOTE ANTICRIME o ministro SUGERE aos congressistas que alterem várias leis, enrijecendo suas penas, mas nesse caso específico do CAIXA 2 ele surpreendeu a todos apresentando um PROJETO PARALELO ao projeto principal, que deverá ser discutido ao mesmo tempo que o Pacote Anticrime.

Essa atitude fez parte da direita RECLAMAR e a esquerda COMEMORAR o fato dele ter "mudado de opinião".

O QUE SÉRGIO MORO PRETENDE AO DIVIDIR O PACOTE ANTICRIME E O PROJETO DE CRIMINALIZAÇÃO DO CAIXA 2?

Bom, as notícias diárias de denúncias contra parlamentares nos mostram que boa parte dos deputados eleitos já usufruíam do Caixa 2 na própria campanha e caberá a eles, decidirem os detalhes como:
- Caixa 2 é crime grave, ou é apenas um financiamento de campanha? (Cortarão na própria carne?).
- Se for considerado crime, até onde essa lei deverá retroagir? (Ou seja, muitos deles que votarão a favor da criminalização do Caixa 2, poderão ser denunciados por ter usado dessa artimanha para bancarem os custos de suas próprias candidaturas).

Isso irá escancarar a postura de cada congressista!

Vejam bem, se caixa 2 estivesse incluso no Pacote Anticrime, não saberíamos qual é a opinião de cada um deles sobre esse ponto em específico; eles poderiam votar contra todo o projeto por medo desse único parágrafo, mas alegariam outros pontos do texto para legitimarem seus votos.

Quer um exemplo claro disso?

A esquerda irá votar contra o Pacote e também contra a Criminalização do Caixa 2, não só por questões óbvias, como ter vários representantes eleitos já denunciados por esse crime, mas também, por ser OPOSIÇÃO do governo e esse projeto agrada ao governo.

Mas e a base aliada? E os "novos políticos"?

Como irão votar?

Essa atitude de Sérgio Moro irá forçar o comprometimento de cada parlamentar e veremos 3 cenários:
- A esquerda (que hoje crítica o ministro por ter "afrouxado" as regras contra a corrupção) possivelmente votará contra o projeto, porque a aprovação representará uma importante vitória do governo. A esquerda é quem irá "mudar de opinião", deixando claro que Moro deve ser rigoroso quanto a corrupção, mas #elesnão!
- O centrão terá que optar por ajudar a esquerda a enterrar essa lei, ou se irá ajudar o governo a enrijecer as penas, correndo o risco de serem também penalizados.
- Já a direita terá a chance de mostrar a que veio! Terão que cortar na própria carne e votar junto com Moro, ou, terão que arrumar uma boa justificativa para explicar a "mudança de opinião".

O que o governo espera é saber quem é quem na casa. Quem está de fato alinhado ao governo, ou apenas surfou a onda Bolsonaro.

O que a população pode esperar é o som das máscaras caindo...
Sérgio Moro deu o Xeque Mate!

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055