martins em pauta

terça-feira, 10 de outubro de 2017

PF testa 810 bilhões de senhas mas não acessa arquivos de operador do PMDB

Terça,10 de Outubro de 2017 

Foto: Divulgação

A Polícia Federal testou cerca de 810 bilhões de senhas durante oito dias a fim de descriptografar documentos sobre offshores de Jorge e Bruno Luz, que confessaram ao juiz Sergio Moro que intermediavam pagamento de propina a políticos do PMDB. Jorge e Bruno Luz são acusados de atuar junto aos lobistas Fernando Soares e Julio Camargo na operacionalização de propinas de R$ 15 milhões a políticos do PMDB oriundas da contratação do navio-sonda Petrobras 10.000 do estaleiro coreano Samsung ao custo de US$ 586 milhões entre 2006 e 2008. Durante o depoimento a Moro, Jorge Luz confessou pagamento de R$ 11,5 milhões aos senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Jader Barbalho (PMDB-PA), ao ex-ministro de Minas e Energia do governo Lula, Silas Rondeau, e ao deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE). Os repasses teriam ocorrido em contrapartida do suposto apoio dos políticos para fortalecer os ex-diretores da área Internacional Nestor Cerveró e de Abastecimento, Paulo Roberto Costa, na estatal, após solicitação de Fernando Soares, em 2005.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055
Ocorreu um erro neste gadget