martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

sábado, 30 de janeiro de 2021

Ministério da Saúde pede ao Butantan antecipação de entrega de 46 milhões de doses de CoronaVac

Sábado, 30 de Janeiro de 2021


Foto: Edilson Dantas / Agência O Globo

O Ministério da Saúde divulgou neste sábado o documento de confirmação de compra das 54 milhões de doses adicionais da CoronaVac.

No ofício, Antônio Elcio Franco Filho, secretário-executivo da pasta solicita a possibilidade de antecipação da entrega de 46 milhões de doses do imunizante produzido pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

“Solicito também avaliação e manifestação expressa quanto à possibilidade de antecipação do cronograma de entrega das 46 milhões de doses, atualmente previsto na Cláusula Segunda o Contrato nº 5/2021”, descreve o documento.

O cronograma inicial previa a entrega das 46 milhões de doses da CoronaVac até o dia 30 de abril de 2021. Confira abaixo as etapas:

1ª parcela – 8.700.000 de doses (6 milhões importadas e 2,7 milhões de produção nacional) até 31/01/2021

2ª parcela – 9.305.000 de doses (produção nacional) até 28/02/2021

3ª parcela – 18.065.000 de doses (produção nacional) até 31/03/2021

4ª parcela – 9.930.000 de doses (produção o nacional) até 30/04/2021

O Ministério da Saúde solicitou ainda “que seja antecipado o processo de registro junto à Anvisa até o final de fevereiro de 2021” para que “com essas doses adicionais, podermos dar início junto com todos os Estados e Municípios à vacinação em massa da população brasileira”.

A pasta pediu que o Butantan apresente à Saúde um cronograma de entrega das 54 milhões de doses de CoronaVac adicionais até 3 de fevereiro, quarta-feira, para que o novo contrato seja assinado até o dia 5 de fevereiro.

Na última sexta-feira, o Ministério da Saúde confirmou a compra de 54 milhões de doses adicionais da vacina contra a Covid-19 produzida pelo Instituto Butantan, em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. A decisão ocorreu depois de o governo de São Paulo dar um ultimato para que o governo federal se pronunciasse até o dia 5 de fevereiro sobre o assunto.

A pasta também disse não se opor a que o governo de São Paulo retenha as doses de vacina que cabem ao estado, desde que sejam apresentados os recibos de entrega e recebimento e seja respeitada a divisão equitativa entre os entes federativos.

O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055