martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

domingo, 28 de agosto de 2022

Por que vou votar no Governo Bolsonaro?

 Domingo, 22 de Agosto de 2022

Existe um natural desconhecimento da maioria da sociedade sobre assuntos econômicos e fiscais, que é radicalmente potencializado pela cortina de fumaça midiática, que ataca Jair Bolsonaro e sua gestão diariamente, colocando a pandemia em seu colo — como se fosse um problema isolado do Brasil — e mostrando que a figura estética criada dele é monstruosa, inventando inúmeros adjetivos pejorativos e infundados.

Esses ataques atrapalham ainda mais a percepção da sociedade sobre as realizações da Administração Bolsonaro, uma vez que sua atuação se dá, justamente, com maior força no âmbito fiscal e econômico.

Apesar do barulho e ruído, esse governo fez muita coisa, a qual somente agora começa a colher seus frutos, em decorrência do próprio tempo de maturação destas medidas adotadas, e que, no médio e longo prazo, terão percepção real e diária na sociedade.

Se perde muito tempo e energia com teatros, pantomimas, torcida e narrativas, foca-se muito na imagem pessoal do atual mandatário e pouco em seu governo e nos feitos de sua gestão que, não ocorrem “apesar dele”, mas sim e tão somente “por causa dele”.

Vou elencar os 10 principais fatos determinadores da minha decisão, pois existem outros. Importe frisar esta palavra: fatos.

1. São 70 bilhões/ano de investimento privado já contratado em infraestrutura nos próximos 10 anos (o orçamento público do Ministério da Infraestrutura só permitiria investir 8 bilhões/ano), reflitam sobre a geração de riqueza e emprego que teremos na próxima década com essa realização do governo, que se deu através da abertura do mercado e concessões nos mais variados setores, entre ferrovias, portos, aeroportos, rodovias, terminais pesqueiros, parques, 5G, cabotagem entre outros. Importante salientar a guinada na diversificação de modais de transporte, como o total direcionamento na expansão da malha ferroviária, abondada por décadas nos governos passados, teve total protagonismos nesta gestão, com um incremento já contratado e em execução de 10 mil quilômetros de novos trilhos.

2. Esse Governo criou inúmeros Marcos Regulatórios em variadas áreas, fornecendo Segurança Jurídica aos empreendedores e investidores, tirando suas atividades de limbos cinzentos legislativos, que ficavam à mercê de interpretações casuísticas e momentâneas do judiciário, sem qualquer padronização ou normatização, o que afugentava muitos negócios em nosso país acarreando menos geração de emprego e renda, como consequência direta.

3. Celeridade na adequação de instrumentos para entrarmos na OCDE, o clube dos países ricos, que permitirá o Brasil fazer negócios com o mundo todo de forma facilitada, trazendo mais riqueza, emprego, competição e prosperidade para nosso país. Um estudo do IPEA, estima aumento anual de 0,4% em nosso PIB, a partir do momento de adesão ao bloco econômico, que pode ocorrer em 2024, caso esse governo seja mantido. Será uma guinada econômica e comercial histórica em nosso país e esse processo merece e deve ser finalizado. Dificilmente outra gestão dará continuidade ao processo.

4. Digitalização quase total dos serviços públicos, injetando eficiência à máquina estatal, além da destemida e ousada lei de modernização cartorária- algo que não era enfrentado desde o tempo do império — obrigando todos os cartórios e tabelionatos a estarem 100% digitalizados e unificados a partir de janeiro/2023. Avaliem os reflexos que isso terá na dinâmica econômica do país e seu reflexo indireto no PIB, com a diminuição arrasadora de prazos para entrega de certidões e documentos públicos, além da facilidade de se fazer tudo através da tela do seu telefone.

5. Outro grande destaque neste governo, e injustamente negligenciado por economistas em suas analises, são as Microrreformas de Mercado, que estimulam o crescimento privado, removendo o peso da geração de riqueza, prosperidade e investimentos do colo do governo, passando o Estado à condição de mero facilitador de crescimento e liberdade de empreendedorismo. Como exemplo, hoje, se em 30 dias uma prefeitura não fornecer um alvará de funcionamento, o cidadão pode iniciar seu negócio sem prejuízo. Também é possível que se abra uma Empresa em menos de 2 dias, e totalmente operacional, já com emissão de Nota Fiscal.

6. Ao contrário do que a mídia e o próprio mercado propagam, o Governo Bolsonaro, entre janeiro/2019 e julho/2022, já privatizou um terço das empresas estatais brasileiras, arreceando mais de R$ 304 bilhões aos cofres públicos. Destaque para privatização da Eletrobrás, que culminará em mais investimento e redução nas tarifas da conta de luz. Para se ter uma ideia, o governo assumiu com 209 empresas estatais, hoje são 133. O diferencial no modelo das privatizações da gestão deste governo, é que se diminuiu propositalmente a outorga (valor pago aos cofres públicos em virtude das vendas) em contrapartida de mais investimentos nas empresas adquiridas/setores pelos compradores, visando sempre o eixo norteador de uma economia de mercado, muito mais livre e dinâmica, gerando sempre mais emprego e renda.

7. Remoção do peso estatal diário de cima do cidadão, que muitos podem considerar insignificantes ou de pouco efeito, o que discordo, pois no decorrer do tempo propiciará um grande efeito psicológico na sociedade, mas que nenhuma gestão anterior promoveu. Medidas como CNH com validade de 10 anos; aumento de limite para 40 pontos na CNH; fim da desumana prova de vida pessoal do INSS, que agora é digital; conversão de infração leve no trânsito em advertência; digitalização de serviços públicos e unificação de tudo no CPF do cidadão, através do portal gov.br, entre outras medidas de facilitação na rotina, que fazem com que possamos nos esquecer um pouco que o Estado está sempre em nosso cangote e nos cobrando taxas.

8. A atípica política de redução de impostos, que já reduziu, de forma permanente, 11 tributos e de forma temporária, em diversas rodadas, centenas de tributos nos mais variados produtos, incluindo cesta básica e recentemente a acertada zeragem de imposto federal sobre combustíveis até o final de 2022, que deverá ser mantida em 2023, bem como a permanente redução e limitação de incidência de ICMS sobre produtos considerados essências, como combustíveis e energia. O resultado desses 3 anos e 8 meses de reduções tributárias, ao contrário do que mídia e mercado pregavam, foram arrecadações recorde, mostrando que quanto menos imposto o cidadão paga em cima deu um produto ou serviço, mais ele consome e mais o próprio governo acaba arreceando. Demais governantes sempre aumentavam ou criavam novos impostos e inacreditavelmente o oposto está sendo feito nesta gestão. É um alivio no bolso do cidadão.

9. Fim da corrupção de forma sistêmica e institucionalizada. A corrupção ainda existe no Brasil e seguirá existindo por muitos anos, mas agora em menor grau e sem fazer parte do modus operandi do governo central e dos corredores palacianos, e muito menos do gabinete presidencial. Basta vermos que em 3 anos e oito meses de perseguição política por parte da mídia e de jornalistas, nunca encontraram uma prova concreta ou indício de que Jair Bolsonaro, o brasileiro mais investigado da atualidade, esteja envolvido ou orquestrando algum esquema ilegal no exercício do cargo. Com esse governo tivemos o fim diário de escândalos nos noticiários, foi também o fim das malas recheadas de dinheiro público, oriundo de estatais e contratos de licitações, circulando por Brasília. A administração pública ficou mais moralizada com o Governo Bolsonaro e seus métodos de compliance introduzidos fisicamente dentro de cada ministério e secretaria, com atuação direta do TCU (Tribunal de Contas da União) na esplanada. Hoje, nenhum contrato avança sem o carimbo no TCU.

10. E por fim, mas não menos importante, a preocupação social deste governo, que vai desde a titulação de terras a famílias, totalizando 360 mil títulos repassados, através do Programa Titula Brasil (entre 2019 e 2022) passando pelo Auxílio-Emergencial — o maior programa de transferência direta de renda da história — e culminando na conversão do Bolsa-Família em Auxilio-Brasil, com ticket mínimo de R$ 400,00 (ante R$ 178,00 do extinto Bolsa-Família) e que agora foi elevado para R$ 600,00 com possibilidade de manter este valor permanentemente. O Auxilio-Brasil conta com porta de saída, funcionando como rampa de ascensão social e que não estimula o assistencialismo, uma vez que, agora, mesmo formalmente empregado, o beneficiário mantém o auxílio financeiro por até 24 meses. Além da entrega de mais 1,2 milhão de moradias sociais, entre 2019 e 2021, através do Programa Casa Verde e Amarela. Não posso deixar de mencionar a conclusão da Transposição do Rio São Francisco no Nordeste, levando água e dignidade após mais de uma década de espera desde o início da obra que foi abandonada, sucateada e superfaturada em gestões anteriores. Com todo esse amparo social, o Brasil vai encerrar, segundo estudo do IPEA, com queda acentuada no índice de extrema pobreza, que era de 5,1% em 2019 quando o Governo assumiu, batendo 6,0% no auge da pandemia, e que agora vai encerrar 2022 em 4%. O governo Bolsonaro encerra o primeiro mandato entregando um país como menos miséria, diferente do que é propagado pela grande mídia diariamente, como evidenciado aqui, através de fatos e números.

Em suma, percebam que todos os 10 pontos partem de princípios e premissas norteadores de liberdade individual e de livre mercado, o que nos leva, invariavelmente, no médio e longo prazo, até a prosperidade. Liberdade e Prosperidade são pontos nevrálgicos para o sucesso de qualquer nação e, hoje, só quem está proporcionando isso ao Brasil é o Governo Bolsonaro. Portanto, estes são os motivos que explicam o porquê votarei nele e, com isso, em tudo que o seu governo já fez e continuará fazendo. Reflitam.

Foto de Rafael Lougon

Rafael Lougon

Editor do site Entregas do Governo. https://www.entregasdogoverno.com/


Fonte: Jornal da cidade Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055