martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

quarta-feira, 1 de setembro de 2021

Sindicatos Rurais de MT repudiam Moraes e cobram impeachment de ministros: "É regime ditatorial de toga"

 Quarta, 01 de Setembro de 2021

Os sindicatos Rurais de Mato Grosso publicaram uma carta de repúdio contra a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, que proíbe o presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja), Antonio Galvan, de se aproximar da Praça dos Três Poderes.

Galvan e outras pessoas, entre eles o cantor Sérgio Reis e o deputado federal Otoni de Paula, passaram a ser investigados, por decisão do ministro, por supostas ameaças ao STF, após divulgação de vídeos em que lideranças políticas e representantes de categorias de trabalhadores, como os produtores rurais e os caminhoneiros, organizam os atos de 7 de setembro e convocam o comparecimento da população.

Entre as determinações já acatadas por Antonio Galvan, um depoimento colhido na sede da Polícia Federal, na última quarta-feira (25/08), em que compareceu acompanhado de centenas de agricultores que o apoiavam. O presidente da Aprosoja ainda assistiu a busca e apreensão de aparelhos e equipamentos pessoais em sua residência e em seu escritório.

No dia 26, em entrevista coletiva, ele relatou parte do diálogo que teve com o delegado, no dia anterior:

“perguntei qual era a acusação - o delegado me disse que eu estava sendo investigado por crimes. Eu perguntei que crimes, e ele disse ‘incitação’ - Mas incitação de que? - Só incitação”
A carta de repúdio diz que “O Brasil vive a mais triste crise pela tentativa de destruição do Estado Democrático de Direito, das liberdades individuais e da liberdade de expressão imposta por membros do Supremo Tribunal Federal”.

A entidade ainda cobra do Senado Federal que cumpra o artigo 52 da Constituição Federal (que trata do processo a autoridades máximas da República, entre eles os ministros do Supremo, por crimes de responsabilidade) e analise o processo de impeachment contra Moraes:

“Na derradeira e nefasta decisão, Alexandre de Moraes, sem fundamento legal, colocou na alça de mira do ativismo politico judiciário, homens de bem, produtores rurais e sertanejos, jogando-os na vala de terroristas”

O documento lembra outras decisões arbitrárias do STF, como a prisão de jornalistas, representantes de classe e autoridades políticas.

“É regime ditatorial de Toga, que arranca a venda de Themis para usá-la como mordaça, com a qual recentemente silenciou até o berrante do menino da porteira”

O texto da carta se encerra com a lembrança de que “o poder emana do povo e por ele será exercido”

Confira o texto do documento, na íntegra:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055