martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

sexta-feira, 16 de setembro de 2022

VÍDEO: Padrasto é flagrado agredindo criança de 4 anos. “Ele usava luva para não deixar marca”, diz mãe que também era espancada

Sexta, 16 de Setembro de 2022

Foto: reprodução

Imagens estarrecedoras mostram as agressões que uma criança de apenas 4 anos sofria do padrasto, um lutador, identificado como Victor Arthur Possobom, em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro. O caso, ocorrido em fevereiro, está sob investigação da 77ª DP (Icaraí). As imagens vieram à tona nessa quinta-feira (15/9).

Nos vídeos, é possível ver o homem ao lado do garoto no sofá de um prédio. No outro registro, já dentro do elevador, o agressor checa a máscara do menino e, em seguida, o sufoca.

Veja o vídeo, AS IMAGENS SÃO FORTES:

A chef de cozinha Jéssica Jordão Carvalho, mãe do garoto, também afirma ter sido agredida pelo homem. Em 2013, Victor foi preso em flagrante por supostamente agredir a própria mãe durante uma discussão doméstica. No boletim de ocorrência, ao qual o Metrópoles teve acesso, o acusado declarou que apenas tentou “intervir” em uma briga entre a mãe e uma namorada, “escorando a genitora contra a parede” para evitar o confronto.

A Polícia Civil pediu a prisão de Victor Possobom à Justiça por conta das agressões contra a criança, mas, até a última atualização desta reportagem, não havia um mandado de prisão contra ele. A Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Niterói também fez um segundo pedido de prisão contra Victor por lesão corporal contra a ex-companheira Jéssica Jordão.

A Justiça do Rio ainda precisa se manifestar sobre os pedidos.

“Colocava luva para não deixar marcas”

Jéssica relatou ao G1 que também foi vítima de Victor. Ela contou que ficou grávida do agressor após um estupro, mas perdeu o bebê, segundo ela, em decorrência das violências físicas que sofria.

“Ele colocava sempre a luva de boxe para eu não ficar com tantas marcas e falava para eu ficar parada e me batia. Eu, parada na parede, e soco na cara, na barriga. Ele me enforcava e aí, nossa, a maioria era no rosto e na barriga”, contou a mulher.

“Ele geralmente tentava dar mais no meu rosto, mas geralmente eu sempre caía, então, eu batia com a barriga no chão e aí às vezes ele dava um chute ou então socava a minha barriga, ele sempre batia na barriga e no rosto, sempre”, prosseguiu Jéssica.

Jéssica e Victor namoraram por dois anos. Ela já era mãe do menino quando começou a se relacionar com Possobom. Eles tiveram, juntos, uma filha, que hoje tem um ano. Em conversas cedidas à reportagem, o homem chegou a ameaçar a própria mãe para que ela conseguisse a guarda da menina.

“A 77ª DP (Icaraí) instaurou inquérito e investiga o caso. Os agentes analisam as imagens registradas da agressão, coletaram depoimentos e realizam demais diligências para esclarecimento dos fatos.

A Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Niterói também investiga o crime de violência psicológica contra a mãe da criança. O inquérito está em fase final de conclusão”, disse a corporação.

A reportagem do Metrópoles tentou contato com a defesa do acusado, mas não obteve retorno.

OPINIÃO DOS LEITORES

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055