martins em pauta

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Por sobrevivência, esquerdistas se infiltram em partidos de direita

Quinta, 15 de Agosto de 2019


A esquerda se infiltrou nos partidos de direita para continuar existindo, mas isso não tem a ver exclusivamente com a chegada do PT ao PSL, é uma tática de guerra antiga que os estrategistas estudam para "sobreviver e avançar". Explico…

Há inúmeras passagens históricas onde os infiltrados enganaram multidões de experts e conquistaram seus objetivos, mas vou contar a minha preferida, a "Operação Berezino":


Durante a Grande Guerra pela Pátria (parte da Segunda Guerra Mundial, 1941-1945, entre a União Soviética e a Alemanha nazista e seus aliados), há duas lendas que envolvem essa operação e as duas são fantásticas!

Tudo começa com um grupo soviético que por ordem de Stalin fez chegar até os nazistas a história de que estariam contra o próprio governo, por serem monarquistas e desejarem instaurar um reino; a Alemanha viu neles a possibilidade de ter um agente duplo e os contactou.

Pronto, bastou fingir odiar o inimigo de Hitler que um soviético maluco enganou os chucrutes! Ele trabalhava com a desinformação e um dia deixou que a inteligência nazista interceptasse uma mensagem onde o comando soviético lamentava, mas avisava que um pelotão inteiro estaria a própria sorte, sem água, comida, remédio e munição numa floresta da Bielorrússia.

Ao mesmo tempo, o agente duplo vaza a informação que o motivo do abandono é que os mantimentos não chegam porque há uma unidade nazista naquela floresta e que logo estará nas mesmas condições de sobrevivência caso não sejam resgatados.

A Alemanha teve duas reações lógicas: Ignorou o pelotão russo que estava morrendo de fome e sem munição e mandou uma unidade para resgatar o seu pelotão; já conseguiram entender o que aconteceu, né?
Não havia pelotão nazista, só havia uma unidade mítica russa bem alimentada e municiada o suficiente para dizimar os chucrutes nazistas.

Os serviços de infiltrados e desinformação é tática de guerra, no capítulo de sobrevivência e é exatamente o que a esquerda brasileira faz hoje, se infiltrou em partidos da direita para poderem ter uma chance de eleição, logo ali, nas municipais.

Já bato nessa tecla há meses, mas a direita insiste em respirar aliviada dizendo “a esquerda está morta”. Não! Não está! A esquerda está reagrupando…

Se aliar ao inimigo é tática manjada e fingir que mudou de lado, mais ainda…

Bem, quer um exemplo pessoal sobre quão perigoso é um infiltrado?

Eu já fui de esquerda e estou te contando uma história, você acreditou em mim?

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.
Fonte: Jornal da Cidade Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055