martins em pauta

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Empresa cujo diretor é suspeito de fraudar licitações vence certame de R$ 8 milhões com a Sesap

Sexta, 11 de agosto de 2017

Resultado de imagem para imagens da SESAP

Uma empresa cujo sócio diretor está envolvido em suspeitas de irregularidades, como fraudes em licitação, venceu certame de R$ 8 milhões de reais para prestar serviço ambulatorial na Grande Natal e em Mossoró, onde ela cresceu exponencialmente durante a gestão do ex-prefeito Silveira Júnior.

Em novembro de 2012, o médico Franciso Diego Costa Dantas passou a integrar o quadro societário da Sama – Serviços de Assistência Médica e Ambulatorial LTDA.

Uma reportagem de 2014 do portalnoar.com jogou luz sobre a empresa. Já naquela época se questionava os contratos e o histórico de seu diretor.

Diego Costa Dantas tem ficha criminal de investigação por fraudes em licitação. Ele e mais quatro pessoas foram flagradas pela polícia na cidade de Teresina, capital do Piauí, em 2004, tentando fraudar uma prova de vestibular. No momento da abordagem, eles tinham gabaritos e sete aparelhos celulares. O grupo se livrou da condenação porque o crime prescreveu.

Em 2012, Diego foi acusado pelo Ministério Público Federal de atuar em novo esquema. Segundo o parquet, ele integrou um grupo que teria tentado fraudar uma licitação da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) em Natal. À época, ele era o diretor da comissão de licitação, que foi feita e encerrada em menos de um mês. Esse processo se encontra em grau de recurso no Tribunal de Justiça.

A mais recente controvérsia de Diego Costa veio a público através de relatório de auditoria da Secretaria Estadual de Saúde sobre as relações entre a Associação Marca, pivô de um escândalo de fraudes em terceirizações na saúde de Natal e Mossoró, e o Hospital da Mulher, do qual Diego foi diretor.

Crescimento

Depois que Diego passou a integrar a sociedade da Sama, a empresa passou para seu domínio, já que sua participação nela se ampliou. De acordo com o aditivo nº 2 registrado na Jucern, Diego passou a ter quota de R$ 90 mil. Ele adquiriu o patrimônio de Habraão e Francisco Narcísio, que ficaram, cada um, com R$ 2 mil em quotas. O aditivo foi registrado em 14 de fevereiro de 2014, quando a Sama tinha capital social de R$ 100 mil.

Duas semanas depois disso, a prefeitura contratou a Sama, por inexigibilidade de licitação, por R$ 889.080,00. Em 22 abril, novo aditivo foi registrado na Jucern. Dessa vez, o capital social da Sama passava a um milhão de reais, com Diego Costa Dantas sendo detentor de R$ 750 mil. Os médicos Habraão Diógenes Bessa, Francisco Narcísio Bessa, Gilmar do Nascimento e Otávio Antonio Ferreira ficaram como titulares, cada um, de R$ 20 mil em quotas. Outros cinquenta médicos, que trabalham na rede municipal através da Sama, se juntaram à empresa, sendo, cada um, detentor de R$ 3 mil.

Outro lado

Em nota, a Sama divulgou que reafirma o compromisso de manter a qualidade dos serviços prestados, “que tem seu nível de excelência atestado pelas dezenas de contratantes, sobretudo em observância ao irreversível compromisso com os mais elevados padrões e princípios da conduta ética médica”.

À empresa, caberá cuidar dos plantões médicos nas UTIs dos hospitais Walfredo Gurgel, José Pedro Bezerra, Ruy Pereira Santos e Giselda Trigueiro, todos em Natal. Além deles, também cuidará do Deoclécio Marques (Parnamirim) e Tarcísio Maia (Mossoró).


Fonte: Blog do BG

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055
Ocorreu um erro neste gadget