martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

sábado, 12 de fevereiro de 2022

“Monark errou: Não é o nazismo que deve ser legalizado, o comunismo é que deveria ser criminalizado também”, diz professora (veja o vídeo)

Sábado, 12 de Fevereiro de 2022

A professora Kemily Rodrigues postou uma análise certeira em seu Instagram sobre as polêmicas de Monark que fez uma infeliz defesa do nazismo.

O texto postado é uma aula da professora, que de forma clara e objetiva fez o diagnóstico da situação.

“Maconha, álcool, desconhecimento e vontade de opinar… Monark é o retrato dos jovens pseudointelectuais de esquerda que não fazem ideia daquilo que defendem.
O nazismo é crime. Mas por que o comunismo - ideologia tão criminosa quanto - continua sendo aceito?
Por que grande parte da sociedade (especialmente a esquerda) se indignam com um e fecham os olhos para o outro? 
Vamos aos fatos: as ideologias são segregadoras, totalitárias, avessas à democracia, fingem defender trabalhadores, incentivam o coletivismo em detrimento da liberdade individual, são contra a liberdade de imprensa e matam opositores políticos.
O Nazismo teve o Holocausto, mas o Comunismo teve o Holodomor. O Nazismo teve Auschwitz, mas o Comunismo teve Gulag. O nazismo teve 40 milhões de mortos e o Comunismo, 100 milhões.
O Nazismo é crime na Alemanha e o Comunismo é crime em países como Polônia e Ucrânia, locais em que a foice, o martelo e a estrela socialista são proibidos.
Por que em um mesmo país em que se cancela Monark (merecidamente), toleramos Manuela D’Ávila, que relativiza Stálin, e consagramos Paulo Freire como patrono da educação?
Os poloneses ficariam atônitos em saber a quantidade de brasileiros que endeusam a ideologia que executou seu povo.
Nazismo e Comunismo são irmãos sanguinários.
Por mais que tentem esconder, a história não pode ser apagada.”

Confira:

  • Fonte: Jornal da Cidade Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055