martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

quarta-feira, 31 de agosto de 2022

UFRN já barrou 569 alunos na matrícula por fraude às cotas; 11 foram desligados durante o curso

Quarta, 31 de Agosto de 2022

Foto: Reprodução

Desde que a UFRN adotou as bancas de heteroidentificação para avaliar os alunos que ingressaram no Sisu por meio de cotas raciais, 569 estudantes já tiveram suas matrículas negadas na universidade, antes mesmo de conseguirem entrar. Outros 11, que já estavam matriculados antes da instauração das bancas, foram desligados depois que foram denunciados na Ouvidoria da instituição e reprovados na avaliação dos membros da banca.  Destes, dois conseguiram retornar à universidade por meio de decisões judiciais.

A banda de heteroidentificação começou a funcionar na UFRN a partir do Sisu 2021. No ano anterior, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da UFRN aprovou, em setembro, os procedimentos de heteroidentificação nos processos seletivos para cursos técnicos de nível médio, de graduação e de pós-graduação. Desde então, para ingressar via Sisu, os candidatos autodeclarados pretos ou pardos devem enviar um vídeo individual, que é analisado por uma banca composta por três membros.

Essas bancas de heteroidentificação são formadas por integrantes da Comissão de Heteroidentificação, composta por servidores e estudantes da UFRN que passaram por capacitação para participar das bancas nos processos seletivos da Universidade, assim como na avaliação de denúncias realizadas à Ouvidoria da UFRN.

No Sisu de 2021, houve o total de 2.967 candidatos analisados e, destes, o parecer foi desfavorável para 219 pessoas. No Sisu 2022, foram emitidos 350 pareceres desfavoráveis entre os 2.790 candidatos analisados.

Com informações Saiba Mais


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055