martins em pauta

terça-feira, 25 de dezembro de 2018

Corruptos acham seus crimes normais, mas comprometem 'a própria qualidade de nossa democracia', diz Gabriela Hardt

Terça, 25 de Dezembro de 2018


Em manifestação recente, a juíza responsável pela 13.ª Vara Federal do Paraná, Gabriela Hardt, revelou sua perplexidade com a frequência com que escândalos de corrupção alcançam a classe política e alertou que distribuição de propinas a dezenas de parlamentares compromete 'a própria qualidade de nossa democracia'

“Na assim denominada Operação Lava Jato, identificados elementos probatórios que apontam para um quadro de corrupção sistêmica, nos quais ajustes fraudulentos para obtenção de contratos públicos e o pagamento de propinas a agentes públicos, a agentes políticos e a partidos políticos, bem como o recebimento delas por estes, passaram a ser pagas como rotina e encaradas pelos participantes como a regra do jogo, algo natural e não anormal”, adverte Gabriela.

“Para o funcionamento do esquema criminoso, atuariam intermediadores de propinas, verdadeiros profissionais da lavagem de dinheiro”, anotou Gabriela Hardt. ao apontar um ponto sensível da Lava Jato, onde ocorreu grande volume de prisões decretadas durante todas as suas 57 etapas, desde março de 2014.

“Embora as prisões cautelares decretadas no âmbito da Operação Lava Jato recebam pontualmente críticas, o fato é que, se a corrupção é sistêmica e profunda, impõe-se a prisão preventiva para debelá-la, sob pena de agravamento progressivo do quadro criminoso.”

“Se os custos do enfrentamento hoje são grandes, certamente serão maiores no futuro”, adverte Gabriela. O país já paga, atualmente, um preço elevado, com várias autoridades públicas denunciadas ou investigadas em esquemas de corrupção, minando a confiança na regra da lei e na democracia’.

“Impor a prisão preventiva em um quadro de fraudes, corrupção, concussão e lavagem de dinheiro sistêmica é aplicação ortodoxa da lei processual penal.” A magistrada alertou para o fato "de que os desvios tenham sido utilizados para pagamento de propina a dezenas de parlamentares, comprometendo a própria qualidade de nossa democracia’.

Se por um lado, a classe política parece tentar vencer a população pelo cansaço através de sucessivos escândalos de corrupção, é importante que o cidadão continue dialogando sobre a política. Afinal, tudo que cerca a sociedade e a existência individual depende da classe política, responsável por zelar pelo dinheiro e pelos interesses do povo. Deixá-los de lado é tudo que querem.

Fonte: Imprensa Viva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055