martins em pauta

Postagem em destaque

BRISANET A MELHOR INTERNET DO BRASIL

quinta-feira, 1 de dezembro de 2022

Lula se solidariza com mais um criminoso, mostra que nada aprendeu com o "caso Battisti" e revista não perdoa

Quinta, 01 de Dezembro de 2022

“Um dos mais gritantes desvios de caráter do presidente eleito Lula é sua inclinação para apoiar criminosos. Basta alguém ter feito algo contra as leis de um país — sequestros, assassinatos, invasões de propriedade ou roubo e divulgação de informações secretas — para que o petista se prontifique a romantizar sua trajetória e a defendê-lo publicamente.”

O texto acima transcrito abre reportagem publicada pela Revista Crusoé sobre o “DNA” do ex-presidiário Luiz Inácio Lula da Silva.

A própria trajetória de Lula justifica a sua incontida afeição por criminosos.

A matéria da revista prossegue lembrando que Lula no decorrer da campanha eleitoral confessou que intercedeu para libertar sequestradores do empresário Abílio Diniz:

“Na campanha presidencial, Lula confessou que intercedeu para libertar os sequestradores do empresário Abilio Diniz, que ele chamou de ‘meninos’. Antes, quando era presidente, o petista dificultou e conseguiu adiar a extradição de Cesare Battisti para a Itália, condenado por ter se envolvido em quatro assassinatos.”

Por fim, o texto publicado pela chega no criminoso da vez, o mais novo ‘protegido’ do ex-presidiário:

“Me informaram da situação de saúde e da luta por liberdade de Julian Assange. Pedi para que enviassem minha solidariedade. Que Assange seja solto de sua injusta prisão”, escreveu o petista nas redes sociais.

E a revista não perdoa:

“Mas a prisão de Assange no Reino Unido não tem nada de injusta. Ele foi acusado de espionagem após a divulgação de dados confidenciais. O fato de estar detido antes de ter recebido a sentença é plenamente justificável. ‘De acordo com a lei do Reino Unido, a detenção de Assange é legal e justa. Ele já solicitou pagar fiança no passado para ficar livre, mas o pedido foi recusado por causa do risco de fuga’, diz Paul Arnell, professor de direito na Universidade Robert Gordon, em Aberdeen, na Escócia. ‘Essa recusa ocorreu depois que ele Assange se refugiou na Embaixada do Equador, em junho de 2012, para impedir sua extradição para a Suécia. Os tribunais do Reino Unido acham que ele poderia fazer algo semelhante para impedir sua possível extradição para os Estados Unidos’.”

E assim finaliza o texto:

“Assim que Assange colocar os pés nos Estados Unidos, algo que seus advogados dificilmente serão capazes de evitar, o hacker australiano será julgado de acordo com as leis americanas, e poderá fazer uso de seu pleno direito de defesa.
Quem dirá o que é justo ou não será a Justiça americana, assim como foram os tribunais italianos que decidiram o que era justo com Cesare Battisti. Nesses assuntos, o melhor seria que Lula não se intrometesse.”


Fonte: Jornal da Cidade Online 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato : (84) 9 9151-0643

Contato : (84) 9 9151-0643