martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

sexta-feira, 13 de maio de 2022

Para conter inflação e facilitar acesso aos alimentos, governo anuncia nova rodada de redução de impostos

Sexta, 13 de Maio de 2022

-Nova rodada de redução de impostos reflete no preço dos alimentos aos Brasileiros.
.Carne bovina: de 10,8% para 0
.Carne de frango: de 9% para 0
.Farinha de trigo: de 10,8% para 0
.Bolachas e biscoitos: de 16,2% para 0
.Produtos de padaria e pastelaria: de 16,2% para 0.

Com esta mensagem nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro anunciou uma nova rodada de cortes de impostos no país.

O foco, como se observa na mensagem, são os alimentos, com alíquotas zeradas.

Bolsonaro lembrou ainda de outros produtos cujos impostos sobre importação já não incidem mais, desde março deste ano, ou mesmo desde antes da crise econômica mundial causada pela pandemia e a guerra entre Rússia e Ucrânia.

-Em março também foram zerados os impostos de importação sobre o café, margarina, macarrão, óleo de soja, açúcar e do álcool que vai na mistura da gasolina.
-Os impostos federais sobre o diesel e o gás de cozinha também foram zerados, além de muitos outros desde 2019.
-Trabalho para combater a inflação que atinge todo o mundo no momento após o “fique em casa que a economia a gente vê depois” e a crise global passada nos últimos meses. 
Apesar do corte tarifário não atingir estes mesmos produtos, quando fabricados pela indústria nacional, torná-los mais baratos vindo de fora é uma tática para pressionar pela queda dos preços ao consumidor final no mercado interno.

Além dos alimentos, também houve redução de impostos para a importação de insumos agrícolas utilizados na cadeia produtiva de fertilizantes, e de defensivos agrícolas que agem no combate a pragas na produção de arroz, batata, feijão, milho e legumes, entre outros.

“Alguns produtos específicos, que tem um impacto grande sobre a população, temos buscado fazer reduções grandes de alíquotas”, disse o secretário-executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys. “Sabemos que essas medidas não revertem a inflação, mas elas aumentam a contestabilidade dos mercados. Um produto que está começando crescer muito de preço, diante da possibilidade maior de importação, os empresários pensam duas vezes antes de aumentar tanto o produto”, explicou.

A medida já está em vigor desde quinta-feira (12).

  • Fonte: Jornal da Cidade Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055