martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

quinta-feira, 5 de agosto de 2021

CPI da Covid marca depoimento de Ricardo Barros para a próxima quinta-feira (12)

 Sexta, 06 de Agosto de 2021

Foto: Sérgio Lima/Poder360 – 08.dez.2020

O presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado, Omar Aziz (PSD-AM), anunciou nesta 5ª feira (5.ago.2021) o calendário de depoimentos do colegiado para a próxima semana. O principal a depor será o líder do Governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), que teria sido citado pelo presidente Jair Bolsonaro como responsável por “rolo“ de vacinas no Ministério da Saúde.

Barros tem criticado a demora da CPI em realizar seu depoimento. Inicialmente, a oitiva do congressista estava marcada para o dia 8 de julho, mas foi adiada, sem nova data definida. Para Barros, o fato de a comissão não convocá-lo para depor é uma “covardia”.

Barros acionou o STF (Supremo Tribunal Federal) no começo de julho. Alegou que estava sendo impedido de exercer sua defesa “por abuso de poder da CPI”.

O líder do Governo já afirmou que não tem “nenhuma questão” com Luis Miranda. “Ele fez o que achou que deveria, e eu estou procurando a oportunidade de ir à CPI para esclarecer os fatos que envolvem o meu nome”.

Eis o calendário de depoimentos:

  • 3ª feira (10.ago) – Helcio Bruno de Almeida, líder da organização conservadora Instituto Força Brasil;
  • 4ª feira (11.ago) – representante da farmacêutica Vitamedic, que comercializa remédios do kit covid;
  • 5ª feira (12.ago) – Ricardo Barros, líder do Governo na Câmara dos Deputados.

A CPI aprovou na 3ª feira (3.ago) a quebra de sigilo telefônico e bancário de Ricardo Barros. Ele foi citado pelo deputado Luis Miranda (DEM-DF) como participante de negociações suspeitas do Ministério da Saúde para compra de vacinas.

O requerimento foi destacado –pedido para votar em separado– pelos senadores governistas, mas ainda assim foi aprovado. O autor do pedido é o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

Ricardo Barros é alvo de suspeitas envolvendo supostas irregularidades nas negociações de compra da Covaxin, vacina indiana contra a covid. Seu nome foi citado pelo deputado Luis Miranda (DEM-DF) na CPI. Segundo o congressista, o presidente Jair Bolsonaro teria mencionado Barros ao saber dos problemas nas tratativas do imunizante. A negociação para compra da Covaxin não foi concluída.

Poder 360

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055