martins em pauta

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Depois de 25 anos, idoso confessa que enterrou mulher no banheiro

Segunda, 05 de Agosto de 2019

Crime aconteceu em 1994 na cidade de Sinop, no Mato Grosso. Suspeito diz que matou companheira por ciúmes e resolveu confessar por remorso

Do R7


Idoso apontou para a polícia local onde enterrou companheiraReprodução Polícia Civil - MT

Um idoso, de 64 anos, confessou que matou a mulher e enterrou no banheiro de sua casa no bairro Jardim das Palmeiras, em Sinop, no interior do Mato Grosso. O crime, segundo ele, aconteceu em 1994 por ciúmes. 

Luzinete Leal Militão tinha 28 anos na época de sua morte. Restos mortais, documentos e objetos foram encontrados durante uma escavação realizada na sexta-feira (02). O material foi recolhido pelos peritos para perícia.

O próprio idoso, Jairo Narciso da Silva, apontou para a polícia a localização exata do corpo. De acordo com o delegado Ugo Ângelo Rech de Mendonça, os ossos e objetos pessoais de Luzinete estavam cobertos com 20 centímetros de concreto.

Na época, Silva morava no local com a mulher e duas crianças. Um filho de seis anos do casal, e um segundo de 10 anos, filho de outro relacionamento da companheira.

"Ela estava em posição quase que fetal", disse o delegado. "Depois de duas horas cavando é que começou a aparecer bolsa, objetos pessoais, documento com foto dela ainda preservada", completou.

O crime e a confissão

A história veio à tona no dia 30 de julho, quando o idoso procurou, por iniciativa própria, a Polícia Civil relatando que queria confessar um crime. “Ele veio até mim quando estava de plantão. Estava com a esposa, inclusive, e falou que queria confessar a prática de um crime. Até achei que era alguma coisa mais leve. E acabou falando que matou a esposa e enterrou o corpo, em um banheiro”, explicou o delegado.

A Polícia Civil então confirmou que existia um boletim registrado no dia 21 de outubro de 1994 comunicando o desaparecimento da mulher. No documento ele relata que a mulher sumiu na noite de 17 para 18 de outubro e até aquela data ela ainda não tinha voltado para casa.

Ele ainda afirmou que resolveu confessar o crime por remorso e que matou a companheira com um golpe de barra de ferro na cabeça. Como ela não morreu na hora, ele ainda a asfixiou.

Durante todo esse tempo, o suspeito falou para os filhos que a mulher tinha fugido com um amante. A motivação, ainda segundo a polícia, foi ciúmes porque a mulher gostava de sair à noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055