martins em pauta

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

PM prende ladrão e descobre que vítima foi estuprada ao acessar celular roubado

Quinta, 21 de Setembro de 2017


Foto: Reprodução / G1 Mogi e Suzano

Depois de prender um homem por roubo, um policial militar recuperou o celular roubado e descobriu, através de mensagens de WhatsApp, que a vítima também havia sido estuprada pelo criminoso. O caso aconteceu nesta terça (19), no município de Itaquaquecetuba, no interior de São Paulo. Segundo informações do G1 Mogi e Suzano, o PM do 35º Batalhão que chegou ao suspeito depois que uma segunda vítima, que havia sido roubada pelo criminoso na tarde de segunda (18), denunciou que o avistou nas ruas do bairro Jardim Odete, na manhã de terça (19). Ele lhe havia roubado R$ 90. "Começamos então um patrulhamento pelo bairro e vimos o suspeito em um telefone público da estrada de Santa Isabel. Fizemos a abordagem, ele estava sem documentos e disse que não sabia informar seu nome, de onde era. Vimos que ele estava com um celular com a tela quebrada e bloqueada. Levamos ele para o DP onde a moça fez o reconhecimento dele por roubo no dia anterior", explicou o cabo Igor dos Anjos ao portal. Como o homem disse que não sabia destravar a tela, os policiais acharam que o telefone também fosse roubado. Para descobrir o número do aparelho, eles usaram o atendimento de emergência e acessaram o WhatsApp registrado através de outro aparelho. Com isso, o policial não apenas identificou a outra vítima de roubo, como descobriu que ela havia sido estuprada horas antes. "Meu parceiro acessou o grupo da família dela e leu a conversa. Nela, os parentes estavam avisando que a vítima, que está grávida de quatro meses, tinha sido estuprada naquela manhã, enquanto ia para escola. Uma outra viatura da PM estava acompanhando no hospital uma vítima de estupro. Entramos em contato e conseguimos identificar que tratava-se da mesma mulher. Ela veio registrar o boletim de ocorrência depois de passar por exames e reconheceu autor", esclareceu ao portal. O criminoso permanece detido na Delegacia Central da Cidade. Para viabilizar sua prisão em flagrante, a polícia precisou criar um RG Criminal, já que ele não apresentou documentos pessoais nem foi encontrado nos registros de São Paulo. Diante disso, a polícia acredita que ele não seja natural do Estado e também tenha sido autor de outros casos de estupro. "Muitas mulheres não denunciam estupro por ser um crime muito invasivo, que provoca um grande constrangimento e provoca uma fragilidade na vítima. Mas acreditamos que esse homem tenha feito mais vítimas sim, e esperamos que com a divulgação da foto dele, essas vítimas procurem a polícia", ressaltou o PM.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055
Ocorreu um erro neste gadget